• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Comes & Bebes

chevron_left
chevron_right

Conheça os Guaranás mais Famosos (e curiosos) do Brasil

Você sabia que o Guaraná Jesus foi criado por um ateu?

Nenhum refrigerante é mais brasileiro do que o nosso guaraná. São tantas as marcas que é quase impossível conhecer todas – principalmente se você não viaja pelo país.

Muito além do Guaraná Antártica, do nosso amiguinho Dolly e da icônica Tubaína, fizemos uma seleção dos guaranás mais famosos em cada região e também fomos atrás das suas incríveis histórias, tudo para que você fique com vontade de fazer as malas e experimentar tudinho ao vivo!

***

1. Jesus

O que falar desse guaraná que até quem não bebeu já curte? O Guaraná Jesus é uma bebida instigante a começar pelo nome, depois vem a cor rosa e o sabor docinho com toque de cravo e canela.

O ano era 1927 quando Jesus Norberto Gomes, um farmacêutico (ironicamente ateu) tentou criar um remédio em seu laboratório em São Luís, no Maranhão, e acabou criando a bebida que fez a alegria de seus netos e que virou ícone no estado.

Desde 2001 o refri é marca da Coca-Cola, mas só a partir de 2016 resolveram distribuir para outros estados como um produto de linha “premium” (que chique!) . Além do Maranhão, o Guaraná Jesus agora é distribuído em São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal – mais info aqui.

 

2. Baré

O Guaraná Baré surgiu em Manaus na década de 60 e se popularizou a partir de 1987, ano em que a marca lançou refrigerantes de cola e tutti-frutti que acabaram sendo descontinuados mais tarde. O nome foi inspirado na tribo dos índios Barés que vivia em um território que ia de Manaus até a região do alto Rio Negro.

A embalagem original da bebida é uma garrafa âmbar de 600ml como as de cerveja, e só há seis anos foi adotada a latinha. Atualmente, a marca é da AmBev e sua distribuição está limitada à região amazônica – mas já encontramos em outros estados, portanto nossa dica é: se achar, compre.

 

3. Pureza

Esse sim é um refrigerante que tinha tudo para ser cerveja! Em 1926, no sul do país, fabricantes da cerveja “Tira-Prosa” utilizaram alguns ingredientes da bebida para produzir uma cerveja doce sem álcool que caiu no gosto do pessoal de Santa Catarina.

Por conta da pureza dos itens usados na fabricação a “cerveja doce” recebeu nome de… Pureza! A marca é fabricada pela Bebidas Leonardo Shell e até a década de 70 toda a produção era manual. Só em 1996 a empresa passou a usar embalagens PET e produzir as versões de 2 litros.

 

4. Cruzeiro

Esse é um produto que se compra pela embalagem, né? O Guaraná Cruzeiro lançou no seu aniversário de 65 anos uma linha com visual retrô que ficou um charme!

A marca já tem mais idade, pois foi criada em 1948 na cidade de Leme, em São Paulo, por Dionízio Ravanini. Tem um gosto doce, mas não é melado, e é uma bebida de muita tradição. Aposto que sua avó conhece!

 

5. Jota Efe

Jota Efe tem gosto de superação! Em 1949, José Faria Neto (está explicado o “jota efe”!) comprou uma fábrica pequena de bebidas que estava prestes a falir em Ouro Fino, Minas Gerais.

De lá para cá muita coisa aconteceu e a marca conseguiu ficar entre as três maiores produtoras de refrigerantes do seu estado, além de ter recebido o prêmio “Os Melhores Sabores do Brasil” na categoria Guaraná, durante uma das edições da Feira dos Fornecedores da Indústria de Bebidas.

 

6. Mineiro

A ideia do Guaraná Mineiro começou a aparecer na cabeça de seu fabricante, Luiz Alfredo Massaro, quando ele ainda era uma criança. Aos 25 anos de idade, em 1964, ele iniciou seu próprio empreendimento na fabricação de bebidas: a Refrigerantes do Triângulo. Com sede em Uberlândia, a empresa já tem 50 anos e está entre as dez maiores sediadas na cidade.

 

7. Tuchaua

Aqui temos mais um representante do guaraná na região norte do país e nada mais justo já que a fruta é típica de lá, não é mesmo? Esse é mais uma marca que foi adquirida pela Coca-Cola de tanto sucesso que faz.

O Tuchaua é um guaraná de nome diferente que tem origem tupi-guarani e significa “aquele que manda”, “quem tem influência” , “o manda-chuva”. Um nome ideal para quem está no mercado desde 1944!

 

8. Frevo

Dá para ter um refri com mais cara de Brasil que esse – é guaraná e chama Frevo! A marca recifense foi um fenômeno do setor nos anos 90. Como a vida não é tão doce quanto o refrigerante, a empresa entrou com um pedido de recuperação judicial em 2012 por conta das dívidas que foram se multiplicando.

A parte boa é que tudo está indo bem, pois podemos encontrar o Guaraná Frevo com muita facilidade na região.

 

9. Coroa

Não é à toa que a bebida leva o nome do símbolo máximo da realeza: Coroa. Em 1933, Roberto Carlos Kautsky deu início à uma pequena indústria no Espírito Santo que produzia vinho de laranja (parece errado, mas é isso mesmo). Ele resolveu adotar a marca e o símbolo em homenagem ao avô austríaco que trabalhava com o imperador de seu país.

 

10. Simba

O Guaraná Simba agora também é da Coca-Cola e assim como as outras marcas compradas pela gigante, pouco se encontra sobre a história dessas bebidas. Mas como o Simba é bastante conhecido nas regiões Sul e Sudeste, não poderia ficar fora dessa lista.

 

11. Marajá

O Guaraná Marajá tem 53 refrescantes anos de existência e foi criado por Dijalma Pimenta. É um refrigerante pantaneiro fabricado no estado do Mato Grosso e comercializado na região norte e centro-oeste do país. Com esse nome, já era de se esperar que o negócio fosse crescer muito além dos 12 caminhões de distribuição que a empresa tinha nos anos 80.

 

12. Vencetex

Guaraná Vencetex tem sua fábrica na cidade de Guararapes, no interior de São Paulo e tudo começou em 1957 de forma 100% artesanal, com apenas com 4 funcionários e uma estrutura muito precária.

Hoje em dia, a bebida que começou de maneira tímida já conta com mais estrutura profissional e é produzida também em duas filiais no Mato Grosso do Sul.

 

13. Cotuba (antigo Arco-Iris)

A fabricante do Guaraná Cotuba existe desde 1958 e está sediada na cidade de São José do Rio Preto, São Paulo. Em 1976,  a empresa passou a se chamar Refrigerantes Arco Iris (que fofo!) e era possível você encontrar guaraná com esse nome.

Agora, por uma questão de marca, você só deve encontrar nos mercados da região o guaraná Cotuba, mas o fabricante é o mesmo. Aliás, “cotuba” é uma gíria que foi muito utilizada nos anos 20 para dizer que algo era “bacana”. Será que volta essa moda?

 

14. Guaraná 15

A fabricante do Guaraná 15 existe desde 1941, quando a família Zugliani comprou uma fábrica de gasosas (como os refris eram chamados na época) na cidade de Jaú, no interior de São Paulo.

O refrigerante não tem distribuição ampla, mas é muito conhecido na região e costuma ser até patrocinadora do time da cidade, o XV de Jaú. Como o time existe desde 1924, é possível que tenha inspirado o nome do guaraná.

 

15. Fruki

O Guaraná Fruki entrou para a lista por ter sido fotografado nas mãos de um famoso. Isso mesmo, o Fruki é conhecido mundialmente desde 2014 quando David Beckham, o jogador, foi fotografado segurando uma latinha do nosso drink tupiniquim.

Com isso a marca, esteve nos trending topics do Twitter e foi o 3º assunto mais falado no Brasil e o 9º no mundo. Sua fábrica existe desde 1924 e hoje fica na cidade de Lajeado no Rio Grande do Sul. Desde 2012, o guaraná Fruki ultrapassou o Antarctica na preferência no público gaúcho e não para de crescer.

– Qual Guaraná que você ama e não entrou na lista? Comente!

Fonte(s): Elástica, Comida, Revista Época, Correrio de Uberlândia, Eu Quero mais Folclorear, Cultura Digital, JC Online, Youtube, Plox, Viva anos 80, Tubaínas e afins
Yasmin Gomes
Yasmin Gomes é jornalista e rema contra a maré sempre que preciso. Exemplar clássico da área de humanas, não tem pudor para aplaudir o pôr-do-sol e se importar com pessoas. Signo de ar.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui