• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Vai, planeta!

O que acontece quando jogamos o Peixinho Dourado na Privada?

O alerta foi dado, você pode destruir um habitat ao fazer isso.

  • Nos rios e lagos, os peixinhos dourados chegam a 35 cm.

  • Eles comem ovos de anfíbios e competem com peixes nativos.

  • Esses peixes podem se tornar verdadeiras pragas na natureza.

Apesar de não serem tão populares quanto cães, gatos e aves, os peixes também têm sua vez no ambiente doméstico brasileiro: dados levantados pelo IBGE e atualizados pela inteligência comercial do Instituto Pet Brasil mostram que, em 2018, havia no Brasil cerca de 19 milhões de peixinhos criados como animais domésticos.

Apesar de ficarem confinados em um recipiente de vidro, o desrespeito pode ir muito além. No caso dos peixinhos criados para aquário, por exemplo, há quem ‘enjoe’ deles e os descarte pelo vaso sanitário. Além de uma ação extremamente violenta com os peixinhos, isso pode causar um problema maior ainda.

A ONG estadunidense Buffalo Niagara Waterkeeper compartilhou nas redes sociais a imagem de um “Peixão” Dourado encontrado no rio Niágara, em Buffalo e falou sobre os prejuízos que isso pode trazer:

Este peixinho dourado de 14 polegadas [quase 36cm] foi capturado no Rio Niagara (…). O Peixe-Dourado pode sobreviver durante todo o ano na nossa bacia hidrográfica e pode destruir o habitat dos peixes nativos. Os cientistas estimam que dezenas de milhões de peixes-dourados vivem agora nos grandes lagos. Se você não pode ficar com o seu animal de estimação, por favor, devolva-o à loja em vez de libertá-lo“, alerta a publicação.

Quando criados em aquários, os peixinhos dourados ficam bem pequenos, até cerca de 15 cm. Mas, quando acabam na rede de esgoto (o que acontece quando são jogados em privadas ou ralos) eles podem ultrapassar os 35 cm – como pudemos ver na imagem compartilhada pela ONG.

Um estudo publicado em 2001 mostrou que os peixes dourados podem se alimentar de ovos de larvas de salamandras com tamanha velocidade que poderiam tornar um local impróprio para reprodução desses anfíbios.

Em 2016, o The New Youk Times já havia feito um alerta semelhante, falando sobre como esses peixinhos podem se tornar verdadeiras pragas na natureza.

Uma vez que você introduza algo em um novo ambiente – mesmo que seja um peixe bonito e fofinho de aquário – ele pode ter consequências biológicas inesperadas e graves“, afirmou o pesquisador Stephen Beatty ao veículo.

Neste mesmo artigo, pesquisadores afirmam que os peixinhos dourados competem com os demais peixes nativos na alimentação, “roubando” algas e pequenos invertebrados que poderiam servir de comida para eles.

E, como não possuem predadores naturais, sobrevivem até a idade reprodutiva e se reproduzem de maneira desenfreada – provocando superpopulação. São verdadeiros invasores e destruidores de habitat.

Para não contribuir com esse problema é preciso atender ao apelo da ONG: se possui um peixinho dourado e não tem mais condições ou interesse em cuidar dele, entregue em um lugar que comercializa esses peixes ou procure alguém que faça uma adoção responsável. Jamais descarte pela privada.

Ser responsável por seus animais de estimação é uma questão de humanidade.

Fonte(s): Facebook - Buffalo Niagara Waterkeeper, BBC, O Globo
Daiane Oliveira
Jornalista, feminista e mãe. Discute religião, política, sexo e hábitos sustentáveis. Não discute futebol porque não entende. Quem sabe um dia.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui