• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato

Sinta-se Bem

10 Dicas para lidar com parentes chatos no Natal

Se possível, fique em casa e faça uma festinha virtual.

Denisson Soares Publicado: 14/12/2020 11:21 | Atualizado: 14/12/2020 12:02

Lidar com parentes chatos nas festas de fim de ano pode não ser uma tarefa fácil, mas essas dicas podem ajudar você!

 

“Se você acha que é um ser espiritualizado, evoluído e iluminado, vá para casa no Natal!” – Elizabeth Gilbert

As celebrações de Natal que reúnem toda a família são tradicionalmente conhecidas como ocasiões alegres, cheias de risos e amor. Entretanto, isso não é uma verdade e até a mais feliz das famílias pode sofrer com os atritos de personalidade causados pelo parente chato.

Apesar de parecer ser uma tarefa impossível lidar com personalidades complicadas, parentes malas e problemas familiares que insistem em aparecer todos os anos, existem algumas boas práticas que podem ser muito úteis para tornar as celebrações mais agradáveis.

A seguir, selecionamos algumas dicas e orientações para ajudar você a impedir que a reunião de Natal seja transformada em um campo de batalha. Confira!

 

1. Tenha certeza de que o parente chato tenha algo para fazer

As coisas ficam melhores quando as pessoas estão ocupadas e sem tempo para perturbar os outros. Muitas vezes, os conflitos surgem porque a pessoa imagina estar sendo deixada de lado ou que não é útil.

Comece dando uma tarefa para a pessoa difícil de maneira que possa concentrar em algo além dela mesma. Por exemplo, fazer um dos pratos que serão servidos. E, claro, deixa-a fazer do seu próprio jeito!

 

2. Atenção aos gatilhos

Em toda reunião de Natal haverá questões que induzem aos conflitos. Em muitos casos, eles são levantados pela mesma pessoa.

É interessante identificar esses tópicos e estar atento para quando eles surgirem. Tente se lembrar das outras vezes que isso aconteceu e quais foram as melhores saídas — ou o que não deve ser feito. Tente lidar com a situação sem criar confrontos, dessa forma, é mais fácil desviar do assunto antes que os ânimos esquentem.

 

3. Estabeleça regras

Se aquele parente complicado faz a mesma coisa com frequência, é essencial criar algumas regras básicas antes do dia da comemoração. Boa parte das pessoas se preocupa e perde tempo com que fazer caso o parente cause problemas, em vez de lidar com a situação de forma direta.

Muitas vezes, uma conversa franca e com boa dose de empatia com a pessoa problemática pode resolver a situação, especialmente em questões comportamentais. É mais fácil dizer para ela para evitar falar sobre um determinado assunto, do que esperar ela falar e ter que apagar o fogo depois.

 

4. Cuidado com o consumo de álcool

O álcool pode parecer uma excelente forma de lidar com o estresse, mas a verdade é que algumas doses podem aumentar a probabilidade de um conflito surgir.

Aqueles parentes que tendem a iniciar as discussões podem acabar ficando mais dispostos a causar problemas se tiverem consumido álcool. E como essa bebida é um depressor natural, o consumo exagerado pode aumentar os sentimentos de decepção e tristeza.

Optar por coquetéis e drinks com níveis muito baixos de álcool pode ser uma solução. Entretanto, se ainda assim a bebida for um problema, retirá-la do cardápio pode ser a única alternativa.

 

5. Planeje seu próprio comportamento

Se você sabe que existe um risco muito grande de estressar-se com um parente complicado, gaste alguns momentos pensando em como quer se comportar.

Pense no que deseja fazer se uma situação chata surgir e procure estar atento as suas ideias. Além disso, deixe as experiências desagradáveis no passado para tentar mudar a dinâmica das relações com os familiares difíceis. Pelo menos nessa data.

 

6. Evite os conflitos, treine algumas frases

Em algumas famílias as discussões tendem a surgir de forma acalorada e cheias de paixões. Porém, é muito comum que os próprios envolvidos não lidem muito bem com argumentos.

Sendo assim, se você sabe que as opiniões de sua tia vão deixar você louco, evite tocar em qualquer coisa que possa incentivá-la a fazer comentários absurdos ou inconvenientes.

Se ouvir alguma coisa que não goste, opte por frases simpáticas, como: “vamos concordar em discordar” ou “não vamos falar sobre isso e acabar com a diversão da família”.

 

7. Não generalize as coisas

Muitas vezes, ao lidar com algum familiar acabamos generalizando as coisas e eles podem não gostar disso. Evite dizer termos como “você sempre causa problemas nas festas”, “você sempre bebe demais no natal”, “você nunca faz nada certo”.

Mesmo que em alguns casos possa ser verdade, expressões desse tipo apenas fazem com que mais negatividade seja despertada e os atritos sejam mais intensos.

 

8. Escute

Alguns conflitos com parentes difíceis surgem porque não os escutamos. Em vez de demonstrar falta de paciência, pressa ou desinteresse, tente ouvir o que ele tem a dizer atentamente e tome cuidado com as respostas. Talvez, esse seja o caminho para começar uma relação de respeito e harmonia.

 

9. Defina limites

Além de criar algumas regras, pode ser necessário fazer algo mais específico. Por exemplo, se aquele familiar causador de conflitos vem de outra cidade, não se sinta no dever de hospedá-lo em sua casa.

Em um primeiro momento isso até pode parecer hostil, mas é importante ter em mente que a presença constante dele pode causar estresse em todos de forma imediata. Sendo assim, escolha definir limites para proteger a si e aqueles que são mais próximos de você.

E, claro, em relação aos limites emocionais é sempre bom lembrar de deixar tópicos desencadeadores de discussões de lado e evitar repetir padrões prejudiciais de comunicação.

 

10. Relaxe

Se você conversou, estabeleceu regras, criou limites, repensou comportamentos e fez tudo o que deveria para evitar problemas com os familiares complicados, tente relaxar e aproveitar o seu dia aconteça o que acontecer.

Muitas vezes, por maiores que sejam os esforços, se a pessoa não quiser mudar, nada pode ser feito. O jeito é direcionar o foco para coisas que realmente valham a pena.

 

Por fim, um último alerta: devido à pandemia da Covid-19, todo o cuidado é pouco! Se não fez quarentena (isolamento social) 15 dias antes do encontro, fique em casa e faça uma festinha virtual.

E caso tenha que visitar a família, mesmo que seja uma ocasião especial, evite aglomerações, mantenha o distanciamento físico, use a máscara de forma contínua e lave as mãos. Fique atento as normas de segurança, cuide de si mesmo e de seus entes queridos – inclusive do parente chato.

Fonte(s): NY Times, Greater Good, Counselling Practice Matters, Psychology Today
Denisson Soares
Editor e Redator que encontrou na comunicação digital uma das melhores formas de difundir ideias, conhecimentos e tornar o mundo mais solidário e sem preconceitos. Amante de café, rock e séries de ficção sonha com o dia em que as coisas no planeta não pareçam um filme pós-apocalíptico.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui