• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato

Comes & Bebes

chevron_left
chevron_right

Uma ideia imperdível para o Leite Condensado aberto

A verdade por trás do mito de não poder guardar o leite condensado aberto na geladeira.

Bruno Oliveira Publicado: 06/09/2022 09:20 | Atualizado: 08/09/2022 08:57

É possível guardar uma parte da lata de leite condensado aberta para alguma receita, ou simplesmente reservar um pouquinho para quando bater aquela fome de doce na madrugada. Neste artigo, vamos dar uma dica prática para você conservar o leite condensado que sobrou na latinha. Se liga na dica!

 

Como guardar o leite condensado na geladeira

Caso queira armazenar uma parte do leite condensado na própria lata, você tem um grande aliado ao seu favor: a tampinha do copo de requeijão. Isso mesmo, aquela que iria para o lixo reciclável.

Embora poucos saibam desse truque, a tampinha de plástico do requeijão cabe perfeitamente na boca da lata. Ou seja, ela se torna uma ferramenta de encaixe perfeita para que você possa guardar o leite condensado sem expor ele aos aromas dos outros alimentos na geladeira.

Dito isso, só não vale esquecer de lavar bem a tampinha antes de fazer a troca, tá? E sobre o mito de não poder guardar a lata na geladeira, iremos explicar mais à frente.

Vale dizer que, apesar da ótima dica, a maneira mais recomendada para guardar o leite condensado de lata é o transferindo para outro recipiente, de preferência de vidro ou de cerâmica e bem vedado. Isso tudo para manter o sabor do alimento.

 

Guardar o leite condensado na lata pode fazer mal para a saúde?

Resposta rápida: sim… e não.

Alguns seguidores do Almanaque SOS trouxeram essa afirmação em seus comentários nas nossas redes sociais:

“O correto é que depois de aberto não se pode deixar na lata e sim passar para um vidro com tampa.”, alerta Kellen Karval em nosso TikTok.

“Mano lava o copo de requeijão, esses copos são muito úteis para congelar coisas por exemplo. E despeje o leite condensado. Não é recomendado guardar na lata.”, complementa Victor Passerini em nosso Instagram.

“Lembrando que lata aberta, seja lá que alimento for, deve ser transferido para uma outra vasilha. Isso porque as latas vem com um verniz alimentício que protege o alimento da lata enquanto fechado. Aberta a lata solta o verniz e pode contaminar o alimento!”, disse Sancho em nosso canal no Youtube.

Calma que tá tudo bem nesse caso; vamos explicar na sequência.

 

Por que não é recomendado guardar a lata aberta?

1. O contato com resíduos é supervalorizado

De acordo com artigo publicado pelo Science Notes, o maior risco de guardar um alimento em uma lata aberta é o de contaminação por resíduos de plástico e de metal contidos no objeto, além de também afetar o sabor:

“Os dois potenciais problemas de saúde estão na dissolução de resíduos plásticos e a de metal nos alimentos. Entretanto, a dissolução de plástico em uma lata aberta não é significativamente pior do que na lata fechada. Realisticamente, o tempo extra na geladeira não causará problemas adicionais.”

Ademais, segundo o artigo, as latas têm em seu interior uma camada de verniz que é produzida com alguns materiais que podem se tornar tóxicos, sobretudo quando superaquecidos, como o BPA, substância muito utilizada na produção de embalagens e recipientes de plástico.

Sendo assim, contanto que você não aqueça a lata (como nos casos de preparação de doce de leite caseiro), a probabilidade de contaminação por BPA deve ser mínima.

Além disso, a latinha é feita de um metal que pode ser corroído lentamente pelo ácido de alguns alimentos. Contudo, o risco dessa contaminação também é mínimo, já que o metal demora anos para que possa ser corroído a ponto de afetar os alimentos.

Agora é importante ressaltar que essa tampa com lacre igual a lata de refrigerante funciona de forma diferente das convencionais, que precisam de um abridor. Nessa versão, ela sai completamente e de forma limpa, sem sobrar metal. E como vai ser trocada por uma de plástico, o alimento não terá mais contato com o metal da tampa que teve o verniz corrompido.

Então, tá tranquilo.

2. O efeito no sabor dos alimentos é o maior problema

O artigo citado anteriormente também indica que o perigo de exposição a esses elementos também pode afetar diretamente o sabor desses alimentos:

“Embora a dissolução de resíduos de plástico ou metal da lata provavelmente não seja um grande problema de saúde, pode definitivamente afetar o sabor.“

Em suma, apesar do mito de super contaminação da lata ser um pouco exagerado, alterar o sabor do que tem lá dentro pode ser o maior problema nesse caso.

Bateu vontade de comer um doce de leite mas não tem em casa?! Confira o nosso artigo que te ensina a fazer um leite condensado caseiro e mais barato que o de latinha.

3. O verdadeiro perigo que pode vir de dentro da lata

Apesar de sua transmissão ser consideravelmente rara por meio do consumo de enlatados, existe uma doença que pode ser transmitida pela ingestão de alimentos enlatados como vegetais, produtos cárneos cozidos, curados e defumados: o botulismo.

A doença se dá pela bactéria Clostridium botulinum que é encontrada no solo, nas fezes de humanas e de outros animais, além de alimentos. Ela produz esporos que sobrevivem em ambientes com pouco oxigênio, como em produtos em conserva e enlatados, mesmo quando fechados.

Dentre os sintomas da doença estão dores de cabeça, tonturas, diarreia, náuseas, dores musculares, prisão de ventre e até infecções respiratórias. Vale destacar que nem todos os sintomas se apresentam na pessoa infectada.

Dito isso, a melhor maneira de evitar o contágio é evitar produtos em conserva e enlatados em geral ou de embalagens que estejam estufadas, com vidro embaçado ou que apresentem alterações incomuns no cheiro e nos aspecto do alimento após abertas. Por conta do verniz citado nesse artigo, latas levemente amassadas já não apresentam risco.

 

Fonte(s): FDA, ewg, MUNDO LATAS, GRUNDIG, epicurious
Bruno Oliveira
Atleta virtual, jornalista, podcaster e gamer de esquerda nas horas vagas. Acredita piamente na capacidade do ser humano de ser melhor, sempre. Dog person e pernambucano, observa o mundo em camadas.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui