• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Vai, planeta!

TrashTag: novo desafio da internet incentiva algo realmente útil; cuidar do planeta!

O desafio do lixo promete fazer uma mudança real no mundo.

Um projeto iniciado em 2015 pela UCO Gear, empresa especializada em vendas de produtos para atividades ao ar livre, tem repercutido atualmente nas redes sociais em forma de desafio.

O Projeto #TrashTag, criado a partir de uma iniciativa pessoal de Steven Reinhold, embaixador da marca, visa estimular pessoas a realizar uma senhora limpeza em espaços naturais.

“Ei crianças. Lembram do Harlem Shake, o desafio da garrafa d’água, do manequim? Finalmente, algo com significado está para conquistar o planeta – #trashtag – Faça uma foto antes e depois dos grandes esforços de limpeza.”

No blog da empresa, Steven contou que tudo começou quando definiu para si a meta de recolher 100 pedaços de lixo durante suas aventuras ao ar livre. Quando alcançou a meta, resolveu expandir sua ideia. “Se conseguisse convencer 100 pessoas a juntarem-se, poderíamos realmente fazer uma diferença real“, escreveu.

O projeto visava estimular que as pessoas compartilhassem a ação em suas redes sociais. O que se vê atualmente são várias fotos de “Antes” e “Depois” compartilhadas por internautas de todo mundo.

O sucesso realmente veio, tanto que foi criado oficialmente um desafio, o #TrashTagChallenge:

#TrashTagChallenge na Indonésia

#TrashTagChallenge nos Estados Unidos

 

#TrashTagChallenge no Paraguai

 

#TrashTagChallenge no Nepal

Seja em forma de desafio ou não, o fato é que devemos repensar nossos hábitos de uso, descarte e coleta de material. Um levantamento divulgado neste ano pela WWF aponta que o Brasil é o quarto país que mais produz lixo plástico no mundo. E para piorar, reciclamos menos de 1,5% de todo esse lixo.

Abaixo, dados dos dez países mais produtores de lixo plástico:

(números em toneladas)

E aí, vamos fazer valer esse desafio aqui no Brasil também?

Fonte(s): UCO Gear, WWF
Daiane Oliveira
Jornalista, feminista e mãe. Discute religião, política, sexo e hábitos sustentáveis. Não discute futebol porque não entende. Quem sabe um dia.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui