• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Comes & Bebes

chevron_left
chevron_right

Shoyu falso: Descobriram que o molho de soja (quase) não tem soja no Brasil

Era pra ser soja, mas o milho é tão baratinho.

Para quem é fã de comida japonesa e/ou não dispensa uns temperinhos asiáticos, ter sempre um frasquinho de molho shoyu em casa é indispensável.

Mas todo esse amor pode mudar agora! Pesquisadores descobriram que o molho de soja que você tem aí na sua geladeira deveria ter outro nome, simplesmente porque o ingrediente básico é justamente o que tá faltando na receita.

Pesquisadores do Centro de Energia Nuclear na Agricultura e da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, ambos da USP,  analisaram a composição química de 70 amostras de shoyu vendidos no Brasil e publicaram os resultados deste estudo na revista científica Science Direct.

Em países como China, Japão e Coreia do Sul, a matéria prima principal do molho shoyo é a soja, juntamente com proporções bem menores de outros cereais. Porém, para a “surpresa” geral da nação, os cientistas constataram que, assim como a cerveja brasileira, os molhos vendidos por aqui são feitos com milho.

Na pesquisa foi constatado que em média, os molhos tinham menos de 20% de soja em sua composição, e o milho era a “estrela principal” da listinha de ingredientes. De acordo com o grupo de cientistas, provavelmente o uso do milho no lugar da soja se deve por questões financeiras; evidentemente, visando aumentar o lucro.

Como o preço da soja custa o dobro do preço do milho aqui no país, acredita-se que os fabricantes tenham optado por essa saída para baratear a produção, mesmo que essa iniciativa tenha criado um molho diferente; que de acordo com os pesquisadores pode ser tudo, menos molho shoyu de verdade.

“O que a indústria brasileira oferece ao consumidor não é shoyu propriamente dito, é um molho escuro e salgado elaborado a partir de milho, que deveria ter outro nome”, revela a bióloga Maristela Morais, uma das coordenadoras do grupo de pesquisa.

Ainda segundo a bióloga, essa tática não é totalmente ilegal, pois a legislação brasileira não especifica a quantidade de cada cereal que deve ser usado na fabricação do molho. Então se quiser um molho de soja realmente de soja, a dica é comprar em importadora de produtos orientais. É mais caro, mas é garantido.

Fonte(s): Revista Pesquisa Fapesp, UOL
Redação - Almanaque SOS
Sempre tem jeito. Acompanhe o SOS também pelo Facebook, Instagram e Twitter

Tá na rede!

Quero mais!

Veja mais artigos!

Em caso de chefe
clique aqui