• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Atitude Coletiva

chevron_left
chevron_right

Separados por 100 anos: Freud e Drauzio Varella dizem a mesma coisa sobre a ‘Cura Gay’

Homossexualidade não é doença.

Há poucos dias foi divulgada a decisão do juiz federal de Brasília, Waldemar Cláudio de Carvalho, que concedeu uma liminar permitindo o tratamento de “reorientação sexual” aos homossexuais.

Segundo o documento, mesmo não sendo considerada uma patologia, o Conselho Federal de Psicologia não pode mais censurar ou proibir psicólogos de realizarem o suposto tratamento. Ou seja, não é doença, mas o que chamam de “cura gay”, está liberado.

Trecho da liminar permitindo que a reorientação sexual, vulgo ‘cura gay’, seja estudada, apesar da prática não ser reconhecida como eficaz pelos órgãos oficiais de psicologia (CFP), nem de medicina (CFM) e nem pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A homossexualidade deixou de ser considerada doença pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 1990. Quase dez anos depois, em 1999, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) brasileiro estabeleceu normas para a atuação dos psicólogos em relação à orientação sexual.

# Parágrafo único – Os psicólogos não colaborarão com eventos e serviços que proponham tratamento e cura da homossexualidade.

E muito antes disso, em 1935, Sigmund Freud, o pai da psicanálise, já havia explicado o porquê disso em uma carta para uma mãe desconsolada pela orientação sexual do filho.

“Lendo a sua carta, deduzo que seu filho é homossexual. Chamou fortemente a minha atenção o fato de a senhora não mencionar este termo na informação que acerca dele me enviou. Poderia lhe perguntar por que razão? Não tenho dúvidas que a homossexualidade não representa uma vantagem, no entanto, também não existem motivos para se envergonhar dela, já que isso não supõe vício nem degradação alguma.

Não pode ser qualificada como uma doença e nós a consideramos como uma variante da função sexual, produto de certa interrupção no desenvolvimento sexual. Muitos homens de grande respeito da Antiguidade e Atualidade foram homossexuais, e dentre eles, alguns dos personagens de maior destaque na história como Platão, Miguel Ângelo, Leonardo da Vinci, etc. É uma grande injustiça e também uma crueldade, perseguir a homossexualidade como se esta fosse um delito. Caso não acredite na minha palavra, sugiro-lhe a leitura dos livros de Havelock Ellis.

Ao me perguntar se eu posso lhe oferecer a minha ajuda, imagino que isso seja uma tentativa de indagar acerca da minha posição em relação à abolição da homossexualidade, visando substituí-la por uma heterossexualidade normal. A minha resposta é que, em termos gerais, nada parecido podemos prometer. (…)

A análise pode fazer outra coisa pelo seu filho. Se ele estiver experimentando descontentamento por causa de milhares de conflitos e inibição em relação à sua vida social a análise poderá lhe proporcionar tranquilidade, paz psíquica e plena eficiência, independentemente de continuar sendo homossexual.

A carta original de Freud à mãe.

Os estudos sobre a orientação sexual egodistônica, citada pelo processo, mostram que as terapias de reorientação sexual apenas levam o indivíduo a reprimir seus desejos e provocam mais conflitos e sofrimentos. Portanto são contra-indicadas pelos órgãos responsáveis.

Um vídeo do famoso médico e youtuber nas horas vagas, Drauzio Varella, publicado em 2014, voltou a circular nas redes sociais por esclarecer um pouco sobre esse assunto.

“A homossexualidade é uma ilha cercada por ignorância de todos os lados”.

É assim que o doutor começa seu vídeo.

De acordo com o profissional, boa parte das pessoas que se opõe à homossexualidade tem a ideia absurda de que elas eram todas heterossexuais, mas por pura “safadeza”, acabam “jogando no outro time”.

Isso é uma estupidez. Ninguém decide a própria sexualidade, afirma do doutor. Segundo ele, a orientação sexual se impõe, não há como escolher. Afinal, você que é hétero, se lembra quando decidiu tomar esse rumo para seus relacionamentos?

Aqueles que acham que é um desvio, uma aberração da natureza, dizem por ignorância, pois se assim fosse, ela seria exclusiva aos seres humanos, porém, praticamente todos os animais tem esse comportamento, como répteis, pássaros, primatas, etc. Os bonobos, por exemplo, costumam resolver muitos problemas de tensão pela via homossexual, informou Varella.

“A homossexualidade é um tipo de comportamento sexual tão respeitável quanto a heterossexualidade. Discriminar os homossexuais por causa do próprio comportamento, por causa do tipo de desejo que eles têm, é uma ignorância absurda. Você pode controlar o comportamento. Você vive numa sociedade heterossexual, então você se comporta daquele jeito, como se comportaria numa sociedade homossexual. Mas você não controla o desejo. O desejo humano é incontrolável. Comportamento pode ser, mas o desejo não há como controlar.” – explicou o doutor.

Igreja vs. Homossexualidade

Varella tocou nesse tema delicado, mas extremamente importante. No momento em que vivemos, onde a religião parece ter tomado as rédeas do nosso país, parece ser primordial estabelecermos os limites entre igreja e sociedade.

“E aqueles que são visceralmente contra, esses pastores de almas, que acham que a homossexualidade é um crime, que é um pecado contra a natureza, contra Deus, tudo bem, que eles prescrevam isso, que eles coloquem fora da igreja deles as pessoas que têm esse tipo de comportamento. Mas eles não podem impor isso contra nós [a sociedade]”.

Segundo o doutor, a igreja e seus líderes não pode estabelecer as regras de sua religião para toda a sociedade, impor direitos, achar que todos devem concordar com posicionamento imposto por eles, como foi o caso das polêmicas envolvendo o casamento gay, tema amplamente discutido em 2014.

Se você é contra o união matrimonial entre pessoas do mesmo sexo, não realize na sua igreja, não vá ou não se case com alguém do mesmo sexo. De resto, nada é da sua conta.

Questione-se!

E por fim, encerrando o vídeo, Dr. Drauzio Varella levanta um questionamento que deveria ser seriamente considerado por aqueles que possuem alguma coisa contra a homossexualidade. Como podemos observar, o único comportamento não natural nessa história toda é alguém se importar e censurar uma pessoa pelo simples fato dela se relacionar com alguém do mesmo sexo.

“Vou te perguntar uma coisa: que diferença faz para você, para a sua vida pessoal, se o seu vizinho dorme com outro homem, se a sua vizinha é apaixonada pela colega de escritório? Que diferença faz para você? Se faz diferença, procura um psiquiatra. Você não tá legal.” – finaliza Varella.

Uma marcha LGBT em protesto contra a decisão do juiz está sendo organizada em diversos estados brasileiros. Em São Paulo, ela acontecerá nessa sexta-feira, dia 22/09, às 17 horas, lá no vão do MASP. Para mais detalhes, clique aqui.

Veja abaixo o vídeo completo do Dr. Drauzio Varella:

Fonte(s): Buzzfeed News BR, Drauzio Varella - Youtube, Psicologia MSN, Feminismo
Redação - Almanaque SOS
Sempre tem jeito. Acompanhe o SOS também pelo Facebook, Instagram e Twitter

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui