• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato

Crossfit Mental

chevron_left
chevron_right

O que aconteceria se você fosse um mochileiro no Brasil em 1500

Conheça a história do viajante que queria dar a volta ao mundo e acabou se dando mal.

Paulo Finotti Publicado: 28/07/2016 18:02 | Atualizado: 29/07/2016 10:59

Se você tivesse nascido em 1500, o que estaria fazendo da vida? Servir a Igreja Católica talvez fosse a sua melhor escolha profissional, por conta da estabilidade. Mas independente da data, isso soa chato.

Então, que tal fazer um mochilão?

Oh, você está louco!

Foi o que o inglês Anthony Knivet fez.

A história a seguir é baseada em fatos reais.

Entediado, ele resolveu dar a volta ao mundo e ser o que chamamos de diferentão. Sua ideia era estabelecer uma nova rota comercial entre a Europa e algum destino cheio de especiarias para ficar rico.

Sair daquele clichezão “Europa – Índia”. Tipo, quando você quer tirar férias, mas não aguenta mais ponte aérea “Rio – São Paulo”.

Naquela época, não era só comprar uma passagem de avião na promoção ou chamar um Uber. Knivet teve que arranjar alguns amigos aventureiros dispostos a partir nessa com ele.

Como naquela época não tinham apps de celular para ajudar no planejamento de viagens, o descuido fez com que faltasse comida e eles, adivinhe, se ferraram! Na falta de alimentos e sem a possibilidade de parar no drive-thru do McDonalds, os aventureiros procuraram uma vila para se reabastecerem.

Depois, enfrentando uma tempestade na altura do Rio da Prata, perderam tudo que tinham. Um monte de gente morreu e o barco, obviamente, estragou.

Knivet conseguiu navegar até a costa brasileira, saltou do barco, nadou até a praia e dormiu ali mesmo, no melhor estilo Tom Hanks em Náufrago, só que sem o Wilson. Faminto, não teve muita opção, se não alimentar-se de uma baleia que estava encalhada ali, por 15 dias. Sushi tamanho família, nada mal.

Ao montar acampamento no que seria a “Ilha de Lost”, ele foi capturado por portugueses. Ele só se salvou de uma fria execução pois inventou boas desculpas para época, iguais as que você conta pro chefe ao se atrasar. Ele disse que era católico e que sabia de planos secretos e importantes dos ingleses.

Mas não teve jeito, mesmo fazendo a “falsiane”, acabou virando escravo. A semelhança com seu trabalho não para por aí. A saída dele foi puxar muito saco para ganhar a confiança de gente importante, ajudando na organização de expedições onde os portugueses capturavam escravos.

Mas aqui a coisa muda, em uma dessas expedições ele acabou preso por uma tribo de índios canibais (!!!) – pavor dos viajantes da época. Para a sorte de Knivet, um ancião o protegeu, indicando uma rota de fuga.

Fácil demais, né? Nem tanto. Na corrida para sair das terras brasileiras, homens do governador da capitania o capturaram e decretaram a sua morte, mas não sem antes o torturarem.

Que saga! Ainda assim, Knivet conseguiu matar um dos torturadores e fugir. Eis que finalmente planejou uma fuga certeira para bem longe do Brasil. Ufa!

O mais bacana dessa história, é que dá para assistir tudo isso! Se quiser ver aos 2 episódios completos dessa série e saber o que mais aconteceu com Knivet, basta acessar o site da TV Escola.

Paulo Finotti
Redação criativa é sua praia e está sempre a espreita de um assunto pseudo-metafísico; melhor ainda se for astronáutico, astrológico e com gifs no meio. Acredita que tudo pode ser engolido se o gosto for palatável.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui