• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Crossfit Mental

chevron_left
chevron_right

Tiny Furniture (Vale 8,5) #PraAssistir

Quando a Ovelha Negra da família resolve crescer.

Hey personas!

Imagine alguém que é inteligente, tem um humor peculiar, escreve, atua e ainda dirige seus próprios roteiros.  F*** né?

E se eu disser que essa pessoa fez  tudo isso antes dos 25 anos? Muito f*** ne?

Lena Dunham é a jovem americana talentosa pra cara*** que atuou, escreveu, e dirigiu o filme dessa semana: “ Tiny Furniture”

 

 Tiny Furniture (2010)

 

Já que a menina fez tudo no filme, dá pra se esperar que ele seja meio que inspirado na vida dela, pelo menos é o que a gente deduz, visto que trata-se das desventuras da jovem Aura (Lena Dunham) recém formada, que volta à casa da mãe e tem que redescobrir como é a vida por lá.

 

 

O lance todo é ainda mais autobiográfico porque a mãe(Siri) e a irmã (Nadine) dela na trama, são a mãe (Laurie Simmons) e a irmã (Grace Dunham) de verdade!

Imagine a sintonia e a verdade que rola na maioria das cenas…

 

 

No filme, a mãe dela é uma artista renomada, e a irmã uma estudante mega inteligente com perspectivas de um futuro brilhante.

E ela é apenas uma menina perdida sem saber o que vai fazer com a sua vida agora que tem um diploma em mãos e quase nenhuma perspectiva pela frente.

Aura decide então começar a trabalhar com algo fora da sua área de graduação pra ganhar uma grana (quem nunca?), e assim acompanhamos a nova rotina dessa nova adulta que não tem ideias tão novas assim pra se livrar da opressão que sente por ter a vida inteira a esperando e não ter noção alguma do que fazer com ela!

 

 

As cenas são repletas de um humor bem peculiar, que na maioria das vezes carrega uma crítica bem sutil a certos padrões e linhas de pensamentos que seguimos sem nem nos darmos conta.

E, o que torna o filme ainda mais interessante, é o fato de Lena não tem a mínima vergonha de se colocar nas situações mais degradantes  e desconcertantes – lembrando que como foi ela quem escreveu, ela sabia que iria representar aquela situação – e eu duvido você não se identificar ao menos uma vez com algumas dessas vergonhas vividas por ela!

 

 

O filme é considerado “indie” e, por isso, talvez possa causar certa estranheza em espectadores que gostam de filmes mais clássicos, com roteiro com início, meio e fim e uma linguagem mais quadrada.

Mas mesmo assim se joga pra ver qual é a sua cat! E depois me conta o que você achou.

 

 

É muito legal ficarmos atentos à esse pessoal mais novo que tem muito a dizer, e, consequentemente a nos inspirar!

 

ACOMPANHOMETRO

Filme bom para ver com seus amigos de faculdade… ou sozinho, se quiser refletir um pouco

 

HUMORMETRO

Pode assistir tranquilo. Só não muito deprê, pq as vezes as ironias tão verdadiras de Dunham podem te deixar um pouquinho mais pra baixo…

 

VALE A PIPOCA?

Opa! E muita, pra preencher um pouco do vazio que todos carregamos! há!

 

PRÊMIOS

O longa venceu alguns prêmios em festivais de cinema independente.

 

TRILHA SONORA

A trilha não é tão marcante, mas embala bem o filme tem várias bandinhas indies que aparecem pra adocicar um pouco as coisas.

 

Nota

8,5

 

Bom filme,

Beijo!

 

 

Line Macedo – Formada em Comunicação Social, apaixonada por produtos audiovisuais de qualidade, adora assistir programas trashs na TV ao lado de pessoas com um senso de humor apurado. Falar, rir e dançar são os verbos que mais pratica. Pretende, sem pretensões, indicar nessa coluna filmes que em sua humilde opinião, deveriam ser visto por outras pessoas, porque né? Existem tantos filmes incríveis…

SOS Solteiros
Arquivo - Sempre tem jeito.

Tá na rede!

Quero mais!

Veja mais artigos!

Em caso de chefe
clique aqui