• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Comes & Bebes

chevron_left
chevron_right

Quentão é feito com Pinga ou Vinho? A resposta definitiva!

Afinal, qual versão da bebida mais querida da Festa Junina é a original?

Junho chegou e com ele as festinhas juninas que a gente tanto ama. Comidas típicas, quadrilha, aquele forrozinho e é claro: quentão.

Mas eis que renasce a polêmica: o quentão verdadeiro é feito com vinho ou pinga? Será que existe uma receita original, tradicional? De onde surgiu essa bebida que, literalmente, esquenta as festas juninas pelo Brasil?

Por ser uma região farta de vinhos, essa versão se tornou popular no Sul do Brasil, enquanto a opção com cachaça é comum no restante do Brasil, principalmente no Sudeste.

Mas quem nasceu primeiro? Esse debate acalorado esquentou até os bastidores do Wikipedia. Um dos colaboradores afirmou: “Quentão” no sul do Brasil é o mesmo que “vinho quente” na Europa e outras regiões do Brasil. “Quentão” em algumas regiões do Brasil é feito com cachaça. (…) “Quentão” é um termo ambíguo e define duas bebidas diferentes”.

Resultado: na versão final do Wikipedia, o termo “Quentão” entrou definitivamente na página “Vinho Quente“. Mas como não podemos usar a plataforma como fonte estritamente confiável, tivemos que adotar outra estratégia.

Para desvendar essa questão de uma vez por todas, recorremos à literatura. O Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa, escrito por Antônio Geraldo da Cunha e Cláudio Mello Sobrinho e publicado pela primeira vez em 1968 traz o seguinte conceito de quentão:

“Aguardente de cana-de-açúcar temperada com gengibre e canela, e servida quente.”

O folclorista Amadeu Amaral, em O Dialeto Caipira, de 1920, confirma a relação da pinga com o termo, revelando que “quentão” é uma palavra de origem caipira.

Alguns indícios históricos apontam sua origem: a pinga, genuinamente brasileira, começou a ser utilizada no preparo de uma bebida quente, que ajudava a aquecer o corpo nos dias mais frios do ano, no interior de Minas Gerais e São Paulo. Há levantamentos de que as primeiras receitas datam os primeiros anos de colonização.

Nisso, o jornalista e colunista da Panela do Anacreon também foi categórico ao afirmar: “Quentão verdadeiro é o de pinga. O outro é só ‘vinho quente'”. Outros blogs especializados, bem como receitas na internet, apontam para essa mesma conclusão.

A bebida quente feita à base de vinho e especiarias (que no Brasil pode ser conhecida como Quentão de Vinho, Vinho Quente ou mesmo Vinhão) é de origem europeia e por lá tem o nome Glühwein – e assim como o quentão no Brasil, possui algumas variações de preparo.

Vinho Quente

Já o quentão tradicional é feito a partir da cachaça. Desculpa, galera do Sul.

A receita tradicional vai apenas pinga, água, limão, gengibre, cravo e canela e, para ficar mais fiel a sua origem, ainda dá para servir em uma caneca esmaltada, mantendo a bebida aquecida por mais tempo.

Quentão clássico

Mas existem versões que desprezam o vinho e até mesmo a cachaça, apostando no conhaque, rum e frutas como o abacaxi. Então é isso, mesmo gourmetizando o quentão, a receita original continua sendo com pinga.

Fonte(s): Gazeta do Povo, Pitacos e Achados, Wikipédia, Expat Explore Travel, G1, Alambique da Cachaça, Deville, Casei no campo
Daiane Oliveira
Jornalista, feminista e mãe. Discute religião, política, sexo e hábitos sustentáveis. Não discute futebol porque não entende. Quem sabe um dia.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui