• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato

Sinta-se Bem

Vídeo viral diz que “salsicha também pode ser saudável”, será?

Entenda o que acontece quando misturamos fibras vegetais com a proteína da salsicha.

Bruno Oliveira Publicado: 27/10/2022 09:15 | Atualizado: 28/10/2022 13:03

A criadora de conteúdo sobre alimentação, Maria Inove publicou um vídeo em seu TikTok no qual ela monta uma refeição diferenciada.

Ela mostra um prato dito como “saudável” composto por brócolis, ovo, purê de batata baroa com batata inglesa, mandioquinha e, no meio, a inusitada salsicha grelhada. O vídeo chegou a mais de 100 mil visualizações, apenas na conta oficial da autora na plataforma.

@mariainove9Prato com salsicha, também pode ser saudável.♬ som original – mariainove9

Para Maria, comer salsicha todos os dias faz mal para a saúde, mas a fibra presente nos alimentos que acompanham o embutido ajudariam a metabolizar os danos causados pela ingestão da proteína processada. E o benefício proteico que a salsicha gera, no fim, acabaria compensando.

Além disso, o principal argumento do vídeo gira em torno de oferecer uma alternativa de refeição saudável e financeiramente acessível para as pessoas que, segundo a autora, não teriam acesso a outra fonte de proteína, além da salsicha.

“E se só tiver salsicha? A gente come o que pode, a gente come o que tem.”, nas palavras da autora da receita.

Conversamos com especialistas da área de alimentação e nutrição para saber a opinião deles a respeito desse argumento e aproveitamos para aprender um pouco mais sobre a salsicha no processo.

Vale dizer que também entramos em contato com a Maria, para que pudesse nos dar mais detalhes sobre as informações do vídeo, mas até o momento da publicação deste artigo não recebemos retorno.

 

Antes de tudo, o que precisamos saber sobre a salsicha

1. Do que é feita a salsicha?

Segundo Renata Octaviani Martins, especialista pós-graduada em Gastronomia Vegetariana com experiência profissional em cozinha vegana desde 2008, esse alimento é uma mistura de carnes ultraprocessada.

“A salsicha é um produto cárneo ultraprocessado e que em sua forma comercial mais comum é elaborado a partir de uma mistura de carne mecanicamente separada de aves, carne suína e/ou bovina, miúdos suínos e de aves, gordura suína e/ou óleos e gorduras vegetais, amido de milho, proteína de soja, glicose de milho ou açúcar, condimentos, glutamato monossódico, corante, estabilizantes, sal e nitrito de sódio e/ou nitrato de sódio (conhecidos por sal de cura).”, explica a especialista que também tem treinamento internacional na Vegetarian Cookery School – Vegetarian Society (UK) e é idealizadora do empreendimento Favas Cozinha.

Atenção ao “nitrito” e “nitrato’, que logo mais a gente fala neles de novo.

 

2. Por que comer salsicha todo dia faz mal?

Thiago Bronze Dias, nutricionista desde 2016 com especialização em nutrição clínica com foco no atendimento em consultório, conta que esse tipo de alimento já foi classificado como cancerígeno:

“As carnes processadas foram classificadas pela OMS como cancerígenas, devido a adição dos nitratos e nitritos que ajudam na conservação do produto, por isso não devem ser consumidas diariamente.”, relata o nutricionista que tem conhecimentos em suplementação na atividade física, dietas vegetarianas, personal diet e atendimento ao paciente vegano.

 

3. Como os nitratos e nitritos atuam na nossa alimentação?

De acordo com estudo publicado pela Unisepe, nitratos e nitritos são aditivos alimentares salinos que contribuem para a fixação da cor avermelhada da salsicha e que têm ação bacteriostática. Ou seja, é um aditivo capaz de inibir o desenvolvimento das bactérias, sejam elas maléficas ou não.

Ainda segundo o estudo, esses aditivos têm como função retardar a deterioração do alimento e evitar as alterações no mesmo, tanto na aparência como no sabor. Todavia, ao longo prazo e com o consumo frequente, pode fazer mal à saúde, podendo causar, inclusive, câncer gastrointestinal.

Quem explica um pouco mais sobre os nitratos e nitritos é o Diego Fernandes Bittencourt, gastrólogo pela Universidade Vila Velha e nutricionista pela Universidade Federal de Juiz de Fora:

“A salsicha, é um embutido, industrializado rico em nitrato e nitrito, que, ao serem aquecidos, durante o processo de produção da salsicha, e durante a sua digestão no estômago formam as nitrosaminas, que é um composto cancerígeno.”

O especialista vai além e também comenta sobre o consumo moderado do produto:

“Carnes processadas, embutidos e produtos com muitos conservantes, sempre estiveram na nossa alimentação. O importante é manter o equilíbrio e evitar ao máximo, dentro do possível.”, explica Diego.

Em suma, apesar de ser uma proteína animal ultraprocessada, quando consumida com moderação, a salsicha de fato não deve apresentar grandes riscos à saúde.

Ademais, você também pode abrir mão da salsicha se tiver arroz e feijão no prato que, mesmo sem carne, quando unidos tornam-se uma fonte riquíssima de proteína.

 

Como a fibra de outros alimentos ajuda a diminuir os danos da salsicha?

Resposta rápida: sim. Thiago Bronze Dias confirma que, de fato, as fibras ajudam a reverter os danos causados pelo alimento ultraprocessado.

“Se por um lado a carne processada pode contribuir para um câncer intestinal, as fibras podem fazer você ter uma saúde intestinal impecável. Não é que a fibra ajuda a metabolizar a salsicha, o benefício de uma ajuda a reverter o dano causado pela outra.”

“Os conservantes da salsicha também são agressivos para as bactérias benéficas do nosso intestino. Sendo assim, as fibras além de servir como alimento para essas bactérias, também ajudam a manter o volume do bolo fecal e evitar que os conservantes circulem de forma mais “livre”, atingindo um número menor dessas bactérias.”, complementa o especialista Diego Bittencourt.

Em outras palavras, as fibras presentes na refeição ajudam a alimentar a nossa flora intestinal, reduzindo e, em alguns casos, até evitando o efeito inibidor dos conservantes.

 

O que precisamos saber sobre alimentos ricos em fibras

1. Quais tipos de alimentos são ricos em fibras?

Quem tem a palavra é a especialista Renata Octaviani Martins:

“Boas fontes de fibras, são os:

  • cereais integrais,
  • sementes,
  • leguminosas,
  • algas,
  • verduras – incluindo seus talos, frutas e legumes, incluindo suas cascas e ramas,
  • além de cogumelos.”

 

2. Quais os principais benefícios da fibra para o nosso organismo?

O nutricionista Diego Fernandes Bittencourt explica que esse nutriente é essencial para a saúde do nosso intestino:

“As fibras são reguladoras e possuem várias funções no processo de digestão:

  • elas trazem volume e ajudam a manter a água no bolo fecal, evitando fezes ressecadas;
  • auxiliam no movimento peristáltico, regulando o tempo de digestão;
  • são alimentos para as bactérias benéficas do nosso intestino;
  • e essenciais para a saúde intestinal.”

 

Acessível para quem?

Um dos pontos que mais chama atenção no conteúdo da Maria é pelo cardápio montado ser uma alternativa para pessoas que não teriam condições financeiras de acessar diversas fontes de proteína, como carnes, soja, entre outros.

Lembrando novamente que a duplinha arroz com feijão é uma excelente fonte proteica.

Entretanto, visto que mais de 61 milhões de pessoas vivem em situação de insegurança alimentar no Brasil em 2022, talvez a realidade seja um tanto diferente:

“Se a pessoa tiver condição de comprar brócolis, fazer com ovo e batata baroa/mandioquinha (que são vegetais caros), ela não precisa comprar salsicha como única fonte de proteína.

Pessoas que realmente só conseguem comprar salsicha comem um prato com arroz, farofa e salsicha, sem nenhum vegetal.”, indaga Thiago Bronze.

Em suma, fazer uma dieta rica em fibras realmente pode reverter o malefício da salsicha, desde que ela seja consumida com moderação. Sendo o mais importante observar a qualidade dos nutrientes ingeridos.

Fonte(s): Pensamento Verde, aborda, InspirAção LEPS, Ministério da Saúde, World Heath Organization, Frimesa
Bruno Oliveira
Atleta virtual, jornalista, podcaster e gamer de esquerda nas horas vagas. Acredita piamente na capacidade do ser humano de ser melhor, sempre. Dog person e pernambucano, observa o mundo em camadas.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui