• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Crossfit Mental

chevron_left
chevron_right

Um Conto Chinês (Vale 9) #PraAssistir

Simples e ao mesmo tempo forte, nos faz repensar nossa forma de nos relacionar com a vida.

 

Oi! O filme de hoje é sobre um encontro casual entre duas pessoas, e a forma como isso pode mudar a vida delas. E não, ao contrário do que a maioria deva estar pensado, não estou falando de  um encontro amoroso que consegue abalar a rotina dos protagonistas com uma paixão. Estou falando do encontro inesperado entre dois homens de mundos completamente distintos.

 

Um Conto Chinês 2011

 

Em “Um Conto Chinês” (Um Cuento Chino) escrito e dirigido pelo argentino Sebastián Borensztein. Ricardo Darín é Roberto,  homem ranzinza e de poucos amigos que vive uma monótona e repetitiva rotina entre trabalho e casa, e que gosta e precisa da “calmaria” que é sua vida.

 

Ricardo Darín

 

Amarrando a outra ponta da história, temos Jun, um chinês que acaba de chegar na Argentina, após perder sua noiva, morta por uma vaca (!) e que busca encontrar seu único parente vivo; um tio que há muito mora na América.

 

Ignacio Huang

 

O destino cruza o caminho dos dois e faz com que a vida de Roberto dê um giro de 180 graus. Apesar de ser um cara solitário, seu bom coração não consegue simplesmente deixar Jun nas ruas, e, para a surpresa dele mesmo, acaba levando o rapaz para dormir em sua casa.

 

Agora, para conseguir reconquistar a sua metódica (e preciosa) rotina ele terá que aprender a se comunicar com Jun, (que fala tanto espanhol quanto ele fala chinês) e arranjar uma forma de ajudar o rapaz a encontrar sua família.

 

 

Darín, já é um grande conhecido do público que acompanha o cinema argentino nos últimos anos, por isso quero destacar a atuação de Ignacio Huang, que interpreta Jun.

O ator consegue nos comover e nos fazer torcer por ele, mesmo não desferindo nenhuma palavra compreensível para nós durantes os 93 minutos da película. No filme quando os chineses falam em chinês, em nenhum momento há tradução para o público, uma escolha do diretor.

 

 

Sou suspeita para falar do cinema latino, pois suas produções são as umas das minhas prediletas, mas “Um Conto Chinês” é um filme que deve ser visto. Simples e ao mesmo tempo forte, nos faz repensar nossa forma de nos relacionar com os outros, e porque não? Com nós mesmos.

ACOMPANHÔMETRO

Filme legal pra ver naquele dia em que a família está toda reunida, pois a temática agrada a gregos e troianos, ou, nesse caso: a argentinos e chineses!  hehe

HUMORMETRO

Pode assistir sem medo!  É um filme que te faz pensar, mas nada que seja a ponto de te deixar deprimido.

VALE A PIPOCA?

Opa!

PRÊMIOS

Assim como a maioria dos filmes que não fazem parte do circuito comercial de Hollywood, o filme (injustamente) não foi indicado a grandes festivais, mas, atraiu mais de um milhão de espectadores aos cinemas argentinos e levou o prêmio de melhor filme e prêmio do público no Festival de Cinema de Roma, além do prêmio de melhor filme hispanoamericano nos Premios Goya 2011.

TRILHA SONORA

Trilha branca, que dá o tom certo ao filme.

NOTA

9

 

 

Line Macedo – Formada em Comunicação Social, apaixonada por produtos audiovisuais de qualidade, adora assistir programas trashs na TV ao lado de pessoas com um senso de humor apurado. Falar, rir e dançar são os verbos que mais pratica. Pretende, sem pretensões, indicar nessa coluna filmes que em sua humilde opinião, deveriam ser visto por outras pessoas, porque né? Existem tantos filmes incríveis…

 

 




SOS Solteiros
Arquivo - Sempre tem jeito.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui