• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Crossfit Mental

chevron_left
chevron_right

Pra assistir – John Carter, entre dois mundos

Não sei se vocês perceberam, mas de uns tempos pra cá, a Disney tem se mostrado mais violenta… ainda num tem tchaca’na’butchaca, mas morte, tem pra todo lado, as coisas estão evoluindo um pouco… acho que é o hormônio do frango… antes era só o Mufasa que morria…

Eu nunca fui pra Cannes, não tenho a Palma de ouro, não tenho Urso de Ouro, Globo de Ouro… nem dente de ouro. Oscar pra mim é o tiozinho da padaria. Não tenho vinculação, não tenho poder, não tenho prestígio… Tenho uma paixão, FILMES. AMO cinema, sou FISSURADO por filmes. Estou aqui, antes de mais nada para expor uma opinião pessoal sobre o que vejo, ouço, sinto e sonho. Não espero que vocês concordem com toda e qualquer opinião, apenas tratem essa coluna como ela é, uma opinião sincera e pessoal sobre filmes. Todo bom solteiro, vira e mexe se depara com a vontade de ver um filminho. Essa coluna não trará opiniões sobre filmes em cartaz nos Cinemas, até porque, ir ao cinema sozinho é Foda, então, sabe aquela noite chuvosa? Pois é, ficam aqui algumas dicas sobre os filmes que estão nas Locadoras.. E não, isso aqui não é um Spoiler, nem uma Sinopse, é só pra você, que ainda não viu o filme e quer um ombro amigo, ou um tapinha nas costas dizendo “Vá em frente, assista” ou um “Vá de Retro, não perca tempo…”

Bom, o filme de hoje é da Disney…

Não sei se vocês perceberam, mas de uns tempos pra cá, a Disney tem se mostrado mais violenta… ainda num tem tchaca’na’butchaca, mas morte, tem pra todo lado, as coisas estão evoluindo um pouco… acho que é o hormônio do frango… antes era só o Mufasa que morria… agora, morre nego adoidado. Enfim, o filme é o:

John Carter – No Brasil – John Carter, Entre Dois Mundos. (Se distorcessem esse título já seria de mais também né)

Bom, esse filme foi um fracasso de bilheteria. Assim, FRACASSO, custou uma fortuna (250 Milhões de Dólares, pra ser mais preciso) para ser feito e só iria dar lucro se faturasse 700 milhões de Dólares (Não entendo essa matemática, e se me dessem 700 milhões de Dólares até eu dava lucro).

Foi o primeiro filme da PIXAR a usar atores reais… Foi dirigido pelo Andrew Stanton, mesmo rapaz que dirigiu filmes como Procurando Nemo e Wall.E, meus dois favoritos de animação, faltando só o UP… Mas em fim, ninguém sabia da história, ninguém conhece muito bem os atores nos papéis principais, ninguém fez alarde quando o filme saiu, e aí, deu no que deu… Prejuízo.

A história foi criada em 1912, pra vocês terem uma noção de como o lance é antigo, desde lá já tinha nego querendo mandar os outros pra Marte e achando que lá as coisas seriam mais fáceis do que aqui. Mas, no fim das contas ela é protagonizada pelo Taylor Kitsch

O John Carter, que é um ex capitão do exército americano, ressentido e amargurado, mas muito habilidoso, bonitão e encrenqueiro….

Em uma expedição, buscando uma caverna de ouro ele se depara com algumas situações estranhas e acaba indo parar em Barsoom (que é o nome de Marte, para os Marcianos, pq é claro que eles não iriam chamar Marte de Marte… seria meio… hmm, “Fácil de mais”. Podiam chamar de Lar, mas não, é Barsoom).

O lugar é habitado por algumas espécies de seres, mas principalmente por seres que parecem humanos e os tipões verdes, grandes, com vários braços…

Chegando lá, o John Carter vira tipo o herói do pedaço. Sabe Avatar? Então, tipo isso… só que mais foda. Por conta da gravidade, por conta da densidade, ele fica mais forte, mais rápido e pula que nem uma macaca xita.

Ele, por ser bastante egoísta, quer só voltar pra casa e tenta não se envolver com a guerra que tá comendo solta no planeta vermelho. Mas aí, como sempre, vem uma bacurinha, mexe com a cabeça do rapaz e muda todo o rolê… E como é bem típico dos filmes da Disney, ela é uma princesa, Dejah Thoris (Lynn Collins, não muito conhecida, mas apareceu em True Blood, X Men Origens, eu, particularmente acho ela linda).

A ideia do filme, em si, é muito interessante, muito mesmo, em pensar que o Edgar Rice Burroughs publicou o primeiro livro da série em 1912, chega a ser impressionante. O lance rendeu, foram 10 livros…

Pra quem adora um filme cheio de efeitos, com aquele humor bobinho da Disney, é um ótimo passa tempo, não agrega muito, mas é engraçadinho, e bonito de se ver. Não tente entender tudo no filme, principalmente alguns personagens, assista com a mente aberta…

Em suma, o filme ganhou:

Porcaria nenhuma.

Indicações que não vingaram:

Cri… cri… cri…. cri…

Trilha Sonora:

Ahhhh, eu achei bem boazinha, nada de surpreendente, mas serve ao propósito do filme.

Vale a Pipoca?

Olha, depende, poderia valer uma com manteiga, mas vale só uma tradicional mesmo.

Vale quanto (0 a 10)?

7

Pedro Lenti

SOS Solteiros
Publicações de Arquivo.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui