• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato

Atitude Coletiva

chevron_left
chevron_right

O seu status de relacionamento não define quem você é

Levei algum tempo até perceber o quanto a liberdade sentimental incomoda as pessoas.

Aline Xavier Publicado: 19/02/2016 13:42 | Atualizado: 19/02/2016 13:44

status de relacionamento

reprodução – facebook

E os namoradinhos? E aí, comeu? Relacionamento aberto? Putaria institucionalizada virou moda. Monogamia? Argh, que caretice. Quando vem o primeiro herdeiro? E o segundo? Cadê a aliança de compromisso? Tem que conhecer a sogra. Tem que conquistar o sogro.

Levei algum tempo até perceber o quanto a liberdade sentimental incomoda as pessoas. E quando me refiro à liberdade, esse conceito vai muito além da solteirice. Liberdade é estar bem na própria companhia, e optar muitas vezes por ter uma pessoa parceira ao lado. É uma concepção muito mais interna do que externa, e vai além das formalidades ou de um anel na mão esquerda.

Liberdade é ser fiel aos seus sentimentos e vontades, desde que não prejudiquem o outro ou quebre um acordo. É bancar as suas decisões e ter a vida amorosa que te satisfaz – ou nenhuma, se assim julgar conveniente. É, na maioria das vezes, decepcionar a sua família tradicional. Ser julgado, incompreendido, e mesmo assim persistir aquilo que acredita, que alimenta sua alma.

É não se relacionar, obrigatoriamente, de acordo com os padrões heteronormativos da sociedade, mas seguir o que o seu coração diz, por mais clichê que isso pareça ser.

Críticas são inevitáveis. Não se permita escravizar por elas. Alguns opinam até sem o mínimo de vivência sobre o assunto – logo, com propriedade zero pra pitaquear sobre decisões que não lhe cabem.

As pessoas são diferentes e sempre vão ter motivo pra falar: que você não regula, que é irresponsável, inconsequente e vive de forma libertina, que está muito cedo pra assumir uma família, que precisa terminar a faculdade primeiro – do contrário está fadada a virar dona de casa em tempo integral, que precisa de estabilidade financeira pra ter um futuro digno, e independentemente da decisão tomada, muitos dizem que você vai se arrepender.

E caso se descubram certos depois algum tempo, completarão com um “eu avisei”. Quem disse que não temos o direito de quebrar a cara de vez em quando?

Ser uma pessoa solteira, casada, noiva ou divorciada não determina nada na sua vida além de uma opção. Um rótulo utilizado como pretexto pra fazer uso de achismos, verdades absolutas e opiniões totalmente dentro do senso comum, por pessoas que desejam o que você provavelmente têm – a felicidade e a capacidade de criar e viver segundo as próprias regras – incluindo a escolha de se envolver ou não com alguém.

Aline Xavier
Ex-concurseira olímpica. Psicóloga para os amigos, não sabe o que fazer com a própria vida. Apaixonada por ovelhas negras, com as quais comumente se identifica. Está se descobrindo aos poucos nos cursos de escrita e na terapia semanal. Escreve em alinexavier.me.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui