• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato

Crossfit Mental

chevron_left
chevron_right
Patrocinado

Escreva a redação dissertativa-argumentativa perfeita em 2 passos simples

Estrutura e repertório, duas coisas que você precisa ficar de olho.

Dario C L Barbosa Publicado: 19/05/2022 14:40 | Atualizado: 19/05/2022 14:40

Sempre há espaço para aprimoramento da escrita indiferente da sua experiência como escritor. Assim como um aluno do oitavo ano tem que aprender a sintetizar seus pensamentos em um esquema com a gramática e estrutura corretas, um aluno que acabou de ingressar na universidade ainda verá como sintetizar seu conhecimento na estrutura de um TCC seguindo as normas da ABNT.

Ou seja, não se preocupe se suas notas estão abaixo do resultado almejado ou se sua escrita possui diversas lacunas sob seu próprio julgamento, afinal, todos estamos em processo de aprendizagem.

O fato de que você percebeu que está errando em algum aspecto da sua escrita e decidiu estudar para solucionar o problema já é o primeiro passo para a mudança e você deveria se orgulhar disso, por isso, não compare o seu progresso e habilidade com o de seus colegas.

A pressão posta principalmente sobre jovens que pretendem fazer o ENEM e vestibular em relação à redação é enorme, por isso há diversos recursos disponíveis e eficazes como o esqueleto pronto de redação para copiar e cursinhos pagos. No entanto, o aprendizado orgânico ainda é fundamental para o seu crescimento pessoal, além de prover diversas habilidades que serão úteis no futuro.

 

Primeiro passo: tenha conhecimento da estrutura

A estrutura é aspecto fundamental de qualquer gênero textual, porém seu protagonismo ganha ainda mais destaque nas redações para concurso e vestibular. Para você ter uma ideia, se seu texto for bem estruturado já são duzentos pontos garantidos no ENEM por conta das competências.

Uma boa estrutura vai além do conceito básico de que um texto deve ter começo meio e fim, nesse caso mais especificamente: introdução, desenvolvimento e conclusão. Isso se dá ao fato que o número de linhas utilizado em cada parágrafo e a distribuição das ideias são analisadas no processo avaliativo.

Por exemplo: uma introdução que foca demais na contextualização (explicação do repertório demasiadamente longa) e utiliza apenas uma ou duas linhas para relacionar o repertório à tese é uma introdução mal planejada, caracterizada como uma falha estrutural.

A mesma coisa acontece quando há a inserção de novas linhas de pensamento no parágrafo de conclusão, propostas de intervenção nos desenvolvimentos, entre outros.

Uma boa maneira para que você se acostume com a estrutura do gênero e torne sua redação descritiva, é pelo método da osmose. Tal método refere a absorção do conteúdo através da familiarização do escritor com o gênero textual, ou seja, utilize de uma redação base e de um modelo de redação para começar a entender a estrutura.

 

Segundo passo: divida seu repertório em específico e flexível

Ser conhecedor de temas atuais e lembrar o nome de diversos autores não terá relevância nenhuma para sua carreira acadêmica caso você não saiba aplicar esse conhecimento em sua redação, ou caso o tema não seja análogo ao seu repertório.

Nesse caso, você deve ter um repertório “coringa”, que seja aplicável em múltiplos temas dos mais diversos setores. Por exemplo: os Objetivos de Desenolvimento Dustentável (ODS) da ONU abrangem os mais variados setores da sociedade, desde a preservação do meio ambiente à erradicação da pobreza e do preconceito.

Além de abraçar uma grande variedade de tópicos, citar os ODS conta como argumento de autoridade, uma fonte confiável de informação que irá substanciar sua tese e futuramente os seus argumentos.

Os repertórios coringa não são limitados apenas à documentos governamentais, por exemplo, se você é amante do mundo da arte pode utilizar o álbum do seu artista favorito como repertório. Citando caso análogo, o álbum K12 da artista Melanie Martinez abrange uma grande variedade de tópicos de maneira ambígua, ou seja, que poe ser aplicada em diferentes situações para diferentes temas.

Exemplificativamente: as músicas detention, principal’s office e drama club podem ser aplicados tanto como crítica ao setor administrativo e às normas impostas pela sociedade quanto à falhas estruturais no atual sistema educacional.

Há também a possibilidade de utilizar ambos os tipos de repertório, caso você tenha repertório para a introdução mas falte conteúdo para os dois páragrafos de desenvolvimento. Concluindo, a criatividade requerida para aplicar repertórios coringa de maneira correta irá fazer muito mais do que apenas te salvar em uma prova, afinal, esse poder de criação te ajudará a organizar suas ideias e a se tornar um escritor melhor.

Study Bay conteúdo de responsabilidade do anunciante
Dario C L Barbosa
Fundador e editor do Almanaque SOS. Paulistano, formado em Comunicação Social, trocou o rádio e a televisão pela internet em 2012. Vegetariano, meditante, na luta por consciência e equidade. ( Twitter - Instagram ).

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui