• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Vai, planeta!

Se você tem um PUG ou BULLDOG, cuidado com as piscinas!

Alguns cães não têm estrutura física para nadar sem se afogar.

Assim como os seres humanos, cães adoram nadar. Ainda que no primeiro momento, o animalzinho tenha um pouco de medo de entrar na água, pouco a pouco ele vai se acostumando. Se o tutor estiver junto na água, o prazer será ainda maior.

A natação é uma das atividades físicas mais completas para os caninos. Assim, como pessoas, cachorros também gostam de diversificar na prática de exercícios. No verão, o calor sufoca os cães e o banho é uma ótima ideia para refrescar os bichinhos.

Porém, alguns cães não têm estrutura física para nadar sem se afogar. Por isso, antes de colocar o animal na água, é importante ter conhecimento sobre sua capacidade de nadar sozinho ou se ele precisará de uma boia para ajudá-lo.

Segundo a médica veterinária Alessandra Machado, da TechVet  Centro de Castração Animal, cães como Pug e Bulldog (inglês, americano e francês) entram na lista dos maus nadadores por serem braquicefálicos, ou seja, por terem “focinho achatado”.

Por terem um focinho pequeno, esses bichinhos tem dificuldade de inspirar e expirar, ou seja, dificuldade para liberação do calor  em cães, a liberação do calor é feita pela respiração. Por isso é comum entre os braquicefálicos a chamada síndrome respiratória.

A veterinária ressalta que “o tutor do animal precisa conhecer bem suas particularidades e necessidades”. O aumento da temperatura corporal dos cães braquicefálicos podem gerar grandes sofrimentos para eles, e até mesmo resultar em paradas cardiorrespiratórias, problemas cardíacos, desmaios, entre outros.

Em consequência dessa dificuldade de liberação do calor, muitos donos pensam brincar com o seu cachorrinho na piscina. No entanto, cães, com essa condição física, não conseguem nadar, afundam e podem até mesmo morrer.

Segundo a médica-veterinária Gabriella Santana, da Clínica Pet Center, “isso acontece porque muitos têm a cabeça muito grande para o corpo, ou porque as patas são muito curtas e incapazes de mantê-los com a cabeça para fora da água”. Além dos braquicefálicos, cães muito pesados também não conseguem nadar.

Entre os cachorros que não se dão bem em piscinas, as raças mais conhecidas são:

1. Bulldog Inglês

Canal do Pet, https://canaldopet.ig.com.br/curiosidades/racas/2017-10-23/racas-de-cachorro-nadar.html

Essa raça tem um corpo naturalmente pesado e por ter o focinho achatado, a respiração dele é prejudicada e tem dificuldade para não afundar.

2. Pug

O Pug além de ser braquicefálico, tem as patas curtas o que dificulta o equilíbrio na água.

3. Bull Terrier

A cabeça do Bull Terrier é muito pesada, por isso ele não consegue manter a cabeça fora da água tempo suficiente para respirar.

4. Pequinês

O Pequinês tem uma estrutura corporal parecida com a do Pug, patinhas curtas e focinho achatado, por isso não consegue nadar sem afundar.

5. Boxer

O boxer tem dificuldade de nadar por ter a cabeça achatada e o corpo muito pesado.

6. Dachshund

A raça conhecida como “salsichinha” tem uma longa coluna sustentada por pernas curtas, o que torna um peso muito grande e dificulta o equilíbrio na água.

7. Bulldog Francês

Por causa do focinho achatado e a estrutura física, o Bulldog Francês não consegue se manter boiando na água.

“Mesmo que alguns cachorros braquicefálicos consigam nadar, eles são uma exceção e merecem atenção constante durante a atividade, pois, podem se cansar muito rápido devido aos problemas respiratórios”, afirma Gabriella.

Por causa dessa condição física, cães de focinho achatado (braquicefálicos) necessitam de cuidados especiais. Principalmente no calor, isso porque esses cãezinhos sofrem demais com temperaturas altas.

De acordo com Halina Medeiros, do “Canal Tudo Sobre Cachorros”, acima de 25º é muito calor para um cachorro braquicefálico.

Como refrescar esses cães então?

Segundo Halina, a solução para diminuir o calor do seu cãozinho, quando ele não pode nadar sozinho é utilizar:

1. Coletes salva-vidas próprios para cães

2. Piscina rasa para que brinquem com água

3. Tapete gelado para cães

Mas, se você não tiver muito espaço na sua casa, a médica veterinária Gabriella Santana indica o uso do tapete gelado para cães, além de sempre trocar a água do cachorrinho por uma fresca, nunca gelada para não dar choque térmico. Inclusive já falamos dele aqui.

Atenção! Mesmo se com todos esses cuidados o seu animalzinho sofrer hiperaquecimento, a medida a ser tomada é procurar um veterinário o mais rápido possível.

Se no momento não conseguir atendimento, a veterinária Alessandra Machado orienta:

“Ligar um ventilador em frente ao focinho dele e borrifar água nele. Pode também oferecer água fresca se ele estiver consciente. Caso ele esteja desacordado não force a ingestão de água”.

Cuide bem do seu cãozinho, ele é o seu melhor amigo.

Fonte(s): Tudo sobre cachorros, Meus animais, Tudo sobre cachorros - Youtube, Canal do Pet, Baú das DICAS - Facebook
Aline Vilela
Jornalista, se acha blogueira de Instragram. Gosta de tirar selfies e fotos do look do dia. Não come queijo, só se for na pizza (como é que é?). Arroz é por baixo e feijão por cima. Ama ler e passou a adolescência entretida com romances água com açúcar.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui