• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Vai, planeta!

Maneira inusitada para o cachorro não revirar o lixo viraliza; mas está certo?

Segundo especialistas, o vídeo viral faz um verdadeiro desserviço.

Quem é tutor de algum doguinho sabe como educá-lo é um desafio! Fazer qualquer animal ter bom comportamento envolve muita psicologia e paciência. Pois é, adotar um cão é como ter um filho!

Quem tem problemas com um cachorro de comportamento rebelde sabe o que é tentar simplesmente de TUDO e não ter resultados eficazes. E isso só piora quando falamos sobre o péssimo hábito de revirar o lixo!

E foi pelo tanto de gente por aí procurando dicas de como educar o dog, que um vídeo do Nepal acabou viralizando.

Nele, uma dona de um cão da raça Shiba Inu mostra um método para fazer seu pet parar de comer o lixo. Porém, o vídeo acabou virando notícia pelo jeito polêmico que a mulher encontrou para “educar” o bichinho, através do medo.

Ela decidiu comprar um bicho de pelúcia parecido com seu cão, e dar palmadas no brinquedo quando ele estivesse perto do lixo. Tudo isso na frente do cão de verdade, para que ele assimilasse que fuçar no lixo era errado.

Na mesma hora o cãozinho entende o recado e fica amedrontado, chega até a correr de medo!

Confira o vídeo na íntegra:

O vídeo acabou levantando uma grande polêmica. Enquanto alguns usuários acharam o método engraçado, outros não ficaram nada contentes. Afinal de contas, esse método baseado no medo não traria traumas ao bichinho?

Essa forma pode até funcionar para que o pet não faça mais o que não deve. Mas e a saúde mental do cachorro? Para responder aos questionamentos, consultamos especialistas em comportamento animal para explicar a eficácia de tomar uma atitude dessas.

O medo educa o cachorro?

Cães são seres vivos, com sentimentos. E se já aprendemos que criança não deve ser educada à base “da cinta” e palmada, por que alguém usaria esses métodos com um animal? Pois você já deve ter gente que usa e recomenda métodos como spray de água, grito e até coleira que dá choque – sério! E qual a consequência disso?

De acordo com a médica veterinária Ana Carolina Ibelli,

“ao educar um cão sempre devemos levar em consideração que se trata de um ser dotado de sentimentos. Qualquer coisa deve ser feita com amor e carinho para dar certo”.

Sendo assim, métodos agressivos podem ter consequências sérias.

“Educação baseada em medo, como mostrado no vídeo, não funciona nem com crianças e muito menos com cães. Com cães o efeito pode ser ainda pior: eles podem se tornar agressivos posteriormente, ou deprimidos a ponto de desenvolverem doenças graves. Além de tudo, o efeito ‘educativo’ não faz nenhum sentindo”, explica a profissional.

Para a veterinária Stephânia K. Mélo, do hospital veterinário UpaVet, além de não educar, o método pode piorar o comportamento que o tutor deseja corrigir.

“É capaz de desencadear outros fatores ainda mais graves, como o cão ficar com medo do seu próprio tutor ou ele pode se tornar um animal raivoso, que responde com mordidas e ameaças de ataque a qualquer movimento brusco feito por qualquer pessoa, até mesmo uma criança que tenta abraçá-lo.”

Punição positiva não!

Luiza Cervenka é bióloga, especialista em comportamento animal e uma das especialistas que falam dos riscos dessa prática. “Punir positivamente significa adicionar bronca, palmada e ‘trancos’ na hora do passeio”, ela explica em seu canal no YouTube com dicas para adestramento animal.

Para ela, educar com borrifador de água ou coleira que dá choque é um ato de “pura preguiça”. Para não dizer maldade. A especialista conta que métodos como os citados perdem a eficácia com o tempo, pois o cão se acostuma com as punições e ainda pode ficar traumatizado.

“Alguns cachorros são medrosos, então se você bater ou adicionar bronca, ele não vai te obedecer porque entende a importância, mas porque tem medo”, explica Luiza.

Igual com seres humanos, não é mesmo?

A melhor maneira de ensinar regras para um cão

Para Stephânia, o uso do reforço positivo, aliado ao afeto que você tem pelo seu pet, é a maneira mais eficaz para educá-lo. Além disso, ignorar o mau comportamento é ser a melhor tática de punição.

“Sempre premie pelo bom comportamento e ignore os maus, oferecer petiscos é uma ótima forma de recompensa. Acaricie-o demonstrando todo o orgulho pelo aprendizado.”

Entretanto, em casos mais específicos ou em situações em que os donos já tentaram de tudo e não obtiveram um resultado positivo, o melhor mesmo é procurar ajuda profissional.

Um adestrador ou especialista em comportamento animal pode analisar as particularidades de cada caso e orientar aos donos quais seriam as melhores táticas para seu bichinho.

Dessa forma, o melhor mesmo é sempre ter em mente que cães são seres extremamente inteligentes e afetuosos. Por isso é tão importante sempre priorizar métodos que utilizem a psicologia, adestramento e consultar profissionais capacitados.

Com bastante amor, paciência e técnicas corretas certamente os resultados positivos virão!

Fonte(s): YouTube, News 18 Nepal, YouTube, Blog Comportamento Animal
Marina Marques
Jornalista de formação e de alma, daquelas desesperadas para ser a primeira a saber de tudo. Como boa taurina, todos os seus problemas podem ser resolvidos com um bom prato de comida. É apaixonada pela Itália, pelas obras de Carlos Ruiz Zafón e por torrar todo seu dinheiro em shows.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui