• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Atitude Coletiva

chevron_left
chevron_right

O jeito certo de escutar o Desabafo de alguém querido

Estudo comprovou que não falar dos problemas pode piorá-los.

Em geral, no impulso de ajudar uma pessoa durante um desabafo, muitas pessoas tendem a apresentar soluções para aquela situação. No entanto, dizer como agir e o que fazer, pode acabar em uma série de julgamentos e frustrações quando alguém só procurava apoio e compreensão.

Alguns utilizam meios como pintura, escrita, desenho e outras formas de arte para expressar seus sentimentos. Mas a maioria das pessoas busca por meio da fala exteriorizar o que de alguma forma o incomoda.

Escutar é um recurso poderoso muitas vezes não compreendido e valorizado. Saber a maneira certa de escutar o desabafo de alguém querido torna-se um ótimo mecanismo de ajuda, e até mesmo de cura.

O psicólogo Julio Peres contou, em entrevista para a Revista Época, como isso é possível. Em sua pesquisa realizada para seu doutorado em Neurociências e Comportamento foram observados 16 pacientes com estresse pós-traumático parcial.

Após 8 sessões, em que os indivíduos narraram seus episódios traumáticos por diversas vezes (como um desabafo), foi constatado que o funcionamento cerebral sofre modificação com a narração, diminuindo o valor sensorial das memórias traumáticas.

Ou seja, pessoas que não desabafam sobre seus traumas e problemas, ficam com as memórias traumáticas fragmentadas. Ao dividir suas angústias, é possível reconstruir o momento trágico, gerando aprendizado e alívio das dores.

O psicólogo Julio Peres conseguiu mostrar como o cérebro modifica seu funcionamento por meio de desabafo.

Ainda assim, por mais simples que pareça, escutar é um dos maiores desafios para a maioria. Por esse motivo, desenvolvemos uma lista com dicas para você se tornar aquela pessoa que faz bem a outra sem precisar dizer nada. Confira!

 

1. Dedique sua total atenção

Todos nós temos um limite de atenção. Certifique-se de dedicar total atenção à pessoa enquanto ela estiver contando seu problema. Não julgue, não pense em formas de opinar e não interrompa. Somente dedicando total atenção você poderá compreendê-la e ajudá-la quando for o momento certo.

 

2. Concentre-se na conversa, e não na solução

Quando falamos, ouvimos nossos problemas em voz alta, e isso nos ajuda a organizá-los. Ao estruturá-lo em frases para que outra pessoa entenda, acabamos organizando-os e melhoramos também nosso entendimento diante daquela situação.

Escutar a si mesmo é como estar diante de um espelho, nos permite distanciar pensamentos de emoções e ações. Assim, somos capazes de enxergá-lo de forma um pouco mais clara, e nos aproximar de soluções. Para que isso aconteça, o ouvinte deve fazer seu papel, sem interromper, evitando quebrar o raciocínio.

 

3. Pause a conversa por um instante para resumi-la

Para ser um bom ouvinte, é necessário fazer com que o outro sinta-se compreendido. Realize uma pausa e resuma o que foi dito até o momento com suas palavras. Assim, você garante que está entendendo e dando devida importância. Por fim, essa ação ajuda também a pessoa angustiada na organização do problema.

 

4. Acompanhe o ritmo e mantenha o foco

Seguir o ritmo da pessoa é muito importante. Evite ficar pensando no que deveria ser feito, no que você faria no lugar dela, ou por qual motivo ela chegou aquele momento. Isso fará com que você fique distraído e perca partes da história. Parar diversas vezes para pedir que ela conte novamente pode interromper o pensamento e desorganizar o raciocínio.

 

5. Mostre que você se importa

Sempre que algo nos aflige, buscamos pessoas queridas do nosso convívio para desabafar. Quando alguém te procura, significa que você tem grande importância em sua vida. Demonstrar reciprocidade e empatia permite que ela tenha confiança para dividir medos e anseios.

Ao falar de seus sentimentos, desabafar com um ombro amigo ajuda a diminuir a intensidade da carga emocional. Isso auxilia a pessoa angustiada a pensar de forma racional e acalmar-se.

 

6. Respeite os períodos de silêncio

De acordo com o Centro de Valorização da Vida (CVV), o silêncio pode representar dor, tristeza e solidão. Entretanto, pode também refletir desapego e libertação de algo que não faz mais tanto sentido.

Períodos de silêncio durante um desabafo pode ser uma maneira de tomar um tempo para processar as palavras proferidas. Respeite esse tempo e saiba o exato momento de interrompê-lo, somente em casos de necessidade.

 

7. Doe seu tempo

Não é nada agradável conversar com uma pessoa que não tira os olhos do relógio ou do celular. Ainda mais quando se está desabafando sobre problemas e angústias. Quando a pessoa estiver falando, pratique a empatia, seja paciente e dedique-a aquele período inteiramente, pois provavelmente, o assunto é muito importante para ela.

Lembre-se, ouvir um desabafo não é apenas ficar quieto, é mostrar que está realmente disponível e interessado em acolher e ajudar, dividindo o fardo carregado por meio da escuta sem apresentar julgamentos e palpites. Mesmo que não haja solução momentânea, a intenção é doar-se para que o outro sinta um pouco melhor, e se necessário, consiga futuramente encontrar uma saída para algum tipo de situação.

 

Tão importante quando ouvir é falar. Por isso, não fique preso aos seus problemas nem aos da pessoa. Fale também sobre seus problemas e frustrações com alguém querido. Ajude e permita-se ser ajudado.

Fonte(s): Eurekka, CVV, Psicologia MSN, Obvious Mag, Revista Época, Julio Peres, Esme
Eliza Inaê
Redatora freelancer, sagitariana e canhota. Apaixonada por séries, livros, Florence + The Machine, sol e comida. Aprendendo a bordar, enxergar o melhor nas pessoas, e a fazer uma bio maneira.

Tá na rede!

Quero mais!

Veja mais artigos!

Em caso de chefe
clique aqui