A ciência comprovou que andar descalço faz bem e pode curar doenças
  • Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Sinta-se Bem

A ciência comprovou que andar descalço faz bem e pode curar doenças

Pisar na terra ou na grama traz diversos benefícios à saúde.

Redação - Almanaque SOS Publicado: 28/11/2017 11:18 | Atualizado: 28/11/2017 14:41

Dez entre dez crianças já ouviram da mãe: “vai calçar um chinelo, meninx!“.

Acontece que a ciência agora recomenda exatamente o oposto disso, diversos estudos comprovam que andar descalço, com o pé na terra, pode trazer benefícios incríveis para nossa saúde.

Tira o chinelo, Brasil!

De acordo com este estudo, publicado no site científico NCBI, andar sobre o solo sem a proteção de nenhum calçado, conhecida na gringa como “grounding“, ou “earthing” (algo como “aterramento”), aumenta consideravelmente nossa saúde e nosso sentimento de bem estar.

Conforme o estudo, desenvolvido pelo Dr. James Oschman, doutor em biologia pela Universidade de Pittsburgh e especialista em medicina energética, esses benefícios de devem à carga rica em elétrons presentes no solo. Ao andarmos descalços, esses elétrons penetram em nosso corpo e funcionam como poderosos antioxidantes, destruindo os radicais livres.

“A ligação à terra reduz ou mesmo impede os sinais cardinais de inflamação após lesão: vermelhidão, calor, inchaço, dor e perda de função. A resolução rápida da inflamação crônica dolorosa foi confirmada em 20 estudos de caso usando imagens médicas por infravermelho.

Nossa principal hipótese é que conectar o corpo à Terra permite que elétrons livres da superfície da Terra se espalhem para o corpo, onde podem ter efeitos antioxidantes. Especificamente, sugerimos que os elétrons móveis criem um microambiente antioxidante em torno do campo de reparação de lesões, retardando ou evitando que as espécies reativas de oxigênio fornecidas pela explosão oxidativa causem “danos colaterais” ao tecido saudável e previnam ou reduzam a formação do processo inflamatório.”  – conclui o estudo.

Isso significa que o simples ato de caminhar descalço sobre a terra pode funcionar como um potente tratamento e uma possível solução à uma variedade de doenças, inclusive as crônicas e degenerativas, como também afirma este estudo.

Estresse crônico, disfunção no Sistema Nervoso Autônomo, inflamações, dores, sono fraco e insônia, sangue hiper-coagulável, disritmia e muitos outros problemas de saúde mais comuns, como as doenças cardiovasculares podem ser curadas “metendo o pé na terra”.

“A pesquisa realizada até o momento suporta o conceito de que a terra ou o aterramento do corpo humano podem ser um elemento essencial na equação da saúde, juntamente com a luz do sol, ar limpo e água, alimentos nutritivos e atividade física.”

E os benefícios não param por aí

Este outro estudo, desenvolvido pelo Departamento de Biologia Celular da Universidade da Califórnia, constatou que andar descalço aumenta o fluxo sanguíneo na região do rosto.

Imagem do fluxo sanguíneo: A esquerda, fluxo normal. A direita, fluxo intenso, após 20 minutos de caminhada descalço.

Essa pesquisa, publicada no The Journal of Alternative and Complementary Medicine, constatou que a prática é capaz de reduzir a viscosidade do sangue, característica que está associada a problemas cardiovasculares.

esta outra, publicada no NCBI, revela que andar com o pé na terra é o principal fator capaz de regular o sistema nervoso e o sistema endócrino do ser humano.

Andar descalço na cidade, como?

De fato, o mundo contemporâneo tem nos afastado dessa conexão com a natureza, principalmente com o solo.

E se pararmos para pensar, seres humanos não foram “feitos” para andar com proteções nos pés, inclusive existem estudos condenando o uso de amortecedores. Segundo esse estudo, publicado pela Royal Society, instituição inglesa destinada à promoção do conhecimento científico, os tênis impedem nossos pés de funcionarem como molas naturais.

De qualquer forma, mesmo na correria do dia-a-dia há como você ser beneficiado pelo benefício do “pé no chão”.

De acordo com o site ativista Collective Evolution, calçados com sola de borracha ou plástico vão isolar os elétrons, que não irão se espalhar pelo seu corpo agindo como antioxidantes. O mesmo vale para solos de asfalto, madeira, plástico ou vinil.

Porém, se você usar calçados com solado de couro ou couro vegano, os benefícios do “aterramento” podem atingir seu corpinho. De qualquer forma, não precisa necessariamente ficar descalço na terra. Pisar na grama, areia, concreto e até telhas de cerâmica também funciona.

E lembre sempre de usar o bom senso, andar descalço em lugares sujos ou alagados não é lá muito indicado. Para todos os outros casos, como diria a Ivete Sangalo do mundo invertido: “Bota o pé no chão!!”

Fonte(s): Collective Evolution, David Wolf, Run Bare
Redação - Almanaque SOS
Sempre tem jeito. Acompanhe o SOS também pelo Facebook e Instagram .

Tá na rede!

Quero mais!

Veja mais artigos!

Em caso de chefe
clique aqui