Colunas

Jamais jogue remédios no lixo; veja como descartá-los

17 de junho de 2019
Postado por Daiane Oliveira

Como você descarta os remédios vencidos? Há quem jogue no lixo comum, no ralo da pia ou no vaso sanitário. Mas qual será realmente a melhor forma de se desfazer de medicações vencidas?

Antes de explicar melhor isso, precisamos fazer um alerta: medicamentos vencidos não devem ser ingeridos. Não caia nessa história de que “se não fizer efeito, mal também não faz“. O médico Drauzio Varella fala sobre o assunto em um vídeo do seu canal no YouTube:

“Um medicamento que passou do prazo de validade pode tanto não ter efeito como provocar alguma reação indesejada e inesperada“, alerta.

Os medicamentos são considerados contaminantes emergentes, que nada mais são do que produtos tóxicos que os métodos tradicionais de tratamento de água para consumo humano não conseguem remover. Ou seja: ainda que em quantidades mínimas, eles voltam para nós por meio da água da torneira.

Jornalismo Ambiental, https://jornalismoambiental.uniritter.edu.br/?p=1817

SEM LEGENDA

Uma pesquisa realizada por cientistas brasileiros analisou a presença de resíduos tóxicos de medicamentos no ambiente aquático e confirmou que eles podem se dissolver indevidamente na água e se acumular nos sedimentos de rios ou mesmo de alguns organismos, como peixes.

Não há dados que demonstrem os efeitos da exposição a longo prazo desses contaminantes no organismo humano, mas estudos realizados pelo Instituto de Química da Unicamp comprovam severos danos à fauna aquática, como por exemplo interferência na fertilidade das aves e feminização dos peixes.

A professora e cientista Tânia Pizzolato coordena uma pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) sobre contaminantes emergentes no Arroio Dilúvio, em Porto Alegre, e explica que a contaminação dos rios tem consequências sistêmicas:

Aqueles resíduos no ambiente vão afetar a base da cadeia alimentar – os micro-organismos, os peixes pequenos… E quando se afeta a base, indiretamente se afeta toda a estrutura”, pontua a cientista.

Que destino devo dar aos medicamentos vencidos?

Sabendo de tudo que já falamos aqui fica claro que o lixo comum ou o esgoto não são lugares adequados para se descartar medicamentos vencidos. Então, o que fazer?

Algumas drogarias fazem a chamada “logística reversa” e recolhem remédios vencidos ou que não serão mais utilizados. O Programa Descarte Consciente elaborou um mapa com estabelecimentos espalhados pelo Brasil que realizam essa coleta.

Para consultar o mapa é só clicar aqui.

Reprodução

Caso sua cidade não tenha uma drogaria cadastrada ou não seja um lugar acessível para você, o melhor a se fazer é procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e se informar sobre o processo de descarte local.

É também nas UBSs que devem ser entregues, dentro de embalagens rígidas (garrafas PET, por exemplo), agulhas ou lancetas utilizadas no tratamento de doenças como diabetes.

O que acontece depois?

Os objetos perfurocortantes são descontaminados em uma usina de tratamento e, em seguida, descartados como lixo sólido nos aterros sanitários. Como remédios e produtos químicos não podem ser depositados na natureza, eles são incinerados em usinas industriais adequadas para realizar esse procedimento.

O descarte correto dos medicamentos deixa de poluir a água e de oferecer riscos à nossa saúde ou de outros animais. Com os medicamentos recolhidos pelo Programa Descarte Consciente, estima-se que mais de 150 bilhões de litros de água deixaram de ser contaminados.

Resumindo:

  • Verifique sempre a validade dos remédios e não consuma caso estejam vencidos;
  • Procure um ponto de coleta em farmácias, em programas ou em uma UBS para descartar remédios vencidos ou que você não tomará mais;
  • Nunca jogue medicamentos no lixo comum ou pela rede de esgoto.

eCycle, Roche, Drauzio Varella, YouTube - Drauzio Varella, Embrapa

MATÉRIAS RELACIONADAS