• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Atitude Coletiva

chevron_left
chevron_right

Orgasmos mentais por 20 minutos, eu tentei

Vídeos na web causam sensações de euforia e de excitação, apenas com o poder da mente.

Vídeos de ASMR causam sensações de euforia e de excitação apenas com o poder da mente.

tumblr_inline_mr4kcjp04S1qz4rgp

– Na verdade, seria algo bem mais intenso do que isso.

Você já se imaginou tendo orgasmos utilizando apenas o poder da mente e deixando as mãozinhas e o sexo convencional de lado? Isso pode acontecer, para alguns, por meio de sussurros ao ouvido, batidas leves e repetitivas em materiais diversos ou por objetos raspando em superfícies.

Os vídeos de ASMR (Autonomous Sensory Meridian Response) ou “Resposta Meridional Sensorial Autônoma” são assim: duram uma média de 20 minutos (alguns chegam até a 40!), com pessoas penteando o cabelo ou dobrando toalhas, por exemplo. A atenção exclusiva que o espectador recebe, os sons emitidos e uma série de movimentos repetitivos é o que desencadeia os gatilhos de prazer, bem-estar e felicidade a quem assiste.

O termo, criado pela americana Jenn Allen, fundadora do Instituto de Pesquisa ASMR, analisa o tema por perspectivas neurológicas.

Eu testei, e…

Há os que não sintam nada. Eu confesso que faço parte desse grupo. Assistindo alguns vídeos masculinos de ASMR me senti, por vezes, até bastante nervosa e impaciente. O homem sussurrava o tempo todo e nada do que ele fazia me deixava relaxada ou causava qualquer outro tipo de reação corporal interessante.

Também não senti qualquer sensibilidade no couro cabeludo (outro benefício que a prática diz que faz). Acredito que esse tipo de experiência serve para aqueles que têm EXTREMA sensibilidade a tipos BEM específicos de sons, causando arrepios e excitação sexual. Dai o vídeo é um prolongamento dessas percepções, como se estivéssemos vendo um pornô mesmo – a cada segundo ficaríamos cada vez mais excitados.

Alguns dizem (grupos na web, como o Braingasm) que a técnica pode combater a depressão, a insônia e a solidão. Porém, nenhum grupo de médicos comprova que isso seja verdade. Ainda há poucos estudos científicos sobre o assunto.

Para Frances McGlone, professor de neurociência da Universidade John Moores, de Liverpool, “não é possível explicar o mecanismo que produz a reação física porque ninguém tem pesquisado a questão”. Ele também comenta que “grande parte dos vídeos são apresentados por mulheres atraentes, o que pode adicionar um elemento erótico como apelo”.

Mas vale ressaltar que muitos adeptos do ASMR dizem que as sensações sentidas não se parecem com sexo mesmo.

Veja alguns exemplos e tire sua conclusão

Comprovado ou não pela ciência, o caso é que muitas pessoas têm experiências com os “orgasmos cerebrais” –  no Youtube, basta procurar por “videos ASMR”. O vídeo “Oh such a good 3D-sound ASMR”, da usuária GentleWhispering, está entre um dos mais assistidos, com mais de 9 milhões de cliques. No Brasil, existem fóruns e comunidades no Facebook que falam sobre o assunto.



– E aí, como o seu corpo e mente reagiram? Gostou, odiou ou não sentiu nada? Deixe a sua opinião nos comentários.

 

Andressa Monteiro
Jornalista, na melhor das hipóteses é um desenrolar de sinceras tentativas à procura de acertos. Faz Pós-Graduação em Jornalismo Cultural na FAAP. Colabora para os sites: Outras Palavras, Jornal GGN, MADMAG, Revista o Grito!, Scream & Yell, PetMag e Portal NAMU. Já trabalhou nos veículos de comunicação Portal Terra e Casal Sem Vergonha.

Tá na rede!

Quero mais!

Veja mais artigos!

Em caso de chefe
clique aqui