• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato

Atitude Coletiva

chevron_left
chevron_right

Pesquisa mostra quem são os Solteiros de São Paulo

Levantamento inédito mostra como aproveitar a vida solteira na capital paulista.

Rodrigo Guarizo Publicado: 25/09/2014 13:21 | Atualizado: 26/09/2014 00:54

Apesar de não terem companhias românticas oficiais, solteiros nunca estiveram sozinhos. Muito menos em São Paulo, cidade que conta com 58% da sua população sem amarras. Isso significa que 4,8 milhões de pessoas acima dos 15 anos estão “disponíveis no mercado”, isso na maior metrópole da América Latina.

Mas se tem tanta gente livre para voar por aí, por que não se encontram e formam pares?

— “Número de namorados atuais: Zero.”

 

A resposta pode estar nos locais que estes solteiros frequentam, tanto quanto nos hábitos e nos seus interesses. Realizamos uma pesquisa com mais de 300 solteiros que moram em São Paulo (homens e mulheres 50/50) para entender o que gostam e procuram.

10677182_10203973807318933_608825869_o

Entre elas, 48% tem 18 a 24 anos, 42% se encontram entre 26 e 35 anos; 36 pra cima completam a lista com 10%. Destes, 36% estão solteiros há apenas um ano (ou menos), enquanto a maioria, 64%, estão soltos na praça há 2 anos ou mais – sendo que nesse montante, 26% não sabe nem o que é namoro.

Solteiros em SP querem namorar?

SIM! Olha que oportunidade de negócio. Existe uma parcela carente (31%) que deseja muito iniciar um namoro. Para maioria (55%) precisa antes rolar um clima, uma troca de olhares, um papo goxxxtoso, aí sim o namoro pode cair muito bem. E para um grupo menor (13%), namorar não rola!

ugh_sp_sos_solteiros

Embora muitos tenham respondido que não exista lugar para encontrar um amor, muita gente foi categórica: Se você procura um namoro, esqueça aplicativos de paquera! Para quase metade dos entrevistados esse método, assim como procurar na balada, são as piores formas de encontrar um namorado/a. Redes sociais também não estão com essa bola toda, cerca de 30% dos solteiros disseram que também não usam esse meio para achar sua alma gêmea.

Na hora da sedução

Tá todo mundo se querendo. Se o negócio não é necessariamente namorar, mas se dar bem conhecer alguém, então vai com fé, porque a maioria tá aí pra fechar negócio, 53% recebe bem um flerte e 30% não perde tempo e beija mesmo. A minoria é recatada (ufa!), 12% apenas troca contatos, enquanto 5% corta o barato logo de cara.

aAYMGVL_460sa_v1

Uma informação muito importante, se tá todo mundo se querendo, ninguém tá chegando em ninguém, pois apenas 24% dos entrevistados transam uma vez por semana (ou mais), enquanto 45% não transam há mais de dois meses!! Sério, sai dessa internet um pouco.

Falando nisso, foi levantado que 49% dos entrevistados passam de 3h a 8h online. E, pasmem, 28% passam mais de 8 horas conectados nesse incrível e viciante universo. Apenas 1% ficam tão pouco na internet que não sabem nem como responderam a pesquisa.

Onde morar

Com base no Censo 2010 do IBGE, o bairro com maior proporção solteiros em São Paulo é a República, na região central da cidade, com 65%. Logo em seguida vem Bela Vista com 58%, Brás e Consolação, com 54% e Pari com 53%. Este levantamento indica que os solteiros preferem morar próximos aos grandes centros empresariais, culturais e estudantis, muito pelo tamanho da cidade e da grande demanda de tempo desperdiçada no trânsito ~infernal~ de São Paulo.

cidade_2_sp_sos_solteiros

E segundo o nosso levantamento solteiros paulistanos também são bem familiares, a maioria mora em seus bairros porque simplesmente nasceram lá (e ainda não se mudaram) ou optaram por ter maior proximidade com a família (40%), apenas 17% escolheu o bairro por conta do valor pago em aluguel.

Onde ir

Que a noite em São Paulo é das mais diversificadas, com opções para todos os gostos, idades e estilos, todos sabemos, mas o que não estava sob o nosso conhecimento são as preferências da solteirada. Então se liga nas descobertas abaixo.

Se você curte tomar umas e outras, então tá no caminho certo! Em múltipla escolha, 76% dos entrevistados escolheram o barzinho como o melhor lugar para se divertir.

— “Posso te pagar um drink?”

 

Restaurantes, o rolê clássico do paulistano, não ia ficar de fora, ficou com 39%. Outro lugar muito lembrado na pesquisa, e de forma espontânea, foram os parques. Nesse verão uma ótima pedida pra unir o útil ao agradável; fica a dica.

Agora se o teu negócio é a vida noturna, mais especificamente as baladas (49%), baixe a discografia do Metallica, porque 35% dos solteiros preferem o ROCK N’ ROLL!!

tumblr_mchsz8YNhe1qimi3zo1_500

Muitos entrevistados também lembraram de forma espontânea festas com música brasileira, como samba e MPB. Outros estilos fizeram menos barulho, pelo menos na pesquisa, baladas eletrônicas (17%), indies (17%), pop (16%) e sertanejas (10%).

Mas apesar do fervo noturno, 37% dos solteiros paulistanos curtem rolês culturais diurnos, o que pode ser um reflexo das diversas exposições que vieram para a cidade nos últimos anos. Além do mais, a cidade adquiriu recentemente o hábito de sair enquanto o sol ainda arde, e não estamos falando de afters.

Eventos nas ruas e bazares surgiram e conquistaram quem já não tem mais saco para virar a noite na rua, ocuparam um bom espaço nos finais de semana de quem “não tinha opções de rolês”. Um desses eventos é a festa Grill, que mescla música, burgers e arte, realizada por Gull Salles, do Grupo8ito. Para ele, a procura por eventos diurnos se dá pois o clima é outro, as pessoas se veem, conversam e se conhecem, diferente da balada fechada, escura, com um monte de gente louca que mal consegue interagir.

Solteiros, em São Paulo, estão em casa.

 

Imagem de capa: debolapramoda

Fontes: IBGE folha são paulo 

Rodrigo Guarizo
Jornalista em formação, já passou pelo Portal ObaOba e já brincou de social media, além de produzir festas por São Paulo e rodar o país tocando em baladas. Dono do incrível poder da memória inútil, conta histórias ricas em detalhes que ninguém se importa. Mas são legais.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui