• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Sinta-se Bem

Como identificar 20 Tipos de Picadas de insetos e outros animais peçonhentos

Escorpiões, aranhas, mosquitos, piolhos e até cobra.

Ao longo da vida, é impossível que um humano não seja picado pelo menos uma vez por insetos. Na real, pode-se afirmar que uma pessoa é picada milhares de vezes durante toda sua existência, isso porque os artrópodes hematófagos, no português, pernilongos (mosquitos), moscas (mutucas), pulgas, borrachudos, ácaros e piolho de pomba se alimentam de sangue humano.

A picada de inseto pode provocar irritação no local, no caso de alérgicos as lesões ficam maiores podendo desenvolver urticárias, e se necessário passar por um tratamento durante dias. As crianças estão mais vulneráveis a esses insetos, por preferirem “atacar” em áreas mais baixas, além de serem mais sensíveis.

É importante o uso de repelentes para prevenir as picadas. Mas a dermatologista Dr. Ana Maria Mosca de Siqueira, em entrevista ao Repórter Rio, na TV Brasil, alerta que o uso excessivo de repelentes pode ser prejudicial a pele:

“Há pessoas que usam repelente toda hora. Não podemos esquecer que são venenos para o mosquito, mas que de certa forma intoxicam os seres humanos por conta das substâncias”, afirma.

Ela sugere o uso de óleos naturais, que dificultam o contato do inseto com a pele. Já os animais peçonhentos, através de sua picada podem causar problemas na pele por fenômenos alérgicos ou por toxinas, possivelmente resultar no comprometimento de órgãos e sistemas humano.

A contaminação com veneno liberado por alguns insetos e animais pode ser fatal, por isso listamos vinte tipos de picadas para ficaram em alerta, principalmente se foram aventureiros e frequentarem trilhas ou locais com muita vegetação. Veja:

 

1. Mosquito

A picada do mosquito coça e pode acontecer múltiplas vezes, mas às vezes nem é notada. Em crianças, principalmente em bebês, podem causar edemas. Siqueira explica que essas calefações vermelhas na pele dos pequenos pode ser normal, ocorre por conta da sensibilidade da pele.

As picadas de mosquitos e pernilongos complicam quando o indivíduo é alérgico, que independente do local da lesão, todo o corpo se enche de erupções. Outras causas graves resultadas por mosquitos são a contaminação pelo Aedes Aegypti, a espécie que transmite o vírus da Dengue, Chikungunya e a Zica, doenças graves que necessitam de uma atenção e tratamento mais específico.

 

2. Carrapato

Os carrapatos, não dependem de alergia para criar problemas. Dr. Vidal Haddad Junior, médico dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), nos explicou que a picada, além de transmitir doenças graves, provoca pápulas que coçam muito, devido a toxinas na saliva do bicho.

Outra complicação surge da quebra do aparelho sugador do carrapato que quando retirado, causa uma inflamação local dura que persiste e coça por meses.

Sua picada causa dor, inchaço, ardência e vermelhidão, fica parecida com um alvo e muitas vezes o carrapato fica agarrado no centro da lesão. A retirada deve ser feita com uma espécie de pinça e um movimento de torção para evitar contaminação e doenças graves.

 

3. Pulga

As pulgas se alimentam de sangue de mamíferos, segundo o dermatologista, elas são artrópodes, mesma família dos carrapatos e podem gerar complicações graves de alergia no indivíduo que é contaminado.

A picada de pulga provoca inchaço e vermelhidão, além de dor e bastante coceira. Em caso de alergia, as erupções se espalham por todo o local atingido. Normalmente atacam os humanos nos membros inferiores, mas se a pessoa estiver dormindo, ela ataca qualquer parte do corpo. É importante manter o local limpo e evitar coçar, pois pode gerar uma infecção.

 

4. Formiga (lava-pés)

Formigas provocam muita dor e coceira, sua picada pode ser bastante incomoda, principalmente se desencadear uma reação alérgica, mas não é letal. As formigas lava-pés são muito comuns e atacam em grande número o indivíduo que pisar no formigueiro.

“O local da picada fica vermelho e inchado, no dia seguinte se forma uma bolinha cheia de pus. Só a formiga lava-pés faz isso”, destaca Dr. Vidal.

 

5. Abelha

As abelhas podem ser bem perigosas, Dr. Vidal, autor do livro Animais Peçonhentos no Brasil: Biologia, Clínica e Terapêutica, explica que elas podem causar a morte de uma pessoa por dois modos: por alergia (choque anafilático) ou por envenenamento, que ocorre quando mais de 300 abelhas picam e injetam sua peçonha.

As abelhas deixam o ferrão no local da picada e pode ser retirada com muito cuidado para não injetar mais peçonha. Sua picada, geralmente deixa a pele avermelhada e inchada, a vítima sente uma dor forte e queimação no local.

 

6. Vespa

Assim como as abelhas, as vespas são himenópteros, que segundo o dermatologista, são insetos peçonhentos e podem causar envenenamentos graves e até fatais.

Os sintomas de sua picada também se assemelham aos de uma abelha. A área da pele atingida fica avermelhada e inchada, a vítima sente dor, queimação, e depois uma coceira que incomoda bastante. Se a pessoa for alérgica, pode sofrer um choque anafilático.

 

7. Mutuca

As mutucas são parecidas com moscas, mas são maiores e robustas. Ela também se alimenta de sangue humano, durante a picada o inseto suga-o dolorosamente. Inicialmente, a pele fica vermelha e com uma pequena mancha, com o tempo a região fica inchada e com bastante coceira.

 

8. Marimbondo

Os marimbondos são parentes das abelhas, e vivem tanto em áreas urbanas quanto em regiões rurais. Esses animais só atacam humanos em situações de estrema ameaça, sua picada causa dor, inchaço e coceira. A pele fica com um grande edema avermelhado que pode durar por horas ou até dias, a vítima pode fazer compressas de gelo para amenizar os sintomas.

 

9. Borrachudo

Os borrachudos se caracterizam como um tipo de mosquito, só que menor, mais gordinho e com uma picada barra pesada. A picada deste inseto não é muito dolorosa, mas causa bastante irritação, coceira, vermelhidão e inchaço, assim como as de outros insetos da família artrópodes hematófagos. A lesão fica como um ponto vermelho e sangra ao ser espremido.

 

10. Percevejo

As reações as picadas de percevejo variam muito, em algumas pessoas podem ser imperceptíveis, mas, geralmente as lesões coçam muito, ficam vermelhas, um pouco inchadas e aparecem diversas erupções. Para alérgicos o cuidado deve ser maior, pois pode ocorrer inflamações no local infectado.

 

11. Lacraia

As lacraias são peçonhentas, o dermatologista explica que seu veneno, quando injetado no indivíduo causa muita dor. O local fica inchado, bastante vermelho e com uma pequena ferida. Após a contaminação, ocorre inflamação no local, mas raramente provocam acidentes graves.

 

12. Aranha (+ marrom e armadeira)

A picada de aranha começa com algo minúsculo, mas de maneira que a toxina vai se espalhando, há uma vermelhidão que vai “crescendo” rapidamente na pele, geralmente acompanhado de dor. Os médicos indicam que se perceber que foi mordido por uma aranha, marcar com uma caneta o tamanho do vermelhão e marcar o tempo, isso poderá ajudar a definir o tratamento.

As aranhas-marrons habitam locais escuros e empoeirados como garagens e almoxarifados em todo o Brasil. Elas são tímidas e só atacam quando pressionadas, após a picada o indivíduo sente uma queimação no local, forma-se um endurecimento que fica azulado. Quando esta se destaca, surge uma ferida grande e que demora até meses para curar.

Dr. Vidal Haddad Junior destaca também o perigo de outro tipo de aranha, as armadeiras. Elas são grandes e muito venenosas, podendo até matar uma pessoa. Esta aranha avisa que vai atacar, armando um bote antes de pular.

 

13. Viúva negra

As viúvas-negras são aranhas pequenas, com o desenho de uma ampulheta no abdome. Sua picada formam apenas duas pintinhas vermelhas, mas causam efeitos graves que faz a musculatura da vítima se contrair e compromete a respiração da vítima. Dr. Vidal afirma que esta espécie não é comum no Brasil, mas existem no litoral do Rio de Janeiro e da Bahia.

 

14. Escorpião

Escorpiões são hoje um grande problema para o país, pois a elevação de temperatura e a disseminação dos escorpiões-amarelos vem causando acidentes graves e por vezes fatais, principalmente em crianças.

O dermatologista destaca que o veneno de escorpiões compromete principalmente o sistema nervoso, além de órgãos como o coração e o pulmão. Quando a picada de escorpião está fresca ela demonstra vermelhidão com uma lesão mais acentuada onde foi injetado o veneno. E dói muito. Depois de um tempo, com o agravamento, a região pode ficar escura. Procure um médico!

 

15. Taturana

As larvas de mariposas, também conhecidas como taturanas, são provavelmente os animais peçonhentos que mais causam acidentes no Brasil. Após seu contato com a pele humana gera queimação, inchaço, vermelhidão e às vezes muita coceira local.

O dermatologista alerta que essas lagartas causam também dor intensa no local afetado.

“A peçonha fica no interior das cerdas que cobrem o corpo dos animais e é injetada quando eles são tocados, principalmente pelas crianças. A dor deve ser controlada com anestesia local em um hospital”, destaca.

 

16. Ácaro

Os ácaros são seres microscópicos que se alojam em ambientes com facilidade de acumular poeira como, colchões, tapetes, bichinhos de pelúcia, almofadas, sofás e roupas de cama.

Eles podem causar diversas reações alérgicas nos seres humanos, entre elas estão a dermatite atópica, asma e rinite. A pele da vítima fica com um aspecto de alergia, uma dermatite, toda vermelha e coçando.

 

17. Piolho de pombo

Os piolhos de pombo vivem em aves que denominaram esse nome, e são muito comuns em cidades urbanas. De acordo com o Dr. Vidal Haddad Junior, eles são artrópodes hematófagos e sua picada se assemelha com a de um mosquito. Em alérgicos, as picadas dos piolhos de pombo podem formar diversas bolinhas e manchas vermelhas com muita coceira e inchaço.

 

18. Piolho

Os piolhos são insetos hospedeiros, que normalmente se alojam no couro cabeludo. Dá família dos hematófagos, que como explica Dr. Vidal Haddad Junior, dependem do sangue de mamíferos para se alimentarem.

As picadas de piolhos se caracterizam por pequenos pontos vermelhos. Apesar de parecerem inofensivos, eles podem transmitir doenças graves, como febre tifoide e febre das trincheiras.

 

19. Piolho-de-cobra

Os piolhos-de-cobra são Diplópodes, que ao serem esmagados liberam toxinas que deixam o local enegrecido, com uma mancha escura, como se a pele tivesse sido queimada.

Dr. Vidal menciona que, os casos de contaminação ocorrem na maioria das vezes quando a vítima vai calçar o sapato. O animal penetra no domicílio humano e procura lugares escuros para se refugiar.

 

20. Cobra

Os acidentes por serpentes ocorrem mais nos membros inferiores e em homens, reflexo da atividade rural das vítimas. A identificação pode ser simples, o local fica inchado e com as marcas dos dentes superiores da cobra. Mas também pode apresentar uma, duas, ou várias perfurações pequenas com sangramento, hematoma, inchaço e muita dor local. Procure imediatamente o serviço de emergência.

Serpentes como jararacas e surucucus são causadoras de acidentes com manifestações dermatológicas. As jararacas são responsáveis por cerca de 90% dos acidentes por serpentes no Brasil.

As corais e cascavéis também predominam a região do Brasil, seu veneno tem ação totalmente neurotóxico. Dr. Vidal Haddad Junior, explica que o veneno dessas cobras causa sangramento e necrose local importante. Os casos fatais estão associados aos sangramentos e infecções, a picada dessas serpentes também podem comprometer o sistema nervoso, musculatura e rins.

Fonte(s): YouTube - TV Brasil, Bau das Dicas, Tudo Interessante, MaxiFarma, Tua Saúde, BVS - Ministério da Saúde, Diário de Biologia, PetCare
Monique Duarte
26 anos, jornalista, sonhadora que ama comer e dormir! Se cariocas não gostam de dias nublados, ela nasceu no lugar errado.

Tá na rede!

Quero mais!

Veja mais artigos!

Em caso de chefe
clique aqui