• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Sinta-se Bem

Como salvar vidas cantando Bee Gees: a forma correta de fazer Massagem Cardíaca

Literalmente, mantendo-se vivo!

Que a música faz nossos corações vibrarem a gente já sabe, mas a verdade é que ela pode, literalmente, salvar nossas vidas.

Pesquisadores descobriram que a música Stayin’ Alive do Bee Gees — sucesso nas pistas de dança dos anos 70 e famosa por fazer John Travolta rebolar no filme “Os Embalos de Sábado à Noite” — é bastante eficaz para a manobra chamada de ressuscitação cardiopulmonar (CPR), popularmente conhecida como massagem cardíaca.

Mas calma! Os médicos e enfermeiros não vão cantar e dançar para ressuscitar as pessoas no pronto-socorro, o caso é mais uma questão de ritmo.

Literalmente, mantendo-se vivo!

O CPR é um procedimento de emergência no qual são feitas pressões ritmadas, usando apenas as mãos, no peito do paciente. Ele nada mais é que a massagem cardíaca aplicada em casos de parada cardiorrespiratória.

Estudos mostram que essa técnica aumenta bastante as chances de um paciente sobreviver nessas situações. Contudo, a manobra precisa ser executada no ritmo certo, que varia entre 100 e 120 BPM, segundo a Associação Americana do Coração.

É aí que entra a canção do Bee Gees, que tem 103 BPM, apenas três a mais que o mínimo recomendado e serve para guiar a cadência dos movimentos de quem estiver realizando o procedimento.

Essa é uma técnica muito importante para salvar vidas e deveria ser aprendida por todos, desde a idade escolar. Essa medida, além de evitar mortes, poderia economizar muitos recursos do setor da saúde e ajudar os pronto-socorros em muitos atendimentos.

Procedimento no tempo certo

Para colocar todo mundo no ritmo e ensinar a técnica da maneira correta (e muito divertida), a Fundação Britânica do Coração produziu um vídeo, publicado pelo canal do Elaine Hamill, no qual o ator Vinnie Jones — mais conhecido pelo filme “Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes” — mostra como realizar a manobra seguindo o balanço dos Bee Gees.

Dá uma olhada:

Tecla SAP

1. Verifique os sentidos da pessoa:

Primeiro, procure alguma resposta do paciente.

Dê uma leve chacoalhada, se ele não responder ou mostrar dificuldade de respiração (emitindo um som de asfixia), inicie o CPR.

2. Ligue para a emergência:

Antes de iniciar, ligue para o número do serviço de pronto-atendimento, no Brasil é 192.

Isso é importante porque o paciente precisará de cuidados profissionais e enquanto o CPR é realizado, o socorro já estará a caminho.

3. Prepare as mãos e posicione o local da pressão:

Junte as mãos uma em cima da outra, aperte os dedos da mão de trás e dobre os pulsos. Posicione a palma no centro do peito da pessoa.

4. Lembre da música e realize o movimento:

Agora, você precisará exercer pressão sobre o peito do paciente em um ritmo constante. Por isso, lembre-se do refrão: “Ah, ha, ha, ha, stayin’ alive, stayin’ alive…” e mantenha o movimento no compasso da música.

Não é preciso fazer respiração boca a boca, basta seguir no embalo.

5. Continue até o socorro chegar:

Pressione cerca de 5 ou 6 centímetros para baixo em um padrão de 2 apertos por segundo, similar à batida da canção.

Continue verificando se a pessoa apresenta alguma resposta e mantenha a manobra até a ambulância chegar.

Viu, não é tão difícil quanto parece!

À procura da batida perfeita

A eficácia da música do Bee Gees na hora de realizar um CPR foi comprovado por um estudo, chefiado pelo médico David Matlock, da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, e publicado no The Journal of Emergency Medicine.

Ele e sua equipe acompanharam dez médicos e cinco estudantes de medicina enquanto eles faziam a técnica ouvindo Stayin’ Alive, a média de compressões ficou em 109 BPM, mais próximo do ideal de 100 BPM.

Cinco semanas depois, o teste foi aplicado novamente, sem a música, e o resultado mostrou que o ritmo aumentou para 113 BPM, ainda no limite, só que mais acelerado do que o desejado.

A ideia é que a música sirva de treinamento para uma execução mais precisa por parte dos médicos e para guiar as pessoas que podem ajudar alguém necessitado. Só não vale ficar animado, esquecer o que está fazendo e sair dançando.

De acordo com o Matlock:

“Todo mundo já ouviu essa música na vida. As pessoas conseguem ouvi-la na cabeça e isso os levou a manter o ritmo, que é a coisa mais importante”.

Ele ainda brinca e completa:

“O tema Stayin’ Alive (mantendo-se vivo) é bastante apropriado para a situação”.

Então, não marque bobeira, coloque o som na caixa e comece a treinar!

Fonte(s): Youtube - Elaine Hamill, BBC, The Telegraph, The Telegraph, Extra
Rui Davi
Comunicador baiano que toca guitarra e ainda espera ser um astro do Rock. Enquanto isso, se contenta em escrever. Fã de boas histórias. Faz roteiros, fotografa, edita videos, canta e sapateia.

Tá na rede!

Quero mais!

Veja mais artigos!

Em caso de chefe
clique aqui