• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Crossfit Mental

chevron_left
chevron_right

O que você NUNCA deve fazer em Amsterdã

Até hoje não sei o que aconteceu comigo, mas foi muito assustador.

Amsterdã foi a primeira cidade que visitei viajando sozinha.

Nunca tive o sonho de conhecê-la e a escolhi baseada no quesito “aonde eu posso ir sozinha sem me sentir deprê por não estar em casal?”

>> Eu tinha terminado um relacionamento há poucos meses – se você leu o meu último post, vai ver que viajar pode ser a cura para a fossa!

Uma cidade com cultura jovem, tulipas, canais e pessoas andando de bike me convenceu que seria uma boa ideia e lá fui eu, de malinha de rodinha na mão e inglês péssimo na boca.

Ah, ter a casa da Heineken também ajudou na decisão!

Mas antes de te alertar sobre as furadas que você possa cair nessa cidade, vou falar um pouco da parte boa. Se liga!

O que você deve fazer em Amsterdã

Sim, você pode/deve ir sozinho e sem medo. Vai na fé!

A cidade tem muitas coisas para fazer de dia e à noite e, gente na mesma vibe que a sua. E por que eu digo na mesma vibe que a sua? Porque é qualquer vibe mesmo!

Para os santos ou o mais porra louca de todos

Quando disse aos meus amigos que ia para lá, eles logo me perguntaram “Mas o que é que você vai fazer em Amsterdã, se nem um cigarrinho você curte?”. E aí eu respondia apegada às tulipas. Acabou que eu não vi nenhuma porque não era época – fuén – mas, a minha vibe de museus, arquitetura, sol batendo lindo no parque e fachadas lindas de morrer para tirar foto eu curti muitíssimo!

arquitetura-amsterda-sossolteiros

fachada-casa-amsterda-sossolteiros

Abóboras para decorar a entrada de casa: por quê não?

Tudo bem que, andando na rua à noite, eu me sentia no Carnaval de Ouro Preto vendo tanta gente chapada/bêbada caindo pelos cantos, mas não é porque eu não curto maconha que eu sou completamente careta.

É claro que eu também queria conhecer o máximo de cervejas que eu pudesse, beber com estranhos e fazer novos amigos de infância – mesmo com um inglês fraco, mas quem liga?

Manda mais que tá pouco!

Hospede-se em um hostel

Eu escolhi o hostel errado para mim. Não aguentei a pressão de ter uma boate um andar abaixo do meu e dividir o quarto com jovens que tinham acabado o Ensino Médio e estavam na sua viagem de libertação.

Mas, a cidade tem hostels mais low profile (discretinhos) e até cristãos, que não permitem algazarra e álcool.

Portanto, mesmo com essa cara louca que Amsterdã pode ter de primeira, mantenho o discurso de que você deve se hospedar em hostel. Até porque esse é o primeiro mandamento do viajante solo que está com medo de viajar sozinho.

Mantenha-se vivo bem

As cervejas holandesas são muito convidativas: leves, cheirosas e deliciosas, daquelas que você pode beber o dia inteiro sem pesar no estômago – tirando a Heineken. Portanto, entre um bar e outro, eu aconselho se alimentar. E isso é tão fácil em Amsterdã!

Intercale as bebidas com FEBOS, essas comidinhas que saem da parede como num sonho mágico – mas que cobram em euros. Ou batatas fritas com muita maionese, vendidas em cones gigantes em muitos pontos da cidade.

Quem não ama um croquete quentinho?

Eu precisaria de um outro post inteiro para falar sobre coisas que você deve fazer em Amsterdã e já que o foco aqui é outro, voltemos ao título:

O que você NUNCA deve fazer em Amsterdã

Sabe aquele conselho de mãe que a gente tá careca de ouvir e antes dela acabar de falar, a gente já vai respondendo no automático “Tá, tááá, tá bom, mãe!”? E por que eu não segui mesmo, hein?

Num belo dia de chuva, fui me abrigar dentro de uma cervejaria e conheci…brasileiros! (nada novo sob o sol, estamos mesmo por todos os lugares). Simpatia, animação e muitos outros bares depois, olhei para o relógio e vi que já estávamos há 9 (!!!) horas nessa.

No último bar, conheci um romeno muito ~ gente boa ~ que me ofereceu o cigarro que ele estava fumando. Na euforia da cerveja e pensando no julgamento “Poxa, mas você foi em Amsterdã e não experimentou nada?!”, eu acabei me rendendo e dei uns três tragos no negócio.

Logo depois, os brasileiros se aproximaram para se despedir e foram embora. Fiquei mais uns 10 minutos no bar, até que resolvi ir embora também. Quando passei pela porta, o desespero bateu.

Parecia que havia uma linha dividindo o meu corpo em dois e o lado esquerdo estava completamente dormente. De boca seca e coração acelerado, achei mesmo que ia morrer e só pensava que tinha que chegar ao hostel para pegar o papel do seguro saúde.

Mas, eu estava tão noiada para falar com alguém, que só sentei na cama e chorei. Não queria dormir porque achava que poderia ter um troço. Acabei adormecendo e acordei somente com uma ressaca daquelas, graças a Deus!

Até hoje não sei o que aconteceu comigo aquele dia, mas foi muito assustador. No dia seguinte, jurei nunca mais aceitar nada de estranhos. Quatro anos se passaram e me mantenho firme na promessa.

O que você não deve fazer em Amsterdã ou em qualquer outra cidade viajando sozinho é “confiar” coisas desse tipo a pessoas que você acabou de conhecer.

Eu sempre digo que existe mais gente boa do que má no mundo dos viajantes e nem acredito que as pessoas que eu conheci nesse dia eram más, só não estavam preocupadas com alguém que tinha acabado de conhecer. Afinal, meus novos “amigos de infância” não tinham a obrigação de perguntar o que eu tinha fumado e se eu ficaria bem no bar sozinha.

Portanto, caso você viaje sozinho e beba/fume/ou sei lá o que você goste de fazer, deixe sempre uma reserva de juízo e sobriedade para cuidar de si mesmo. Lembre-se: o único responsável pelo seu bem estar é você mesmo.

Mais umas dicas úteis

A cervejaria onde conheci os brasileiros é a melhor de Amsterdã. Fica dentro de um dos três moinhos que existem da cidade e tem uma gama enorme de cervejas.

O nome é Brouwerij ‘t IJ e fica no número 7 da Rua Funenkade.

Uma belezinha.

Caso batatas fritas ou FEBOS não deem conta da sua larica, recomendo o Satellite Sports Café. Um sports bar que fica no número 11 da famosa Praça Leidseplein.

Eles tem, simplesmente, a melhor costelinha que já comi na vida! Inclusive, quando você entra no site, os caras já fazem a propaganda como sendo a melhor de Amsterdã – eu acho que deve ser do mundo.

Costela desse tamanho + salada + batata recheada! Para mim, isso rende um almoço e jantar.

Não deixe de ir a Zaanse Schans, uma cidadezinha encantadora que fica apenas a 40 minutos de trem, saindo da estação central.

É lá onde você pode ver aquele cenário holandês que todo mundo imagina: mais moinhos, animais de fazendas, tirar fotos com pessoas de 3 metros de altura e comprar tamanquinhos de madeira, feitos na hora, para você personalizar depois.

zaanse-schans-sossolteiros

Os meus ficaram assim, igual aquela fatídica noitada.

 

Thaís Aragão
Designer e viajante solo por acaso e por opção. Criou a série de ilustrações "Procura-se um amor que goste de" e lançou o livro homônimo. Muda de assunto com a velocidade de uma chita aloprada, mas tenta manter tudo em ordem no site Oh, Thaís!

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui