• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Setor Bugiganga

Bizarro! Veja quais informações privadas a Google e o Facebook guardam sobre você

Se você achava que só espionavam gente famosa, errou feio.

Com o recente escândalo envolvendo o Facebook, acusado de usar dados privados de quase 90 milhões de seus usuários para influenciar e manipular as eleições dos Estados Unidos – tendo Donald Trump como vencedor – a discussão quanto aos perigos que envolvem nossas informações disponíveis online reacendeu.

O SOS inclusive já abordou esse assunto neste artigo e em muitas outras publicações.

Precisamos entender que apesar de dizerem o contrário, as empresas online estão usando nossos dados privados para manipular a nossa opinião no mundo real.

Infelizmente, conforme afirma o sociólogo e doutor em antropologia, Ernesto Luiz Marques Nunes, tanto no Brasil, como em alguns países da Europa, falar sobre esse assunto não é algo que as pessoas julguem importante já que boa parte delas ainda acredita que por serem pessoas “normais”, não correm o risco de serem espionadas pelas grandes corporações e outros grupos de poder.

Fato é que nós, simples mortais, mesmo estando protegidos por lei para que esse tipo de coisa não aconteça, como a “lei do esquecimento“, o direito à privacidade ou o próprio Marco Civil, ainda somos vítimas desse sistema, sendo que nesse último caso ainda existe uma regra para que as empresas prestadoras de serviços mantenham registros de acesso por um prazo de pelo menos seis meses.

Para confirmar tal teoria, Dylan Curran, consultor de dados e desenvolvedor web, publicou um artigo no The Guardian mostrando quais são as informações que tanto o Facebook quanto a Google estão armazenando sobre nós, usuários comuns.

O levantamento feito pelo profissional mostra que detalhes extremamente íntimos, como fotos antigas, e-mails enviados e até áudio e imagens da nossa webcam podem cair nas mãos de qualquer um.

 

1. Eles sabem onde você foi

De acordo com Curran, se você tiver sua localização ativada (o que é bastante comum devido aos aplicativos de carro particular, entrega de comida, etc.) a Google armazena todos os lugares que você vai.

No sistema deles, é criada uma linha do tempo que marca por onde você já passou, desde o primeiro dia que usou algum aplicativo Google no seu celular.

Para ver a sua linha do tempo com os dados armazenados pela Google, clique aqui.

Mapa mostrando todos os locais visitados pelo especialista em 2018.

 

2. Não adianta apagar o histórico, a Google gravou todas as suas pesquisas

Não importa se foi no celular, no tablet ou no desktop, a Google armazena todo seu histórico de pesquisas, independente de qual dispositivo ela tenha sido feita, afirma o especialista.

Ou seja, mesmo que você apague o histórico, essas informações ainda podem continuar salvas em outros dispositivos, que ficam disponíveis à plataforma.

Para ver os dados que foram armazenados, clique aqui.

 

3. Eles sabem qual a propaganda certa para você clicar

Com base nas informações que a gente libera à plataforma, como localização, idade, sexo, hobbies, relacionamento, o peso, etc., Curran afirma que a Google cria um perfil de anúncio perfeito, que aumentará as chances de dar aquela clicada.

Ou seja, eles espionam nossa vida todinha para saber o que fará gastarmos uma grana.

Para ver as informações salvas pelo sistema deles, clique aqui.

 

4. Os apps que você usa não são segredo

Segundo Curran, a Google armazena informações de todos os aplicativos e extensões que você usa, como a frequência usada, onde é usado, com quem você interage através deles.

Pois é, isso significa que eles tem como saber, por exemplo, se você é solteiro ou solteira (os que baixam o Tinder), com quem você tanto fala no Facebook, de onde são seus amigos e até que horas você dorme.

Para ver os dados armazenados, clique aqui.

 

5. Alguém assiste o que você assiste

Com o Youtube, essa invasão de privacidade não é diferente. Segundo o desenvolver de Web, a Google também grava todo seu histórico na plataforma de vídeos e com isso, acabam tendo acesso à informações surpreendentes da nossa vida.

Através do que assistimos, explica o e especialista, eles conseguem saber se temos filhos, se somos conservadores ou não, nossa religião, se temos algum problema de saúde, como anorexia ou depressão e até como está nosso humor.

Para ver seu histórico salvo, clique aqui.

 

6. Milhões de páginas sobre você

O especialista explica que a Google oferece uma opção para fazer o download de todos os dados que armazena sobre nós. Após ele ter solicitado o documento, deparou-se com um arquivo de 5,5 GB, o que equivale a mais ou menos 3 milhões de documentos do Word.

Nesse documento estão salvos seus favoritos, e-mails, contatos, seus arquivos do Google Drive, suas fotos, as empresas das quais você comprou, os produtos que você comprou, suas músicas, sua agenda, dados de localização, quantos passos você dá em um dia e todas as outras informações já citadas neste artigo.

Para ter acesso à todas essas páginas sobre você, clique aqui.

Parte dos dados registrados pelo Google

 

7. Não é só a Google, o Facebook também tem esse “dossiê”

O Facebook também organiza um grande dossiê ao seu respeito, mas de acordo com a experiência de Curran, a plataforma é um pouco menos detalhista. O arquivo disponibilizado pela rede social tinha o tamanho de 600 MB, o que equivale a cerca de 400 mil documentos do Word.

De acordo com o especialista, lá estavam armazenadas todas as mensagens enviadas, todos os arquivos enviados, todos os contatos de telefone e todas as mensagens de áudio, tanto as enviadas quanto as recebidas.

Para ver o “dossiê” que o Face fez sobre você, clique aqui.

 

8. Até os emojis que foram enviados o Facebook registra

Conforme explica Dylan Curran, a rede de Zuckerberg também armazena, com base nos “likes” que você distribuiu e no que você conversa com seus amigos, coisinhas que você talvez pense estar interessado.

Segundo Curran, inutilmente, eles também armazenam todos os emojis e stickers que você já enviou na plataforma, além de registrarem quando, onde, por qual dispositivo e qual hora você entra na plataforma.

 

9. Eles podem acessar sua webcam e microfone

Curran afirma que além desses dados armazenados incluírem informações de rastreamento, quais aplicativos você instalou e quando os usou, seus dados de contato, dados da agenda, os e-mails, histórico de chamadas, mensagens enviadas e recebidas, todos arquivos baixados, fotos, vídeos, jogos instalados, histórico de pesquisa, estações de rádio que você ouve, também tem acesso a sua webcam e ao microfone do seu dispositivo.

Sim, eles podem estar te vendo e te ouvindo neste exato momento.

 

10. Aqui estão algumas das diferentes maneiras pelas quais a Google obtém seus dados

Com todas as milhões de páginas sobre sua vida em mãos, Curran fez uma análise para entender as maneiras diferentes que o Google usa para obter essas informações.

Imagem do documento baixado pelo especialista

Abaixo, Curran mostra os dados armazenados sobre o histórico de pesquisa, que possui cerca de 90 mil acessos a sites diferentes, inclusive imagens que baixou e até arquivos baixados pelo site Pirate Bay.

“Meu documento de histórico de pesquisa tem 90.000 entradas diferentes.” – relata Curran.

 

11. Google sabe em quais eventos você participou e quando

Abaixo, o especialista mostra os dados armazenados do Calendário Google, mostrando todos os eventos que ele já adicionou, se ele realmente compareceu e a que horas.

Na imagem destacada, é mostrado o dia em que o desenvolvedor web foi à uma entrevista de emprego, e qual horário retornou para casa.

“Aqui está o meu calendário do Google mostrando uma entrevista de emprego que participei” – conta o desenvolvedor web.

 

12. Até o que você já excluiu está lá!

A seguir temos uma imagem do armazenamento de dados do Google Drive do especialista, que segundo ele inclui arquivos que ele já havia excluído, além de informações com o orçamento mensal do profissional e todos os códigos, arquivos e informações dos sites que o desenvolvedor já havia criado.

 

13. Está se exercitando? Eles sabem que não

Curran compartilha também na publicação a imagem dos dados armazenados do seu Google Fit, programa de treinamento do Google.

Segundo informa o especialista, estão registrados todos os passos que ele deu sempre que caminhou em algum lugar, assim como foi registrado todas as vezes que ele gravou alguma meditação, ioga ou qualquer outro exercício.

 

14. Todas as suas fotos, mesmo as de anos atrás

Além de registrar todas as fotos feitas com o celular, o armazenamento ainda as organiza em pastas de acordo com o ano e cada uma das imagens possuem informações de quando e onde elas foram feitas.

 

15. E também todos seus e-mails

Conforme conta Curran, o documento baixado ainda revelava que todos os e-mails que ele já havia enviado, inclusive aqueles já excluídos e categorizados como spam, estavam armazenados pela Google.

 

Visão geral

Para finalizar o artigo, comprovando que até mesmo as pessoas mais simples tem seus dados armazenados pela Google e podem sofrer as consequências com a venda e o uso desses dados por terceiros – sabe-se lá por qual motivo – o especialista faz um apanhado geral de tudo o que viu no documento sobre sua vida online disponibilizado pela Google.

De acordo com ele, todos os anúncios que ele visualizou ou clicou, os apps – instalados, usados ou apenas procurados –  e todos os sites, inclusive com horários de acesso, estavam registrados.

“Eles têm todas as pesquisas do Google que eu fiz desde 2009.” – afirma Curran

Também estavam registrados todas as imagens (procuradas e salvas), todo conteúdo pesquisado, incluindo notícias e todos os vídeos do Youtube, vistos ou procurados, desde 2008.

Para o especialista, todas essas informações possuem milhões de usos inimagináveis e até destrutivos. Curran explica:

Nós nunca permitiríamos que o governo ou uma corporação colocasse câmeras e microfones em nossas casas ou rastrear nossa localização em tempo quase integral… e é exatamente isso o que está acontecendo.

Sabemos que a essa altura, tudo isso já é um caminho sem volta pois a tecnologia e nossa “vida online” já estão enraizadas no comportamento da nossa sociedade, porém é importante termos conhecimento de onde isso tudo pode nos levar e do mal que pode causar não só ao individuo que tem sua intimidade exposta, mas à todos nós.

Isso é realmente muito Black Mirror.

Fonte(s): The Guardian, BBC, Nexo Jornal, Ernesto Luiz Marques Nunes - Facebook, Vice
Redação - Almanaque SOS
Sempre tem jeito. Acompanhe o SOS também pelo Facebook, Instagram e Twitter

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui