• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Sem Crise!

Passagens aéreas compradas com outra localização podem sair 50% mais baratas

Testamos diversas companhias aéreas para saber a real.

Passagens aéreas podem consumir grande parte da grana de uma viagem, mas nem sempre precisa ser assim.

Um truque simples que pode dar um belo desconto é comprar a passagem fora do Brasil, sem sair do Brasil.

Segundo o site Map Happy, os preços variam de acordo com o ponto de venda, ou seja, do lugar aonde o negócio foi fechado. Quando falamos de internet, o ponto de venda é aonde você está utilizando o computador. No entanto, é possível alterar (em alguns sites das companhias) o seu país, ou seja, a sua localização.

De acordo com a publicação, a “técnica” pode ser usada para vôos internacionais, mas funciona muito melhor em vôos domésticos. Por exemplo, se você vai viajar para dois pontos dentro do Chile, pode sair mais barato se você estiver comprando de dentro do Chile.

Vale lembrar que para poder comprar, o seu cartão tem que estar habilitado para compras internacionais. Também é importante ressaltar que não estamos sugerindo aplicativos para mudar o IP, utilizando VPN, pois essa prática é considerada ilegal.

 

Realizamos o teste com algumas companhias para verificar a eficiência

LATAM

Comparei uma passagem de Santiago (Chile) para Antofagasta (também no Chile). Quando eu estava navegando do site brasileiro, a passagem com de ida (25/05) e volta (31/05) deu R$583,33.

Na aba dentro do próprio site, mudei a minha navegação para o Chile.

O mesmo trecho nas mesmas datas saíram por 64.812 pesos chilenos, o que convertendo daria R$311,15! É claro que você precisa contar que vai vir também o IOF de 6,38%. Ou seja, o valor sobe para cerca de R$331.

O total do desconto foi de R$252, ou seja, 43% do valor cobrado anteriormente. Valeu (e muito) a pena!

 

American Airlines

A passagem pesquisada foi de Nova Iorque para Orlando dos dias 25/05 a 31/05. Realizei o mesmo processo de mudar o país da onde estava comprando. Da maneira normal, a passagem deu R$1.076.

Já mudando o país para Estados Unidos, a passagem deu U$347 que convertendo dá… o mesmo preço!

E isso, sem contar o IOF que encareceria a compra. Não valeu a pena!

 

Iberia

Nas mesmas datas, testamos uma passagem de Madri para Barcelona. O preço saiu R$321.

Já o valor em euros, ou seja, depois de mudar minha localidade, as mesmas passagens saíram 96,77, o que convertendo dá o mesmo preço, novamente sem IOF. Não rolou.

 

Aerolíneas Argentinas

Pesquisamos uma passagem (ida e volta) de Buenos Aires para Mendoza. No site brasileiro, a passagem saiu R$1.241,62.

Já em pesos argentinos, o custo caiu para 2.543, cerca de R$520. Ainda com o IOF de 6,38%, a passagem sairia R$533, ou seja, uma economia de R$688, cerca de 55% do valor cobrado anteriormente. Funcionou demais!

 

Conclusão

Aparentemente, a “técnica” funciona muito bem em vôos na América do Sul. Segundo a Travel2Study, empresa especializada em viagens e intercâmbio cultural, a variação do custo da passagem pode ocorrer por conta da conversão do câmbio e a estratégia de preços da empresa, mas essa não é uma regra.

Também chamaram a atenção para o fato de que, se você decidir por comprar como se estivesse em outro país, não é possível parcelar a passagem.

O resultado foi que depende da empresa e da passagem mas, sem dúvida, vale gastar cinco minutinhos pesquisando os valores e, se der sorte, dar uma boa economizada. Boa viagem!

Fonte(s): Map Happy, Travel2Study
Gabriela Roman
Roteirista, viajante profissional e amante da internet e das zueiras que vêm com ela.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui