• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Sinta-se Bem

Tomar muitos banhos pode fazer mal a saúde e nem é tão higiênico, revelam especialistas

O recomendado seria lavarmos as mãos com mais frequência.

Se você é daqueles que passa álcool em gel a cada cinco minutos ou gosta de tomar muitos banhos por dia para ficar livre de bactérias e de doenças, saiba que o efeito pode não ser exatamente esse.

O banho diário é mais uma tradição cultural – principalmente no Brasil – do que propriamente uma medida para se livrar de microrganismos danosos à saúde.

“Tomar banho é principalmente por razões estéticas. As pessoas acham que estão tomando banho para higiene ou para serem mais limpas, mas bacteriologicamente, não é o caso”, disse Dra. Elaine Larson, especialista em doenças infecciosas do curso de Enfermagem da Universidade de Columbia, em entrevista para a Revista Time.

Segundo a infectologista, os banhos são mais uma forma de tirar aquele cheiro ruim, capaz de espantar qualquer um a metros de distância, do que para te proteger de ser contaminado por alguma doença. Nesse caso, lavar as mãos é provavelmente mais adequado.

Banhos em excesso podem ser até prejudiciais à saúde

Isso porque ao lavar a pele ela fica mais seca, abrindo brecha para a penetração de germes. Com o avanço da idade a pele fica mais fina e menos hidratada, motivo pelo qual as pessoas mais velhas deveriam tomar ainda menos banho.

E de acordo com uma pesquisa feita pela especialista, os sabonetes antibacterianos que se popularizaram pela ação contra doenças infecciosas não são melhores do que o simples sabonete comum presente na sua casa. Os banhos e esses produtos retiram óleos naturais da pele e perturbam aquelas bactérias capazes de dar suporte ao sistema imunológico.

O uso desse tipo de produto já foi até questionado por alguns especialistas. Nos EUA, A FDA, agência reguladora de alimentos e remédios do país, baniu 19 produtos químicos que constavam na formulação de grande parte dos sabonetes antibacterianos.

A decisão da agência tem dois motivos. Em 2013, ela pediu que os fabricantes desses produtos enviassem estudos para comprovar que esse tipo de sabonete matava mais micróbios do que os sabonetes neutros. Não aconteceu. Grande parte das empresas não enviou documento algum, alegando dificuldade com a realização dos estudos.

O segundo fator foi a preocupação com algumas substâncias químicas presentes nos produtos, especialmente o Triclocarban e Triclosan. A FDA incluiu mais de 20 pesquisas que encontraram efeitos colaterais que poderiam ser provocados por essas substâncias.

Mas e aí, com qual frequência tomar banho?

Se a preocupação for apenas com a saúde e não com o mau odor e a aparência, de uma a duas vezes por semana. “Seu corpo é uma máquina bem planejada. Um banho diário não é necessário”, disse C. Brandon Mitchell, professor de dermatologia da Universidade George Washington.

Apesar disso, é claro que o fator social influencia nessa decisão. Uma outra pesquisa descobriu que a falta de higiene e os maus odores são alguns dos principais motivos para o término de um relacionamento.

Se você quiser tomar banho todos os dias, a recomendação é não ensaboar todo o corpo. Dr. Mitchell recomenda apenas passar sabonete nas axilas, na bunda e na virilha – áreas com odores mais acentuados.

Fonte(s): https://super.abril.com.br/saude/eua-proibem-sabonetes-que-matam-ate-999-das-bacterias/, http://time.com/4259559/shower-soap-hygiene/
Gustavo Torniero
Jornalista curioso no âmbito profissional e nas horas vagas. Escreve conteúdos otimizados para motores de busca e já publicou reportagens em veículos de comunicação, foi sócio e apresentador do Programa Zuada, para cerca de 900 cidades ao redor do Brasil e é ativista na área de acessibilidade e inclusão de pessoas com deficiência. É cego, mas isso fica por último porque é só um detalhe.

Tá na rede!

Quero mais!

Veja mais artigos!

Em caso de chefe
clique aqui