• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Vai, planeta!

“Pare de reciclar”: esse pedido serve como um alerta para todos!

Devemos mudar nosso foco de forma radical.

“Lá vai o SOS querendo lacrar em mais um artigo polêmico”, você pode pensar. Só que o caso aqui vai muito além da lacração. A solução para a poluição por resíduos plásticos está sendo analisada por uma ótica totalmente invertida. E precisamos falar sobre isso.

“Nós temos um problema sério com o plástico! Ele está em todos os lugares, desde as roupas que vestimos aos peixes que comemos”, alerta a produtora de conteúdos sobre sustentabilidade, Auri Jackson.

De acordo com a Auri, autora do vídeo “I Want You Stop Recycling” (eu quero que você pare de reciclar) que já consta com mais de um milhão de visualizações no canal do BuzzFeed, este material vem sendo fabricado massivamente desde os anos 1950 e leva em média 450 ANOS para se decompor na natureza.

Ou seja, boa parte desse plástico produzido, há mais de 50 anos, ainda está por aí causando poluição no planeta.

De acordo com um estudo da Universidade de Dheli, Índia, durante o processo de decomposição, os tipos mais comuns de plástico liberam gases de efeito estufa, que contribui para o aquecimento global.

Além disso, quando o material passa por este processo, ainda ocorrem mudanças químicas que liberam as substâncias metano e etileno na atmosfera, que também podem causar danos á saúde humana.

Uma pesquisa publicada na revista Science Advances, em 2017, revela que o ser humano já produziu mais de 8 bilhões de tonelada de plástico.

O grupo de cientistas dos Estados Unidos, liderados pela Universidade da Geórgia na Califórnia e a organização oceanográfica Sea Education Association (SEA), estima que 12% deste plástico foi incinerado e 79% virou lixo parado na natureza ou em aterros sanitários.

Segundo a pesquisa, somente 9% desses resíduos foi reciclado.

Conforme explica Auri, é necessária a compreensão de que a reciclagem é um procedimento bem mais valioso e rentável para o mercado que cuida disso do que para o meio ambiente em si.

Na realidade, este processo faz parte de uma indústria de bilhões de dólares.

Jogar uma embalagem numa lixeira etiquetada como reciclável não significa que este lixo vai ser necessariamente reciclado. Este plástico precisa passar por um longo processo para ser colocado de volta no mercado. E se ninguém comprar o produto, ele simplesmente não é reciclado.

Para ter uma ideia da gravidade do problema, de acordo com a produtora, boa parte do plástico do mundo era importado para a China. Até que, em 2018, o país deixou de comprar estes materiais, referente à execução de plano de combate à degradação ambiental, porque as numerosas usinas de reciclagem também eram poluentes.

Esta medida causou toda uma crise neste sistema, pois diversas nações simplesmente não tinham ideia de como lidar com o próprio lixo.

Baleia morta em praia de Filipinas

A conclusão da coisa toda, é que o mundo tá cheio de materiais recicláveis espalhados por aí poluindo a natureza, rios e oceanos. Já existem todas essas toneladas de plástico e continuamos produzindo mais e mais diariamente, para suprir uma demanda de descartáveis. Enquanto isso, a terra continua nadando em nosso lixo.

O que devemos fazer, afinal?

Jackson alerta que focar na redução do consumo de plástico é muito melhor para o planeta, do que apenas reciclar, pois isso ocasionaria impacto real e positivo ao meio ambiente, ao invés de lucro para poucos.

 

Veja o vídeo completo:

Fonte(s): Buzzfeed FYI, The economist, Estadão, El País, BBC, Auri Jackson, Revista Galileu, Plos One, Science Advances
Giullia Venus
Redatora, aspirante a ecochata, feminista, gosta de coisa de gente doida e filme ruim.

Tá na rede!

Quero mais!

Veja mais artigos!

Em caso de chefe
clique aqui