• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato

Comes & Bebes

chevron_left
chevron_right

Como o arroz é produzido? Vídeo chocante denuncia a falta de higiene

O conteúdo serve de alerta sobre a importância de conhecermos melhor as marcas.

Debora Resende Publicado: 01/09/2020 13:52 | Atualizado: 03/09/2020 12:48

Viralizou um vídeo que supostamente expõe a falta de higiene na produção de arroz aqui no Brasil. O conteúdo serve de alerta sobre a importância de escolher a marca, dando mais atenção para a procedência e fabricação dos grãos.

 

Falta de higiene na produção de arroz

No vídeo-denúncia que viralizou nas redes, dentro de um local fechado e cheio de arroz, que acabara de ser despejado por um caminhão, um homem revela a situação do seu colega de trabalho, que está com as calças sujas e aparentemente suado.

Enquanto o colega usa uma bota, o rapaz que está gravando parece estar descalço. Ambos pisam no arroz, que se encontra no chão da fábrica.

Em destaque: suor do funcionário | autor do vídeo descalço

Além das imagens, o autor destaca a importância de lavar o arroz no mínimo 3 vezes, justamente por conta da falta de higiene revelada no vídeo: “sem falar que quando a máquina está colhendo, vem rato morto, vem cobra, vem tudo…”. E pontua: “é assim no Brasil inteiro, no planeta Terra”.

O vídeo contraria especialistas e estudos da área, que dizem para não lavarmos o arroz.

Segundo o engenheiro químico, pesquisador e assessor técnico do Instituto Riograndense do Arroz, Gilberto Wageck Amato, diretamente contatado pela equipe do Almanaque SOS: não é recomendável lavar o arroz branco, pois ele perde nutrientes, oferecendo uma refeição defasada, podendo comprometer a saúde.

 

Assista ao vídeo-denúncia

*AVISO: as cenas são fortes e podem tirar o seu apetite!

@samaravieira25♬ som original – samaravieira25

 

Onde foi gravado o tal vídeo da produção de arroz?

O vídeo não tem autor conhecido e foi divulgado por vários perfis, em diversas redes sociais. Então, segui a melhor pista que tinha: o próprio vídeo.

Nele é possível observar que, aparentemente, o profissional usa um uniforme vermelho. Na manga da blusa, aparece o logotipo da marca Trigolino.

Mas ao acessar o site da empresa notei algo curioso: nada de arroz.

Isso porque é uma marca de biscoitos. Ela faz parte de um grupo chamado Ocrim, que possui outras cinco empresas — que também não produzem arroz.

Em contato, a fabricante nos confirmou que não trabalham com esse alimento:

“O Grupo Ocrim detentor da marca de biscoitos Trigolino, informa que a empresa não trabalha com nenhuma atividade ligada ao manejo, produção, distribuição e comercialização de arroz. Todos os produtos pertencentes ao portfólio do Grupo Ocrim, são derivados da Farinha de Trigo.

O Grupo informa também, que as pessoas que aparecem no vídeo não fazem parte da equipe de colaboradores e funcionários da empresa.”

Pois é, o mistério continua.

 

Afinal, como é feita a produção de arroz?

Entramos em contato com algumas das maiores produtoras de arroz do Brasil, para entender como funciona a produção e se é parecido com o que foi visto no vídeo. As empresas contatadas foram Tio João, Camil e Prato Fino, sendo que a última não retornou.

  • Tio João (grupo Josapar): enviou um vídeo institucional e uma reportagem mostrando um pouco do processo. Ao que consta, a fábrica parece bem organizada, com máquinas e laboratórios modernos. Nada semelhante ao vídeo do TikTok. Como prova, destacaram o certificado FSSC 22000, norma voltada para certificação em segurança de alimentos.
  • Camil: informou que sua produção é bastante diferente do vídeo-denúncia, como prova também destacaram o certificado FSSC 22000:

“Todo nosso processo é automatizado, sem contato dos operadores direto com os grãos. Seguimos rigorosamente as Boas Práticas de Manufaturas e segurança alimentar. Somos frequentemente inspecionados por órgãos reguladores.

Temos o certificado FSSC22000 para a nossa maior fabrica de arroz. Esse certificado é em relação a segurança de alimentos e é reconhecido internacionalmente. Só as empresas que seguem rígidos controles de qualidade e segurança alimentar recebem.”

Uma matéria da revista Exame revelou como funciona a produção de arroz de outra fabricante, chamada Urbano:

  • O alimento sai da lavoura e vai para a fábrica em estado bruto, e o primeiro processo é a retirada de impurezas que possam ter ido junto com o arroz na hora da colheita, como palha e pedras. Mas isso é feito por uma máquina, e não com pessoas – como denuncia o vídeo.
  • Em seguida os grãos são separados de acordo com sua classificação, já que as marcas costumam ter diferentes linhas de produto. Eles passam pelo processo de secagem para diminuir sua umidade, e depois se inicia o chamado “processo de beneficiamento”.

Segundo a Embrapa, “o beneficiamento do arroz tradicional resume-se na retirada da casca e do farelo para a obtenção do arroz branco para o consumo.”

  • Primeiro é feita uma limpeza, para retirar a casca dos grãos, e depois o arroz quebrado é separado. Os grãos inteiros que restam são polidos por uma máquina, e esse processo faz com que a lavagem do arroz antes de cozinhar não seja necessária.
  • Após o processo de beneficiamento, o arroz é embalado e preparado para a distribuição. Antes disso, todos os lotes já embalados têm uma amostra que passa pelo setor de qualidade. São feitas análises com os grãos crus e cozidos para garantir que eles estão aptos para o consumo.

 

É necessário lavar o arroz antes de cozinhar?

Segundo a Camil, não é necessário:

“O nosso processo de beneficiamento dos grãos de arroz e de qualquer outro produto não é dessa forma apresentada no vídeo. Por isso, informamos que nossos grãos de arroz não precisam ser lavados.”

A Tio João também explica que não é preciso lavar o seu produto:

“Além de atender a legislação vigente em nosso país (ANVISA), no atual momento temos também a FSSC 22000. Uma certificação internacional que tem como foco a segurança do alimento.

Em resumo, tanto a regulamentação da ANVISA quanto a certificação FSSC 22000 valida o produto para consumo conforme é indicado no modo de preparo descrito na embalagem, ou seja, sem a necessidade de qualquer outra etapa, como por exemplo, lavar.”

Se você tem o hábito de lavar o arroz, provavelmente aprendeu com as gerações passadas. Quando o processo de produção desse alimento era muito parecida com a que foi denunciada no vídeo.

Mas hoje, há muita tecnologia e fiscalização envolvidas no processo, que garantem a higiene e segurança. O mais importante é conhecer as empresas que produzem os alimentos que você consome, seja arroz ou qualquer outro produto.

Para finalizar, ressaltamos que a lavagem do arroz pode fazer com que os grãos percam seus nutrientes e vitaminas. E não se preocupe com aquele pó branco que deixa a água esbranquiçada, ele é resíduo do próprio arroz, resultado da etapa de polimento dos grãos.

Debora Resende
25 anos, com a coluna e a alma de 85. Mineira de Beagá, especialista em Marketing Digital e viciada em internet. Apaixonada por viagens e fotografia.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui