• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato

Vai, planeta!

Kit com Joaninhas faz sucesso como proteção natural para jardins e hortas

As simpáticas joaninhas são usadas no controle biológico de pragas.

Jessica Alves Publicado: 28/05/2021 13:00 | Atualizado: 28/05/2021 13:48

Para quem não sabe, joaninhas são usadas no controle biológico de pragas. Ao invés de agrotóxicos, o simpático inseto atua como produto fitossanitário na sua horta ou jardim. Veja a seguir como adotar esses pequenos animais.

 

As joaninhas são muito queridas e admiradas, devido a seu visual fofo e encantador. Mas além da beleza, o corpinho redondo e enfeitado com bolinhas também carrega uma poderosa função: o controle de pragas em vegetações, semelhante a um inseticida natural.

Estudos científicos apontam que o animalzinho, que pertence à família Coccinellidae, são predadores naturais que ajudam na manutenção da diversidade de plantas.

De acordo com Julio César Guerreiro, professor doutor da  Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal de Garça em São Paulo (FAEF), o primeiro relato da utilização das joaninhas no controle biológico de pragas ocorreu em 1889.

A espécie de joaninha Rodolia cardinalis foi importada da Austrália para o controle da cochonilha Icerya purchasi. Era um tipo de praga que estava dizimando os plantios de citros da Califórnia.

Portanto, o experimento foi um sucesso e o animal se tornou eficaz para combater pragas nas plantações. Tanto que é reproduzido até nos dias atuais.

Inclusive, no Brasil, o inseto foi aprovado como produto fitossanitário na agricultura orgânica por instrução normativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A tecnologia foi introduzida há mais de 20 anos, na Bahia. A Embrapa, inclusive, multiplicou a distribuição do animal para os agricultores.

 

Hortas, jardins e praças livres de agrotóxicos

A joaninha ataca diversos tipos de pragas, mas o seu alvo principal é a cochonilha-rosada, inseto asiático, que suga a seiva das plantas. Com isso, ele pode provocar prejuízos a diversos tipos de lavouras, também jardins e hortas.

Por causa dessa eficiência, existem no país projetos que vendem ou distribuem gratuitamente joaninhas para combater essas pragas para uso doméstico, bem como em parques e praças.

A Prefeitura de Belo Horizonte (MG) mantém, desde 2018, o projeto Biofábrica, que realiza a produção em massa desses insetos para uma forma biologicamente correta de combate de pragas, sem uso de agrotóxicos.

Mas para isso, os insetos são capturados na natureza, e criados em laboratório, com dieta e temperatura controladas.

“A Biofábrica conta com três servidores da Secretaria de Meio Ambiente e trabalha no aumento da população de joaninhas”, explicou o gerente Dany Amaral, doutor em Entomologia.

Idealizado pela Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura, o projeto fornece kits com joaninhas para os moradores da capital mineira. Porém, os serviços estão temporariamente suspensos, como medida de enfrentamento da COVID-19.

O modelo gerido em Belo Horizonte foi espelhado no projeto feito em Paris, França, em 2017. No final de março mais de 40 mil larvas de joaninhas foram distribuídas para jardineiros amadores da cidade.

 

Kit Joaninhas para jardins e hortas

Além da prefeitura, outros projetos distribuem joaninhas para combater as pragas em jardins e hortas, mesmo em casa. Um deles é o Asas & Cores, idealizado pelo casal de entomologistas Guilherme Trivellato, e Katherine Giron Perez.

Assim, por meio de vendas online, eles disponibilizam espécies de joaninhas, junto com um material didático, que ensina crianças e adultos sobre a vida e os cuidados com esses queridos insetos.

“Durante muito tempo nós queríamos usar a entomologia para trabalhar com crianças. Assim, conseguimos chegar até as joaninhas e levar isso ao cunho educativo. Distribuímos kits em escolas e depois o projeto cresceu para a área comercial”, destacou Guilherme.

No kit, eles desenvolveram um habitáculo com larvas das joaninhas e ovos de mariposa esterilizados, que servem de alimento – sim, assim como qualquer outro pet, você precisa alimentá-las -, com quantidade suficiente para o tempo de desenvolvimento de duas semanas até a fase adulta.

Importante informação que falta no kit, dada pelo diretor criativo e consultor de cores, Michell Lott, um dos clientes do projeto: “precisa ter um hotel de insetos”, caso contrário as joaninhas fogem do seu jardim/horta e não voltam mais.

O perfil @hoteldosinsetos no Instagram disponibiliza diversos modelos.

Vale dizer que já ensinamos a fazer um hotel para abelhas solitárias.

Os benefícios de criar as joaninhas são muitos, segundo Trivellato. Além de conhecer mais sobre a espécie, ela também é fácil de ser criada tanto em casas quanto em apartamentos. E o melhor de tudo é que não precisa ser um expert no assunto para isso, porque o kit é bem explicativo.

“As joaninhas de nosso kit podem ser criadas em qualquer lugar, mesmo em apartamentos ou kitnets. Funcionam super bem no jardins, hortas, varandas ou sacadas. A joaninha é uma caçadora nata, e procura o alimento nos ambientes com vegetais. Consegue de longe farejar as pragas e consumi-las”, disse.

As fofinhas, digo, joaninhas são enviadas com todo cuidado pelos Correios.

Fonte(s): FAEF, Embrapa, Prefeitura de Belo Horizonte, Folha de São Paulo
Jessica Alves
Jornalista do Norte que se aventura na terra do pão de queijo, Belo Horizonte. Ama gatos e cães, é apaixonada por rock, cinema, anime antigo e cultura pop. Descobriu nas palavras o grande amor e sua fonte de renda.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui