• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Comes & Bebes

chevron_left
chevron_right

Qual é o Miojo “menos pior”: 7 coisas que você precisa saber ao fazer sua escolha

O segredo está na lista de ingredientes.

Que atire a primeira porção de macarrão caseiro quem nunca apelou para o bom e velho macarrão instantâneo num daqueles momentos em que a fome é muito maior que a coragem (ou grana mesmo) para preparar um cardápio mais elaborado.

Aqui no SOS já ensinamos a fazer lasanha de miojo, miojo do chef e outras 30 e tantas receitas. Isso deixa mais do que claro que, sim: a gente AMA miojo. Apesar disso tudo, com a vida adulta vem também a preocupação com a saúde – e a certeza de que, apesar da praticidade, comer miojo todo dia, está longe de ser uma opção viável.

O Portal Viva Bem, do UOL, consultou nutricionistas e organizou uma lista com dicas preciosas para escolher o miojo “menos pior”, a gente elencou sete coisas que você precisa saber caso esteja a fim de levar para casa um macarrão instantâneo não tão ruim assim para sua saúde. Se liga:

1 . O tempero original do miojo piora tudo

O pacotinho de tempero que acompanha o miojo é pequeno, mas não inofensivo. Ele é basicamente composto por (muito) sal, açúcar e vários aditivos para realçar o sabor. Ou seja: corre que é uma cilada, Bino.

2 . Versão integral é melhor

Algumas marcas apresentam uma versão integral do miojo, que tradicionalmente é feito apenas com farinha branca. A presença de farinha integral deixa o macarrão um pouco mais saudável – principalmente se não utilizar o tempero.

3 . Versão light também

Assim como a versão integral é “menos pior”, a versão light também. Nesse caso, a massa tem menor quantidade de gorduras (de baixa qualidade), o que implica em ser menos calórica.

4 . As massas tradicionais são fritas, as pré-assadas são melhores

Sabe por que o miojo fica pronto tão rapidinho? Porque ele é é frito! Já existe no mercado macarrão instantâneo que dispensa o processo de fritura na fabricação – nesses casos, a massa é pré-assada e, consequentemente, tem melhor valor nutricional.

5 . Ler os rótulos é importante

A parte frontal do rótulo é interessante porque representa o que o fabricante quer que o consumidor saiba logo de cara. Então é bom ficar de olho em expressões como “integral“, “sem aditivos artificiais” ou “menos sódio“.

6. Entender a tabela nutricional já é meio caminho andado

A tabela nutricional é, como o nome diz, uma tabela que apresenta a quantidade de itens como carboidratos, proteína e valor energético. Uma dica é preferir produtos com menor teor de sódio e gorduras e maior de fibras.

7. O segredo está na lista de ingredientes

Não só no macarrão instantâneo, mas em todos os produtos: a lista de ingredientes é o que merece mais atenção. É nela que estão listados, em ordem crescente, cada item que compõe o produto – os itens que aparecem primeiro estão em maior quantidade, então é bom fugir de um miojo onde a gordura esteja em primeiro lugar.

 

Pronto. Agora você já é praticamente um expert na escolha de macarrão instantâneo. Já pode seguir as receitinhas com menos culpa na consciência!

Fonte(s): Viva Bem, Anvisa
Daiane Oliveira
Redatora, feminista e mãe. Discute religião, política, sexo e hábitos sustentáveis. Não discute futebol porque não entende. Quem sabe um dia.

Tá na rede!

Quero mais!

Veja mais artigos!

Em caso de chefe
clique aqui