• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Atitude Coletiva

O que é (e o que não é) Feminismo?

Tire todas as suas dúvidas sobre os principais pontos do movimento.

O “girl power” está cada vez mais forte nas redes sociais, camisetas e protestos. Mas você realmente sabe o que é feminismo ou só reproduz os textos que vê pelo feed?


Primeiro de tudo, é importante que saiba que o movimento não é coisa do século XXI, na verdade existe desde a revolução francesa. Já o feminismo contemporâneo, esse que nós conhecemos hoje, surgiu na metade do século de 1960 e sofreu diversas mudanças desde então.

Para entender sua importância, antes devemos saber que 1 mulher é assassinada a cada 2 horas no Brasil. Já casos de estupros, são 135 por dias no nosso país, segundo dados levantados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Isso sem contar o salário médio pago às mulheres, que foi apenas 77,5% do rendimento pago aos homens, em 2017, segundo o IBGE.

Este são apenas alguns dos exemplos de desafios que as mulheres enfrentam todos os dias. E justamente por isso o movimento é tão importante.

Mas então, você sabe o que é  feminismo? Acredite, não é deixar os pelos crescerem, muito menos ficar feia para os homens. A sequência de imagens feito pelo projeto Pictoline explica os principais pontos.

 

1. O oposto de machismo não é feminismo!

Pode até parecer lógico, levando em consideração as palavras semelhantes. Mas o machismo se caracteriza pelo controle e superioridade do homem em relação à mulher. O que não acontece no feminismo, já que é a busca por igualdade das mulheres nos espaços e direitos.

Completamente diferente do Feminismo, existe o “Femismo”. Ideologia que prega a superioridade do gênero feminino sobre o masculino. É considerado o equivalente ao machismo, mas fazendo com que os oprimidos sejam os homens, enquanto que as mulheres seriam as opressoras.

 

2. Feminismo é diferente de violência

Por definição, feminismo é um movimento político e social, que busca igualar os direitos entre homens e mulheres, sem violência. Como todo movimento social, existem diversas vertentes, onde podem ter variações de pensamentos, mas sempre com o mesmo objetivo de igualdade.

 

3. As mulheres não querem dominar o mundo

Primeiramente, pregar o ódio não é um princípio do feminismo, muito menos arquitetar um plano para aniquilar todos os homens do planeta Terra. O ideal do feminismo é a igualdade, ser reconhecida e capaz tanto quanto um homem em uma mesma posição, em uma empresa, por exemplo. Ter a liberdade como doutrina.

 

4. Ser feminista não deixa a mulher menos feminina

Não se depilar, não usar maquiagem ou cortar os cabelos não são uma espécie de pré-requisito para uma mulher ser feminista. Toda essa besteira que propagam pelas rede sociais, são apenas formas de desmobilizar a luta feminista.

O que acontece simplesmente é o fato de que o feminismo propaga liberdade, logo, se uma mulher sente vontade de não se depilar mais, ela pode, assim como uma outra pode se depilar inteira. Que diferença isso vai fazer?

 

5. Uma feminista pode não ser ativista

Sua irmã pode ser feminista, apenas por se identificar com o movimento que defende a igualdade, sem sentir necessidade de se expressar. Assim como também existem ativistas que tomam a frente em debates, criando projetos e ONGs com o objetivo de propagar o feminismo e conquistar direito à igualdade das mulheres.

Agora que você entendeu o que é e o que não é feminismo, não compartilhe mais notícias falsas por aí, ok?

Fonte(s): Pictoline, G1, Economia, Significados
Amanda Conte
Filmes infantis são seus favoritos, mesmo tendo 23 anos. Chocolate e livros são seus únicos vícios. Jornalista, escritora independente e paulistana até a alma.

Tá na rede!

Quero mais!

Veja mais artigos!

Em caso de chefe
clique aqui