• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Vai, planeta!

Plantar em vaso: 13 respostas rápidas para as dúvidas mais comuns

Segredos revelados para a saúde e bem-estar das suas plantinhas.

Você morre de vontade de ter uma hortinha e plantas ornamentais espalhadas em toda casa, mas nunca consegue mantê-las vivas? Não sabe nem por onde começar no cultivo? Bem, plantar em vaso pode ser um desafio para muitos que estão iniciando o amor pela jardinagem.

Para facilitar sua vida, a jornalista e jardineira, criadora do canal Minhas Plantas, Carol Costa, criou um vídeo com 13 respostas rápidas para as perguntas mais comuns na jardinagem. Com esses segredos revelados, seu sucesso no jardim e na hortinha é garantido, assim como a saúde e bem-estar de suas plantinhas. Confira!

A jardineira Carol Costa é conhecida por seu programa no Canal GNT, A louca das plantas

Benefícios de ter plantas em casa

Seja por falta de espaço, tempo ou aptidão, muitas pessoas desistem de cultivar plantas e hortaliças em casa ou apartamento. No entanto, desenvolver essa habilidade é uma ótima maneira de restabelecer a conexão com a natureza, levar beleza para seu lar e ter temperos e hortaliças sempre fresquinhas.

Além disso, é possível introduzir uma alimentação mais saudável com alimentos livres de agrotóxicos e hidratar o ar do ambiente com plantas que funcionam como umidificadores naturais. Algumas até são capazes de eliminar toxinas do ar, absorvendo partículas que causam alergia e minimizando crises.

Plantar hortaliças, frutas e temperos garante alimentos frescos e livres de agrotóxico.

Por que plantar em vaso dentro de casa

  • Facilidade em cultivar plantas ornamentais, hortaliças e temperos;

  • Ter sempre a mão ervas medicinais, plantas energizantes, calmantes, e repelentes naturais;

  • Praticar a jardinagem como terapia ou hobby, já que seu cultivo gera bem-estar psicológico e social;

  • Alternativa sustentável que não envolve grandes quantidades de água e uso de embalagens plásticas, evitando o desperdício;

  • Grande economia em feiras e supermercados;

  • Aparência diferenciada, utilizando plantas de forma inteligente na decoração.

 

Respostas rápidas para as dúvidas mais comuns na hora de plantar em vaso

Carol reuniu as 13 maiores dúvidas de seus seguidores e respondeu, garantindo a você, as melhores informações para nunca mais deixar seu jardim ou hortinha morrer. Comece a anotar!

1. Qual a ordem das camadas dentro do vaso?

Segundo Carol, independente do tipo de vaso, a ordem sempre será a mesma:

  • camada de drenagem (argila expandida, pedrinhas, cacos de vasos ou pedaços de isopor)
  • manta de drenagem (pode ser utilizado também feltro, folhas de jornal e TNT),
  • substrato de matéria orgânica,
  • composto nutritivo,
  • a planta,
  • e finalmente, cobertura (a famosa palhinha).

Imagem meramente ilustrativa (no caso, sugerimos caprichar mais na terra com matéria orgânica e composto nutritivo).

 

2. Qual vaso escolher?

O vaso depende do tamanho da planta. Algumas podem ficar altas, outras com as raízes largas, por isso, antes de comprar o vaso, é preciso conhecer um pouco mais da espécie escolhida para seu jardim ou horta.

“É bom estudar a planta e o tamanho dela não no momento da compra, mas sim adulta”, Carol informa.

 

3. Manta para drenagem é obrigatório?

A manta não é um item obrigatório, no entanto, é uma grande facilidade para o plantio. Além de evitar sujeira, auxilia o substrato a não sair do vaso durante as regas até que as raízes tenham formado um emaranhado que segure a terra naturalmente. Uma dica da jardineira é substituir a manta também por areia grossa.

 

4. Posso usar casca de pínus como camada de drenagem?

Carol é categórica na resposta: não! A casca do pínus é um material orgânico e vai deteriorando com o passar do tempo, e vira adubo para a planta. A camada de drenagem deve ser realizada com um material resistente e durável, de origem mineral de preferência.

 

5. Meu vaso não tem furo. Posso plantar nele?

Vasos sem furos são chamados de cachepô. Esse modelo de vaso pode ser utilizado, só que dão muito mais trabalho que os outros. A água precisa sair por algum lugar nas regas, por baixo (furos) ou por cima (virando o vaso).

Por isso, evite dores de cabeça e prefira os recipientes com furos (vários furinhos de preferência). O vaso sem furo é usado para efeitos decorativos. O que você pode fazer para ter beleza e facilidade é colocar o vaso com furo dentro de um lindo cachepô!

Vasos com furos são mais fáceis irrigar corretamente

 

6. Devo manter o torrão da planta quando trocar de vaso?

O ideal é quebrá-los. Ao desmanchar os torrões de terra ao redor das raízes, a planta se adapta melhor ao novo vaso, principalmente em arranjos ou vasos com outras espécies. Para quebrar o torrão, Carol ensina a fazer um “cafuné”, soltando a terra das raízes sem machucar a plantinha.

“As raízes se encaixam melhor nas outras plantas, cada uma se entrelaça melhor na vizinha e deixa o vaso mais sólido e mais firme”, afirma Carol.

 

7. Dá pra colocar mais de uma planta no mesmo vaso?

Sim! Se você escolher direito e souber realizar um bom planejamento de espaço, isso é até benéfico para as plantinhas. Saiba definir o tamanho do vaso pesquisando as espécies que irão compartilhar o mesmo espaço, e não se esqueça de conhecer as preferências de suas plantas, evitando cultivar em um mesmo vaso, plantas que gostam de sol e de sombra.

Diferentes temperos podem ser cultivados no mesmo vaso

 

8. Quantas plantas cabem em um vaso?

Pesquise! Somente estudando sua planta e hortaliça é possível escolher o vaso de tamanho ideal para a quantidade de vegetais que você quer cultivar. Ervas e temperos podem dividir vasos médios enquanto suculentas podem ser plantadas em lugares de tamanhos variados.

 

9. Para que servem as palhinhas no vaso?

As palhas, conhecidas como mulching, são de origem vegetal e utilizadas para acabamento. Elas mantêm a umidade, evitam a evaporação de adubos, protegem de pragas, controlam a temperatura e liberam nutrientes na decomposição. A palhinha protetora é um sucesso, ainda mais nas hortinhas!

A palhinha pode ser de palha mesmo, serragem, folhas secas, casca de pínus e outros compostos orgânicos.

 

10. Posso trocar palha por pedrinha?

Não! Carol afirma que os efeitos não serão os mesmos se utilizarmos pedrinhas no lugar da palhinha. Piora ao usar pedras coloridas, pois pode mudar o pH do solo, prejudicando sua planta.

 

11. Quais materiais posso usar como palhinha protetora?

São muitas as opções além da palha: casca de pínus, folhas secas trituradas, apara de grama, serragem, semente de babaçu e açaí, casca de arroz, casca de café, talo de banana seco e triturado, enfim, tudo que for de origem vegetal, duro e seco. Assim, o material vai deteriorar devagar e trazer benefícios a planta.

 

12. O que colocar no lugar da palhinha?

Outra planta! Segundo Carol, espécies rasteiras fazem o papel da palhinha muito bem. Você pode escolher entre o tostão (Callisia repens), musgo-bola (Selaginella kraussiana), fitônia (Fittonia albivenis), hera (Hedera helix) e outros. Ela deve ser de crescimento lento, pequena e que se espalhe.

Tostão como forragem para outra planta

 

13. Preciso molhar assim que montar o vaso?

Claro! O vaso deve ser molhado para que o substrato se ajeite entre as raízes dentro do vaso, além de hidratar a planta. Molhe as plantas em abundância assim que terminar de plantar em vaso!

 

Acompanhe as dicas no vídeo:

Fonte(s): Ao redor da mesa, Revista Casa e Jardim, Minhas Plantas
Eliza Inaê
Redatora freelancer, sagitariana e canhota. Apaixonada por séries, livros, Florence + The Machine, sol e comida. Aprendendo a bordar, enxergar o melhor nas pessoas, e a fazer uma bio maneira.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui