• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato

Crossfit Mental

chevron_left
chevron_right

“Coronavírus não foi feito em laboratório nem é manipulado de propósito”, conclui revista Nature

O governo chinês também não se beneficiou com o novo Coronavírus. Pelo contrário.

Daiane Oliveira Publicado: 19/03/2020 11:23 | Atualizado: 19/03/2020 11:37

O surgimento do novo Coronavírus (COVID-19) trouxe, além de muitas preocupações com o vírus altamente contagioso, algumas teorias conspiratórias sobre sua origem.

Em tempos de terraplanismo não é de se espantar que muitas pessoas acreditem e espalhem a falsa informação de que o vírus teria sido criado em laboratórios chineses para diminuir a população mundial, vender vacinas e/ou afetar a economia, ou mesmo lucrar com ela.

 

Sim. Muita gente acredita REALMENTE nisso.

 

Ciência no combate à desinformação

Óbvio ou não, cientistas estudaram a origem do SARS-CoV-2, o vírus causador da COVID-19, e concluíram:

Coronavírus (COVID-19) NÃO foi criado em laboratório.

O estudo, feito por 5 cientistas e publicado pela Nature Medicine, braço da revista Nature especializado em medicina, é categórico ao afirmar que o novo Coronavírus “não é uma construção de laboratório ou um vírus propositadamente manipulado“.

Os cientistas analisaram o sequenciamento de genomas do vírus e afirmam que ele só pode ter sido fruto de processos naturais.

Além disso, os pesquisadores estudaram o ancestral comum da “família” do vírus e, comparando com a atual sequência do SARS-CoV-2, concluíram que o processo de mutação que originou o vírus se deu entre o final de novembro e o início de dezembro de 2019 – exatamente quando surgiram os primeiros casos da Covid-19.

 

Ok, Ciência. Mas e os dados econômicos?

Errou, Néwerton. Errou rude.

Apesar de não ser exatamente necessário falar mais nada para ‘contra-argumentar’ – a Ciência explicou tudo! – alguns dados ajudam a mostrar que a China ganhou absolutamente nada com o surgimento do novo Coronavírus.

O cenário de isolamento social e interrupção das atividades econômicas imposto pela pandemia afeta negativamente o país onde tudo começou: a China apresentou contração na produção industrial pela 1ª vez em 30 anos, além disso as vendas no varejo caíram mais de 20% se comparadas ao mesmo período em 2019.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) já apontou que a queda nos setores de serviços na China é maior do que na última crise financeira mundial (2008) – reflexo do distanciamento social dado pela pandemia.

A CNBC, líder em cobertura do mercado financeiro mundial, elaborou gráficos analisando os impactos negativos que o novo Coronavírus já apresentou na economia global até o momento (veja nesse link – em inglês). Spoiler: a China não ficou de fora desses impactos.

Resumindo: não existe uma razão sequer para acreditar que o governo chinês (ou qualquer outro no mundo) se beneficiaria da criação do novo Coronavírus – e a Ciência já mostrou que é impossível que isso tenha sido feito.

Seguimos combatendo as Fake News.

Daiane Oliveira
Jornalista, feminista e mãe. Discute religião, política, sexo e hábitos sustentáveis. Não discute futebol porque não entende. Quem sabe um dia.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui