• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato

Sinta-se Bem

Estresse envelhece porque age igual uma doença contra as células

O “creme anti-idade” mais eficiente do mercado é gratuito.

Marina Costa Publicado: 30/10/2020 12:16 | Atualizado: 30/10/2020 12:22

Acredite, o “creme anti-idade” mais eficiente do mercado é gratuito. Se não quiser envelhecer antes do previsto: calma. O estresse é um dos principais fatores para o envelhecimento precoce e é causa de várias doenças, segundo estudos.

 

Tá bom, tá bom… mas não se irrite”, já nos ensinava o eterno Chaves.

Principalmente se você não quiser parecer um vovô (ou vovó) antes do previsto, ou até mesmo, morrer antes do tempo. Isso porque, o estresse provoca o envelhecimento precoce, e ainda, é causa de várias doenças.

Você certamente, já deve ter se deparado com pessoas que aparentam ser mais velhas do que são, pode ser por fatores genéticos, ou simplesmente, a falta de “maracugina”.

 

O estresse é considerado um suposto assassino da longevidade

Hector Garcia, ex-engenheiro de software que nasceu na Espanha e mora no Japão há mais de 13 anos, é autor do livro “IKIGAI: O segredo japonês para uma vida longa e feliz”. Nele, revela os segredos da longevidade, além de pesquisas sobre as causas do envelhecimento prematuro.

Em um dos tópicos, ele mostra como o estresse tem muito a ver com isso, visto que o corpo se desgasta muito mais rápido durante os períodos de crise.

O termo IKIGAI é formado por duas partes: o prefixo -iki, que significa vida, e o sufixo -gai, que significa valor. Um dos conceitos do IKIGAI consiste em viver uma vida com propósito, e livre de estresse, já que este é um dos principais fatores para o envelhecimento precoce.

 

Definição do estresse

A palavra “Estresse” é bastante popular, porém, o conceito dela não é muito antigo, ela foi introduzida na medicina em 1936 pelo Dr. Hans Selye, endocrinologista do Instituto de Medicina e Cirurgia Experimental (Universidade de Montreal, Canadá).

Sua definição está vinculada à fisiologia e à psicologia:

“Agressão do organismo por um agente físico, psíquico, emocional, levando a um desequilíbrio que deve ser compensado por um trabalho de adaptação; agente que ataca; tensão nervosa, estresse do corpo diante de um choque (evento repentino, trauma, sensação forte, ruído, excesso de trabalho); estado de pessoa submetida a esta tensão”.

 

Um pouco de estresse é bom para você

Embora o estresse intenso e contínuo seja um inimigo da longevidade e da saúde física e mental, níveis adequados de estresse demonstraram ser benéficos, principalmente porque faz parte da evolução humana. Ou seja, o estresse é uma resposta biológica ao perigo e desconforto, o que ajuda a passar por esses momentos.

O estresse, portanto, é uma reação que permite a adaptação a diferentes condições externas ou internas, sendo um fator protetor do corpo. Ele também participa dos vários sistemas destinados a preservar nossas funções vitais.

 

Mas nem tanto…

No entanto, o estresse excessivo e constante é visto como algo prejudicial, principalmente na saúde, provocando várias doenças e o envelhecimento precoce.

 

Como funciona o estresse no corpo?

No livro, Héctor Garcia traz um estudo que foi realizado no Hospital Universitário de Heidelberg, na Alemanha.

O estudo em questão consistiu em submeter um jovem médico a uma situação de alto estresse: uma entrevista de emprego um tanto difícil, em que ele respondia perguntas complicadas de matemática.

Ao final da entrevista, coletaram o sangue desse jovem médico, e constataram que os anticorpos reagiram da mesma forma que reagem contra agentes patogênicos, gerando uma ativação de proteínas que geram uma resposta imunológica.

O problema é que essa resposta não apenas neutraliza os agentes nocivos, mas também, danifica as células saudáveis, levando-as a envelhecer prematuramente.

 

Outras ações do estresse no envelhecimento

Mesmo sem muitas vezes perceber, o estresse é uma condição facilmente identificável que não só causa ansiedade, mas também é altamente psicossomática, afetando tudo, desde nosso sistema digestivo até nossa pele.

O estresse tem um efeito degenerativo ao longo do tempo. Um estado de emergência constante afeta os neurônios associados à memória, além de inibir a liberação de certos hormônios, cuja ausência pode causar depressão. Seus efeitos secundários incluem irritabilidade, insônia, ansiedade e pressão alta.

Um estudo publicado na revista científica Nature, e realizado por Pesquisadores da Faculdade Medicina de Ribeirão Preto São Paulo (FMRP-USP) e Harvard, constatou que o estresse causa cabelos brancos precocemente. Eles acreditam que os efeitos estão ligados às células-tronco dos melanócitos, que produzem melanina e são responsáveis ​​pela cor do cabelo e da pele.

Isso se deve ao fato de que, o envelhecimento é caracterizado pelo acúmulo de dano macromolecular dentro das células, o qual prejudica a capacidade das células-tronco de promover a regeneração do tecido e restaurar a perda da integridade fisiológica.

Dessa forma, não só a cor do cabelo sofre com a degeneração, a pele também. Um estudo científico Inflamm Allergy Drug Targets publicado em 2014, constatou que o estado constante de alerta, ou seja, a liberação constante de cortisol (hormônio do estresse), causa atrofia cutânea, e a redução do número de fibroblastos, comprometendo a produção de colágeno e elastina, fatores associados ao aparecimento de rugas.

 

A ilha anti-estresse

O que é que te faz sair da cama de manhã?
Você poderia me responder: “despertador, café da manhã, senso de dever para com o trabalho e a família …”

“O Ikigai!”, responderia um morador de Okinawa, a bela ilha conhecida pelo alto índice de longevidade de seus habitantes.

O que é que permite que você viva uma vida longa com plena saúde?
Você poderia me responder: “alimentação saudável, atividade física, ausência de estresse …”

O que é que te faz feliz?
“O Ikigai!” Um “jovem” de 80 anos de idade, alegre, de Okinawa, responderia.

Ikigai é um conceito japonês que indica justamente aquilo pelo qual vale a pena acordar de manhã, que dá sentido à sua vida, que te faz viver uma vida longa e feliz, e com um propósito a seguir, pois sem isso, a ansiedade e o estresse toma espaço, e consequentemente, o envelhecimento precoce; é um ciclo

Mas, se você tem percebido que está vivendo sem sentido ou prazer, não se preocupe, você também tem seu Ikigai, só não encontrou ainda.

 

Encontre seu IKIGAI

Você pode começar a descobrir seu Ikigai fazendo perguntas simples, como:

  • O que traz felicidade para minha vida cotidiana?
  • O que coloca um sorriso no meu rosto só de pensar nisso?
  • O que eu continuaria a fazer mesmo se tivesse dinheiro suficiente para viver feliz para sempre?

 

Atitudes anti-envelhecimento

Algumas atitudes práticas no cotidiano também podem ajudar, como por exemplo:

Mantenha sua mente ativa

A mente tem um tremendo poder sobre o corpo e a rapidez com que envelhece. O segredo para manter o corpo jovem é manter a mente ativa – um elemento-chave do Ikigai – e não ceder ao enfrentar dificuldades ao longo da vida.

Seja resiliente

Uma atitude estoica – serenidade diante de um contratempo – também contribui para a saúde e longevidade, pois reduz os níveis de ansiedade e estresse, estabilizando o comportamento.

Encontre um propósito e persista nele

Uma maneira de chegar a um estado de atenção plena é por meio da meditação, que ajuda a filtrar as informações que nos chegam do mundo exterior. Também pode ser alcançado por meio de exercícios respiratórios, ioga e varreduras corporais.

Alcançar o foco pleno em um propósito envolve um processo gradual de treinamento, mas com um pouco de prática, é possível aprender a focar a mente completamente, o que reduz o estresse e ajuda na longevidade e qualidade de vida.

Fonte(s): Veja, Unisaude, Bahiana
Marina Costa
Acredita que existem muitas outras pessoas talentosas na Blogosfera. Por isso, decidiu ser uma delas. Fique à vontade para tirar suas próprias conclusões!

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui