• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato

Atitude Coletiva

chevron_left
chevron_right

Conheça a poderosa arma na arte da sedução, segundo a ciência

Um estudo revelou que um tipo de comportamento atrai o outro instantaneamente.

Felipe Gatto Publicado: 01/08/2016 15:25 | Atualizado: 01/08/2016 15:51

No corre-corre de hoje em dia, está cada vez mais difícil encontrar alguém que nos entenda de fato e, assim, ser digno de um romance de cinema.

Ok. Você pode até ser imune a opinião (ou compaixão) de outras pessoa, mas, segundo a ciência, não é bem assim que a coisas funcionam.

Eu não entendo

Um estudo publicado na Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos, comprovou que a capacidade de termos nossos sentimentos percebidos a fundo por alguém, nos desperta um certo tipo de desejo.

Para um dos autores do estudo, Dr. Silke Anders, compreender o mimimi alheio, se colocando no lugar do outro, muitas vezes faz com que aconteça uma conexão poderosa entre as duas partes.

“Ser capaz de compreender as intenções e emoções de outra pessoa é essencial para a interação social bem sucedida”, explicou ele.

E essa é a cara que eu faço quando eu não te compreendo.

Fora isso, para o relacionamento ser ainda mais bacana, o professor reforça que os parceiros têm que estar sempre bem entrosados.

“Para realizar um objetivo comum, os parceiros devem entender e atualizar continuamente as intenções atuais um do outro, bem como suas motivações, além de antecipar o comportamento do companheiro, e adaptar o seu próprio comportamento em conformidade”, orienta.

A pesquisa que comprovou essa teoria

A equipe de Anders reuniu 90 pessoas para assistir um vídeo de mulheres expressando sentimentos de medo ou tristeza. Depois, cada um dos participantes opinou sobre o que acharam desses relatos.

Na segunda etapa do experimento, os cérebros das pessoas foram testados enquanto eles observavam o material. Como conclusão, descobriram que os voluntários se sentiram atraídos pelas mulheres em que eles acreditaram mais e compreenderam as emoções.

“Se os sinais emocionais enviados por um remetente – por exemplo, uma expressão facial de medo ou tristeza – podem eficientemente ser processados pelo cérebro do observador, então o seu sistema nervoso dispara e ele vai se sentir atraído por essa pessoa”, declara o autor.

Para o especialista, quando o nosso cérebro se conecta com o de outra pessoa, o resultado é certeiro e a atração acontece pra valer! Porém, Anders também afirmou que quando nossos sentimentos não despertam nada no outro, nem tudo está perdido (ainda).

Pode existir a chance dos parceiros irem se conectando aos poucos. Com a convivência e a conquista de uma intimidade maior, há sim a possibilidade da atração aumentar ao longo do tempo.

Então o esquema é se mostrar compreensível e deixar que os sentimentos aflorem, mas não deixe virar uma sessão terapia. O estudo não diz nada sobre isso, mas a friendzone fica a um passinho dessa situação.

“Compreenda” com moderação.

Fonte(s): Time
Felipe Gatto
Jornalista apaixonado por viajar e se aventurar por aí. Pensar na vida, defender o amor e falar sobre artes também é comigo mesmo.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui