• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Crossfit Mental

chevron_left
chevron_right

Por que “Férias na Tailândia” é o novo “Férias na Europa”?

O motivo do país aparecer mais que os memes da Gretchen na sua timeline.

Você reparou que nas fotos de férias dos amigos ricos do seu facebook, a Europa perdeu espaço para as praias paradisíacas da Tailândia?

Os castelos medievais forrados de neve estão perdendo espaço para o clima tropical e as belas praias desse país asiático. Mas porque esse destino virou o favorito dos brasileiros? Chega junto que vamos te mostrar o que rola por lá e você vai entender por que a Tailândia está em alta!

A Autoridade de Turismo da Tailândia (ATT) afirma que o turismo no país não para de crescer, principalmente depois de 2005, quando políticas de fomento surgiram e passou-se a investir mais na publicidade.

O último levantamento feito pela autoridade local indica que 32 milhões de visitantes estrangeiros visitaram o país no último ano – 55 mil eram brasileiros!

“Para a América do Sul, a Tailândia é um destino novo e que não está tão consolidado quanto os destinos europeus, embora ofereça uma infindável gama de atrações. No contexto global, é um destino reconhecido por suas atrações agregadas a um alto grau de sofisticação com ótimo custo-benefício.” , nos afirmou o órgão.

A especialista em produtos exóticos da CVC, Nathalia Moura, diz que o aumento na procura por esse destino só tem crescido e que em 2016 a empresa embarcou mais que o dobro de passageiros para lá comparado ao ano anterior.

Wat Arun, o Templo do Amanhecer, em Bangkok

Além da baixa nos preços dos pacotes de viagens – resultado das promoções nos valores de passagens aéreas -, a especialista explica que o aumento do investimento em publicidade também pode ter favorecido o novo fluxo turístico.

“O governo da Tailândia tem investido em mídia para promover o destino, e muitas celebridades e influenciadores viajaram para lá, o que aumenta a visibilidade”, explica a profissional.

Por que a Tailândia é “pop”?

É óbvio que lugares com praias maravilhosas e cultura marcante atraem turistas. Mas além disso, a Tailândia também é um atrativo para o nosso bolso.

A moeda local é o Baht (฿) e, atualmente, R$ 1 equivale a ฿11,1. Ou seja, o nosso dinheirinho rende bem mais por lá do que na Europa.

Baht, a moeda local

Nathalia afirma que, no entanto, o destino ainda não é mais procurado do que a Europa. “É um destino que está na moda”, segundo a especialista, por isso o país tem chamado cada vez mais atenção, principalmente do público entre 24 e 50 anos.

Vale lembrar que o clássico filme “A Praia”, com Leonardo DiCaprio, foi gravado lá.

Gays, trans, travestis…são bem-vind@s!

Outro fator que tem levantado a bola do país é que ele vem sendo considerado um polo de turismo “gay friendly”, ou seja, é um lugar receptivo ao público LGBT.

Segundo a ATT, o nome “Tailândia” deriva de “Muang Thai” que significa “A Terra do Livre”. Não é lindo!?

“O tailandês é amigável e educado com todos, independentemente de seus credos religiosos, opções políticas ou afetivas. Isso contribuiu para que a Tailândia fosse reconhecida e escolhida pela comunidade LGBT de todo o planeta como seu destino de férias.”, afirmou o órgão.

Digamos que Bangkok (a capital do país) é a São Francisco da Ásia. Por isso, além da variedade de karaokês, hotéis, saunas e salões de massagem voltados para esse público, a Autoridade de Turismo informou que o país também mantém em seu calendário eventos de orgulho e afirmação LGBT em diferentes cidades durante o ano todo.

Parada do Orgulho Gay, em Phuket

O país é referência mundial para a cirurgia de mudança de sexo, como você pode conferir nessa matéria do Fantástico, programa da Rede Globo. E também foi o primeiro do sudeste Asiático a criar, em 2015, uma Lei de Igualdade de Gêneros a fim de garantir proteção contra a discriminação por expressão de gênero.

As cidades que fazem sucesso

Segundo a ATT, a cidade mais visitada é Bangkok, capital do país. Porém, o sul da Tailândia é extremamente procurado por conta de suas praias e ilhas, como Phuket, Koh Samui, Ko Tao, Similan e Krabi (quem não gosta de praias paradisíacas, né?!).

Praia paradisíaca em Similan

Já ao Norte, Chiang Mai e Chiang Rai, com seus templos maravilhosos, também são destinos muito procurados pelos turistas brasileiros.

Wat Rong Khun, o Templo Branco, em Chiang Rai

De respeito todo mundo gosta

A Tailândia, na verdade, é o Reino da Tailândia. Sim, existe uma Família Real lá e, de acordo com a Autoridade de Turismo da Tailândia (ATT), os tailandeses têm um profundo respeito por ela. Assim como também reverenciam os monges e Buda.

E isso é o que chamam de três pilares da cultura tailandesa. A Soberania, o Budismo e a Família Real.

O Festival das Luzes, ou Loi Krathong, acontece em novembro no país

A Tailândia vista por olhos de brasileiros

Procuramos pelo casal de viajantes que criou o blog de viagem Pequenos Monstros, a Debbie Corrano e o Fê Pacheco. Eles estão morando na Tailândia e disseram que ao chegar em Bangkok se lembraram de São Paulo, cidade natal dos dois, porém, em uma versão mais caótica.

A “pequena monstra” Debbie Corrano passeando no Mercado Chatuchak, o maior da Tailândia, em Bangkok

“É uma cidade enorme, cheia de gente e coisas para fazer que não ficam muito perto uma das outras. Uma coisa que sempre falamos para os gringos de São Paulo é que é difícil se apaixonar por ela de cara porque é uma cidade que não te abraça, e essa foi a mesma sensação que tivemos com Bangkok”, relataram.

Atualmente, o casal está em Chiang Mai – uma cidade bilhões de vezes mais tranquila, segundo eles.

“A vibe da Tailândia é bem diferente de todos os países que conhecemos na Europa. O povo é extremamente simpático, a temperatura é relativamente boa o ano inteiro e tem muita gente de todos os lugares do mundo, mas é uma cultura completamente diferente. A Europa é muito cômoda, fácil de lidar e de se locomover. A Tailândia não”.

Tuk-tuk, meio de transporte popular no país

Os “Pequenos Monstros” explicam que os cuidados com a segurança que devemos tomar lá não são tão diferentes dos que temos aqui no Brasil, mas alertaram para não cair na conversa dos motoristas de tuk-tuks que costumam tentar enrolar os turistas.

“Se você quer vir para a Tailândia e conhecer cada cantinho não pode ter medo de passar perrengue. Mesmo se você falar inglês, venha preparado para fazer muita mímica e sorrir sem entender nada muitas vezes ao dia”, conta Debbie.

Como eu chego lá?

Não existem passagens diretas para a Tailândia saindo do Brasil. É preciso fazer conexões em outros países. Os voos através da região do Golfo Árabe (Dubai, Doha e Abu Dhabi), assim como a Turquia (Istambul) e Etiópia (Addis Ababa), tornaram-se as rotas mais comuns, de acordo com o que a ATT informou.

Quando ir?

Segundo o site especializado 360meridianos, se você não estiver a fim de pegar chuva e nem de torrar no sol (já basta queimar aqui no Brasil, né), a melhor época para visitar o país é entre os meses de novembro e fevereiro, quando o tempo é seco e com temperaturas mais amenas.

O Mercado Flutuante, em Bangkok

A especialista da CVC, Nathalia Moura, já esteve no país durante a baixa temporada e explica que mesmo durante as monções (uma época de clima chuvoso, predominante entre os meses de maio e setembro) dá para visitar o local.

“Eu fui em setembro. Só é preciso ter em mente que em algum horário do dia irá chover forte, mas por pouco tempo”, aconselha a profissional.

E cuidado na hora de comprar as lembrancinhas…

Estátua do Buda Reclinado, no templo de Wat Suwan Kuha, em Phang Nga na ilha Phuket

É proibido levar do país imagens de Buda! Fica a dica para um retorno sem gafes.

– E aí, entendeu o motivo de fotos da Tailândia aparecerem mais que os memes da Gretchen na sua timeline?

Fonte(s): Diversidade, Viaja Bi, Pangea Etc
Yasmin Gomes
Yasmin Gomes é jornalista e rema contra a maré sempre que preciso. Exemplar clássico da área de humanas, não tem pudor para aplaudir o pôr-do-sol e se importar com pessoas. Signo de ar.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui