• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Atitude Coletiva

chevron_left
chevron_right

Você REALMENTE quer ser feliz?

Com todo carinho e sem mais dramas, de alguém que cansou de ser infeliz.

FulanoDeprê quer ser feliz.

i-want-happiness-cross-out-want-comic cópia

goodnoose

FulanoDeprê posta memes depressivos no Facebook para mostrar ao mundo como está machucado. FulanoDeprê busca imagens inspiradoras nas tardes de sábado para tentar se fazer menos infeliz, porque sabe que quando a noite chegar a solidão será tão insuportável que finais de semana são sinônimos de tortura — de uma semana que também não o agrada.

FulanoDeprê não gosta do emprego. FulanoDeprê queria cursar outra faculdade, mas não acha que mudar de curso seja uma boa ideia. O pior é que FulanoDeprê, sabendo tudo que está errado em sua rotina e o que está levando a esse estágio de pura melancolia e vitimismo, não muda.

FulanoDeprê continua deprê e, com o tempo, vicia em estar triste.

Então FulanoDeprê começa a reclamar de tudo. Se tem amigos, enche o ouvido deles sobre como se sente um lixo: porque não namora, porque ninguém o entende, porque os pais isso, porque Ciclano aquilo, porque tudo é ruim, porque tudo é escroto. Ninguém gosta mais de estar ao lado de FulanoDeprê.

FulanoDeprê ainda tem a ousadia de perguntar: “por que ninguém gosta de mim?”, se questionando por que a vida não é como nos filmes ou quando é que alguém especial vai surgir para descolá-lo da poça de lágrimas e meleca com uma pá e colocá-lo na garupa de um cavalo encantado a caminho do Mundo da Felicidade Eterna.

FulanoDeprê ignora que a capacidade de ver felicidade é só dele — seja de constatar que já tem tudo que precisa para ser feliz ou que precisa mudar hábitos para chegar onde quer —, mas que para isso ele precisa agir.

Aí FulanoDeprê caça gurus e pessoas para se inspirar, porque quer mudar mas não sabe por que não consegue. Aí FulanoDeprê esbarra com pessoas como eu, um dos chamados “Gurus da Internet”, que escrevem sobre autoconhecimento e autoaperfeiçoamento, e manda mensagens do tipo:

Olá, sou suicida, quero morrer, minha vida é uma merda [insira um desabafo enorme sobre coisas que aconteceram a 200 anos aqui] e não sei o que fazer. Porque a culpa é dos meus pais que me pressionaram a seguir um caminho que não quis, porque as pessoas só querem saber de sexo rápido com uma gozada no olho e ninguém quer relacionamento sério. Meus amigos são uns chatos que não escutam o que tenho a dizer e odeio minha carreira. Me ajuda?

E aí o GuruDaInternet responde:

Não tenho como ajudar diretamente porque só você pode mudar sua vida, mas posso te dar toques sobre o que funcionou na minha. Meu primeiro passo foi PARAR DE RECLAMAR. O segundo foi [insira aqui dicas baseadas no que foi apresentado na mensagem recebida, que giram em torno de mudanças e opções que mostram para FulanoDeprê que o fato da vida dele estar uma merda é porque ele continua fazendo escolhas que o prendem — e que mesmo quando não toma uma decisão, “permitindo” que pessoas decidam por ele, está decidindo do mesmo jeito].

Basicamente, o GuruDaInternet diz que para descontruir o cenário de autopiedade a fim de construir a paz interior é preciso mudar. Aí FulanoDeprê responde coisas do tipo:

“Não quero/posso largar meu emprego”.
“Não quero/posso decepcionar minha família”.
“Não quero/posso mudar isso/aquilo”.
“Mudar é tão complicado”.

Mudar é difícil para ca-ra-lho, mas dá resultado. O que não dá resultado é FulanoDeprê culpando o mundo por tudo, o tempo todo — o que não é errado, porque tem muita gente babaca por aí, mas só reclamar das coisas não leva a porra de lugar algum.

É preciso saber o que precisa mudar e MUDAR.

Cansado de tentar de todas as formas “ajudar” FulanoDeprê, o GuruDaInternet dá a última dica especial e que funcionou para ele se tornar mais feliz e dono do próprio universo hoje:

Se nada funciona para você, pare de encher a paciência dos seus amigos e procure terapia. Não é coisa de maluco. É coisa de gente sã, inteligente, que em vez de reclamar que pisou num caco de vidro enorme e rasgou o pé em 18 pedaços, simplesmente foi ao médico e pediu ajuda para remover o caco e costurar o pé. Depois só precisa cuidar da ferida, que vai infeccionar vez ou outra, até cicatrizar.

E depois que o GuruDaInternet dá esse conselho — que é o mais prático, com resultados em curto e longo prazo, perdendo apenas para A REAL ESCOLHA DE PARAR DE SER INFELIZ FAZENDO O POSSÍVEL —, FulanoDeprê arranja mais desculpas: não tem dinheiro, não quer ir num posto de saúde pedir encaminhamento psicológico, tem vergonha e mimimimeucu.

O que a gente aprende com FulanoDeprê é que depressão pode ter causa tanto em deficiência nutricional por alimentação ruim, quanto por assinaturas genéticas de nascença, e até mesmo por costume de ver o pior lado de tudo e repassar essa visão a outras pessoas. Como um vírus.

Pare de ser um pé no saco para você mesmo, FulanoDeprê. Pegue a vida pelos cabelos e tome um chá de semancol com açúcar ou adoçante. O mundo é cruel, você vai sofrer e chorar, mas também pode ser belo e divertido. É só treinar seu olhar e escolher, definitivamente, o que entra e o que sai da vida que você quer jogar pela janela.

Já tem três anos que escrevo sobre minha jornada deixando de ser depressivo e suicida para me tornar mais alegre, com menos momentos de desesperança crítica. Em meus textos e vídeos, divido lições que aprendi, soluções para problemas comuns aos que passei e perspectivas para aproveitar qualquer situação negativa como se fosse uma escalada benéfica.

Ainda teremos dias, semanas e meses de cão porque problemas nunca deixarão de aparecer. O que você precisa é desenvolver paciência e senso crítico para saber como lidar com eles e não permitir que intoxiquem sua rotina, se tornando maiores do que realmente são.

Com todo carinho e sem mais dramas,
de alguém que cansou de ser infeliz,
Enrique Sem H.

Enrique Coimbra
"Sem H" mesmo. Escreveu os livros "Sobre um garoto que beija garotos", "Um Gay Suicida em Shangri-la" e "Os Hereges de Santa Cruz". Também grava vídeos para o canal "enriquesemh" do YouTube, é capista, e criou o site Discípulos de Peter Pan , sobre comportamento e bem-estar!

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui