Otonamaki: Se amarrar em posição fetal é a nova tendência oriental para tratar a saúde
  • Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Sinta-se Bem

chevron_left
chevron_right

Otonamaki: Se amarrar em posição fetal é a nova tendência oriental para tratar a saúde

Capaz de aliviar o estresse, a sensação é de gravidade zero.

Redação - Almanaque SOS Publicado: 16/01/2018 11:48 | Atualizado: 16/01/2018 17:23

Algumas técnicas e terapias orientais, como a meditação e a acupuntura, antes de serem aceitas pela sociedade ocidental causaram grande estranheza quando deram as caras por aqui.

Uma nova terapia criada lá na “terra do Sol nascente” segue essa tendência e vem causando burburinho na rede simplesmente porque consiste em embrulhar as pessoas em grandes pedaços de tecido, como grandes trouxas de roupa.

A técnica, chamada de “Otonamaki“,  é como se fosse uma versão para adultos de uma outra técnica oriental conhecida como “Ohinamaki“, que consiste em embrulhar da mesma maneira bebês recém nascidos, de forma que eles fiquem numa posição similar a que se encontravam dentro da barriga de sua mães, dando tranquilidade para a criança.

De acordo com a BBC, o objetivo do Otonamaki, que foi desenvolvido em 2015 pela parteira Nobuko Watanabeé, é melhorar a postura, dando mais flexibilidade aos músculos do quadril pernas e ombros. Porém, inicialmente a técnica era voltada apenas para mulheres que tiveram filhos recentemente e só depois se popularizou entre outros grupos, incluindo homens.

Segundo um jornalista do site Tokyo Weekender que participou de uma das sessões, o grande barato mesmo é a sensação de liberdade que ficar amarrado nesse “casulo de tecido” proporciona à nossa mente.

Conforme conta o jornalista, tudo é feito com muito cautela e o profissional preocupa-se em te deixar na posição mais confortável possível, além disso, mesmo envolto ao tecido, a respiração flui naturalmente e não existe a sensação de claustrofobia.

Depois de já embrulhadinho, o fisioterapeuta ou massagista balança gentilmente seu corpo, de um lado para o outro. De acordo com o relato, a sensação é similar a de estar embaixo da água, o peso do seu corpo deixa de existir, quase um efeito de gravidade zero, o relaxamento torna-se inevitável.

Benefícios são reais?

Embora ainda não exista uma pesquisa científica focada em analisar os resultados que a prática do Otonamaki causa em nosso corpo, segundo o site FitDay, devido as diferentes posições que seu corpo pode ficar dentro “da trouxa”, é possível que se tenha os mesmos benefícios encontrados na prática da Yoga, como o alívio da ansiedade e depressão, por exemplo.

Segundo uma matéria da revista Men’s Health, o movimento de balanço realizado também causa uma sensação de massagem, capaz de aliviar todo o estresse.

Um jornalista da Vice também participou de uma das sessões e comprovou esses efeitos. Embora, de acordo com seu relato, ele não tenha realmente notado alguma diferença significativa em sua postura, a sensação de leveza, tranquilidade e bem estar que ele encontrou após ter praticado a técnica foram inegáveis.

Mas pode não ser para todos

Por ser uma técnica nova, ainda sem comprovações científicas, há quem acredite não ser uma boa ideia embrulhar-se em uma trouxa de tecidos.

De acordo com Visvanathan Ravi, fisioterapeuta de Singapura, ficar nessa posição fetal por cerca de 30 minutos (tempo que geralmente as sessões duram), pode acarretar em problemas de coluna, ou seja, segundo o profissional, o Otonamaki pode resultar justamente no oposto do prometido.

“Discordo totalmente com este método de tratamento. O jeito que eles (pacientes) são embrulhados pode levar ao desgaste muscular no logo prazo. Se uma pessoa fica nesta posição por 30 minutos, tenho certeza de que terá problemas de coluna. Fazer este tratamento não é aconselhável”, revelou o profissional à BBC.

De qualquer forma, não encontramos nenhuma técnica parecida aqui no Brasil, inclusive, até lá em seu país de origem a prática ainda é pouco conhecida.

Portanto, caso tenha ficado na vontade de experimentar o tratamento, aconselhamos consultar um fisioterapeuta para saber se você está apto à realizá-lo e caso já possua algum problema de coluna, o melhor conselho é ficar longe desse “embrulho”.

 

Veja abaixo um vídeo mostrando como a técnica é realizada, publicada pelo canal NipponNewsNet (em japonês):

Fonte(s): The Scene - Facebook, BBC Brasil, Tokyo Weekender, FitDay
Redação - Almanaque SOS
Sempre tem jeito. Acompanhe o SOS também pelo Facebook e Instagram .

Tá na rede!

Quero mais!

Veja mais artigos!

Em caso de chefe
clique aqui