• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Atitude Coletiva

chevron_left
chevron_right

Como descobrir e denunciar Fake News no Whatsapp e Facebook

Veja 10 sites de checagem de notícias para não espalhar mentira por aí.

Todo mundo tem aquele parente ou conhecido que nem mesmo termina de ler alguma notícia e já encaminha no grupo do WhatsApp, sem nem mesmo se preocupar se o que acabou de espalhar é verídico ou se trata de Fake News (notícia falsa em inglês).

Segundo o The New York Times, das 50 imagens políticas mais compartilhadas no aplicativo de conversas nessa eleição (2018), apenas 8% eram verdadeiras. Ou seja, de 50 apenas 4 são verídicas. E isso é MUITO grave!

Vivemos na era da comunicação, nunca foi tão fácil nos comunicarmos. No entanto, isso não quer dizer que estamos conseguindo fazer isso da maneira correta. Ainda mais com empresas financiando essa confusão generalizada de forma ilegal.

No início do ano, as fake news se espalharam pelo WhatsApp e redes sociais como Twitter e Facebook, disseminando mentiras sobre a vereadora e defensora dos direitos humanos Marielle Franco, na mesma noite em que foi assassinada.

Eleições das Fake News

Agora, na reta final das eleições para presidência, as notícias falsas tomaram uma proporção inimaginável. Fazem-se ainda mais poderosas nesse momento em que não há debates televisionados. Isso proporcionando espalhar a mentira sem ao menos ponderar, analisar ou ter senso crítico sobre o absurdo que está veiculando.

Uma das milhares de fake news espalhadas nesse período, foi a existência de um “kit gay“, já citado em uma matéria publicada pelo SOS sobre Educação Sexual na Escola, que seria distribuído para redes públicas de ensino caso o candidato Fernando Haddad (PT) fosse eleito.

A polêmica teve enorme impacto, isso porque beneficiou diretamente o outro candidato a presidência, Jair Bolsonaro (PSL) – curiosamente, o autor da fake news.

No entanto, após muitos tempo engajando nas redes sociais, a notícia deverá ser retirada de circulação. O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Carlos Horbach, suspendeu nesta segunda (15/10) links com a expressão “kit gay“, atendendo ao pedido da defesa de Haddad.

FAKE NEWS: Kit gay apontado por Jair Bolsonaro nunca existiu.

A avalanche de notícias falsas espalhadas diariamente faz com que as pessoas tirem conclusões precipitadas e não reflitam. A falta de pensamento crítico influencia diretamente na forma como as  informações são consumidas.

Isso faz com que as pessoas acreditem em conteúdos fáceis e rápidos de serem absorvidos, evitando os que precisam de maior capacidade de análise. O resultado: a disseminação de mentiras sem ao menos se preocupar com as consequências e a facilidade de manipulação.

Em seu vídeo sobre Fake News e discurso de ódio, a youtuber Louie Ponto esclarece:

“É muito fácil manipular uma população que acredita em tudo e não vai atrás de informação, quando tem o privilégio de ter acesso à informação”. 

As pessoas ainda não sabem diferenciar uma Fake News de uma notícia verdadeira

O Instituto da Democracia e da Democratização da Comunicação (INCT) realizou um estudo que demonstrou que a maioria dos eleitores não percebem que receberam notícias falsas.

E para piorar, de acordo com uma pesquisa realizada pelo instituto Datafolha, os eleitores do candidato Jair Bolsonaro (PSL) são os que mais utilizam do WhatsApp e redes sociais para se informar.

Durante a pesquisa, 61% dos entrevistados afirmou se informar apenas pelas notícias recebidas pelo aplicativo de conversa. 57% desses eleitores disseram se informar pelo Facebook.

E a gravidade disso se dá pelo fato de que, segundo uma pesquisa inédita, feita pelo Monitor do Debate Político no Meio Digital, da USP (Universidade de São Paulo), os grupos de família são os principais vetores de notícias falsas no WhatsApp. Ou seja… alerta máximo!

Devido a disseminação de fake news nesse período eleitoral, as redes sociais divulgaram tutoriais de como denunciar os emissores desse conteúdo tendencioso. Se liga!

 

1. Como denunciar Fake News no WhatsApp

Na conversa, clique na parte superior direita da tela, selecionando a palavra ‘mais”.

Logo em seguida, clique em ‘denunciar’.

 

2. Como denunciar Fake News no Facebook

O Facebook também permite que o usuário faça a denuncia de notícias falsas. O recurso preserva a identidade do autor e sugere que a amizade com a pessoa que publicou o conteúdo falso seja desfeita ou bloqueada. Veja o passo a passo:

Acesse o Facebook, clique no nos 3 pontinhos no canto superior direito da postagem que você quer denunciar.

Em seguida, clique em ‘Dar feedback sobre esta publicação’.

Selecione a opção ‘informações de votação incorretas’ e clique em enviar.

Caso não encontre a opção, então selecione a opção ‘notícia falsa’ e clique em enviar.

A rede social ainda mostrará sugestões do que fazer em relação a pessoa denunciada. Ao final, escolha a opção ‘concluir’.

 

3. Como denunciar Fake News no Ministério Público (de SP)

Você também pode realizar a denúncia de qualquer irregularidade eleitoral na página do Ministério Público Federal. Apenas para o Estado de São Paulo.

Conteúdos com discurso de ódio, discriminação racial, uso de bens, serviços e servidores públicos em campanha, corrupção eleitoral, abuso de autoridade e outras irregularidades.

Mas como descobrir se as notícias são falsas?

Devemos ter a capacidade de refletir, diferenciando o certo e o errado. O discernimento é a principal forma de perceber que as fake news não condizem com a realidade.

Verifique a reputação da fonte de notícia. Sites estranhos, sem credibilidade, são em sua maior parte os donos das fake news. Procure se informar em grandes veículos de comunicação, confira se estão falando sobre a notícia em questão.

As pistas mais evidentes são sites estranhos, dos quais você nunca ouviu falar. Toda matéria precisa de uma fonte, procure o nome da pessoa no Google e verifique se ela existe e realmente atua na área.

A jornalista e youtuber Alexandra Gurgel, do canal Alexandrismos, nos dá 7 dicas de como não cair na armadilha das fake news. Entre elas, estão:

  • ler a matéria antes de compartilhar;
  • verificar as fontes;
  • ficar atento a linguagem utilizada;
  • e usar ferramentas de checagem de fatos.

7 Dicas para não cair na armadilha das fake news

Como a propagação das opiniões equivocadas tem efeito real na vida das pessoas, algumas alternativas foram criadas para ajudar a identificar as notícias falsas. Como os sites de checagem.

Sites de checagem:

A agência Lupa em parceria com o Canal Futura e apoio da Google, também criaram o projeto Fake ou News — Falso ou notícia? —. Uma plataforma digital que oferece um guia sobre como identificar notícias falsas.

Fique atento as notícias que recebe, tenha senso crítico, analise e pondere. Não se iluda com informações absurdas, e utilize os meios que apresentamos acima para evitar cair em fake news e espalhá-las.

Você pode melhorar o país começando a fazer sua parte.

Fonte(s): BBC, O Dia, Techtudo, Uol, Campo Grande News, Revista Veja, BBC, G1
Eliza Inaê
Redatora freelancer, sagitariana e canhota. Apaixonada por séries, livros, Florence + The Machine, sol e comida. Aprendendo a bordar, enxergar o melhor nas pessoas, e a fazer uma bio maneira.

Tá na rede!

Quero mais!

Veja mais artigos!

Em caso de chefe
clique aqui