• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Vai, planeta!

Cora Ball: a bolinha para Máquina de Lavar que ajuda salvar os oceanos

Uma solução contra o desastre invisível das microfibras.

Pode parecer estranho que uma simples bolinha ajude a diminuir a contaminação dos oceanos, não é? Mas ajuda!

Por isso, precisamos conhecer o que está por trás da Cora Ball. A fabricante a define como uma “solução em escala humana” para a poluição através de microfibras.

Mas o que são microfibras e como elas poluem os oceanos?

Você já deve ter ouvido falar nos microplásticos, partículas minúsculas de plástico que são uma das principais e mais difíceis formas de poluição nos oceanos (vai do glitter que você usa no carnaval, até as garrafas plásticas que se desintegram em micro-pedacinhos).

As microfibras são também partículas minúsculas, mas resultantes de tecidos sintéticos.

Quando lavamos roupas de tecidos sintéticos (poliéster e nylon, por exemplo), essas partículas de soltam e ficam na água. E por serem extremamente pequenas, não ficam retidas nas estações de tratamento, chegando aos oceanos. Já nos oceanos, essas microfibras se unem aos microplásticos e potencializam seus danos.

Microfibras concentradas no Oceano.

O pior é que tudo isso volta pra gente!

Imagine o ciclo: você lava suas roupas, elas soltam muitas fibras, que acabam chegando nos oceanos em algum momento, então absorvem toda e qualquer coisa que estiver no caminho (microplásticos, óleo, produtos químicos, etc.), os peixes comem essas fibras e a gente come esses peixes (consequentemente, ingerindo as partículas que estavam dentro dele).

Ou seja: estamos comendo boa parte do lixo que produzimos.

Muito sinistro!

Voltando à Cora Ball

Nesse cenário todo, algumas medidas podem ser tomadas pra amenizar os danos. É aí que a Cora Ball entra.

A bolinha foi projetada para ‘segurar’ parte das microfibras dispersas durante a lavagem de roupa. A cada ciclo de lavagem, cerca de 25% das microfibras que se soltam ficam presas na Cora Ball. Ok, não é muito. Mas, por enquanto, é melhor do que nada.

Essas partículas vão se aglomerando a cada lavagem, até chegar num ponto em que será possível fazer a limpeza manual da bolinha – e descartar esses resíduos.

A empresa sugere que se junte a maior quantidade possível de partículas antes de realizar o descarte, ou algum tipo de reciclagem.

O produto ainda não está disponível em lojas físicas no Brasil,  mas como a empresa faz envios internacionais, dá pra comprar pelo site. Uma unidade custa $29,99 (cerca de R$122,00) + custos de envio e há pequenos descontos na compra de mais unidades.

Com a empresa mesmo afirma, essa é uma solução em escala humana para o grave problema de contaminação dos oceanos por micropartículas.

Resolver de vez a questão envolve ciência, indústria, legislações específicas e, é claro,  mudanças dos nossos hábitos de consumo (inclusive sobre o uso de roupas sintéticas!).

Fonte(s): G1, Cora Ball, UOL, eCycle
Daiane Oliveira
Redatora, feminista e mãe. Discute religião, política, sexo e hábitos sustentáveis. Não discute futebol porque não entende. Quem sabe um dia.

Tá na rede!

Quero mais!

Veja mais artigos!

Em caso de chefe
clique aqui