• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Vai, planeta!

Com muita música e práticas de graça, São Paulo recebe o 1º Festival da Natureza

Porque nunca é tarde para nos re-conectarmos.

Poucos dias passados do Dia das Mães, quando muitas pessoas colocaram fotos nas redes sociais lembrando as qualidades maternas, é um bom momento para lembrarmos da mãe das mães. A Mãe Terra.

De fato, centenas de etnias e sociedades consideram a terra, pacha, gaia, urihi, não importa a denominação, a deusa mãe, a provedora, a protetora, a curadora, a cuidadora. E de fato é ela quem nos nutre com alimentos, nos fornece os medicamentos e a proteção em forma de abrigo.

Porém, para nós que há gerações nos distanciamos da natureza, fica difícil perceber a importância da terra como ente maternal, que dá e cuida da vida. Nossas comidas, nossos remédios e nossas casas chegam tão prontas nas nossas mãos que fica fácil esquecer de onde de fato vieram. E tudo bem. Nunca é tarde para nos re-conectarmos.

E é sobre isso o 1º Festival da Natureza, evento que faz parte do 2º Fórum Internacional Pelos Direitos da Mãe Terra, que acontecerá no dia 03 de Junho, no Parque Villa Lobos em São Paulo.

Com Arte, Práticas e Conversas o Fórum pretende re-conectar as pessoas com a natureza

E para que essa conexão com a Mãe Terra converse com as pessoas que moram na cidade, o Festival escolheu os idiomas mais universais que existem: A Arte e a Prática.

A partir das 09h da manhã o parque será invadido por teatro de improviso (Cia CRIA), música, cinema (Mostra EcoFalante), além de intervenções de povos ancestrais. As expressões artísticas acontecerão no anfiteatro do Parque Villa Lobos e também no Auditório da Biblioteca.

Entre as atrações, Poesia Samba Soul e C de Cultura, duas bandas que nasceram na periferia de São Paulo e tocam groove, soul e samba rock, Dupla Caipira de Reggae e o Grupo de jovens do Fábrica de Cultura com o Projeto Ateliê de Percussão.

Já a parte prática acontecerá na Aldeia da Paz, que trará inspirações de como se conectar com a terra no dia a dia, mostrando que a natureza somos nós e está em tudo: contará com tendas de alimentação consciente, medicina integrativa, permacultura, propostas educativas, eco-vilas e ativismo.

No Auditório da Biblioteca também terá conversas sobre os Direitos da Natureza no brasil e no mundo com convidados incríveis. Tudo gratuito!

Nós e a Natureza somos a mesma coisa. Pintura da artista chilena Beatriz Aurora

O Fórum surgiu de uma ideia pioneira nascida no Equador: a nova Constituição Equatoriana foi aprovada pela população do país através de referendo, com massiva participação indígena, no dia 28 de setembro de 2008.

Uma das maiores inovações trazidas no texto constitucional foi a introdução do conceito de Direitos da Natureza, de modo que a “Mãe Terra” passou a ser tratada como um organismo vivo, digno de tutela constitucional. Ou seja: os direitos da natureza hoje fazem parte da constituição do país, exatamente como os direitos humanos.

Em 2009 a ONU redige também uma constituição dos direitos da Mãe Terra e esse movimento passa a ganhar corpo pelo mundo. Ano passado foi o México que sediou o 1º Fórum Internacional dos Direitos da MãeTerra e esse ano o movimento veio para o Brasil pelas mãos da ONG MAPAS, coordenada pela advogada brasileira que integra o comitê da ONU sobre o tema, Vanessa Hasson.

“Nós da comunidade humana fazemos parte de uma comunidade maior: a comunidade do planeta Terra. Vamos juntos defender os Direitos da Natureza que somos nós!”

Direitos da Natureza - Facebook, https://www.facebook.com/direitosdanatureza/

A cidade de Bonito, no interior do Pernambuco, foi a primeira do Brasil a reconhecer em sua legislação os direitos da Mãe Terra, e outras seguem o mesmo caminho.

Até o dia do evento Vanessa espera já ter reconhecido os direitos da Natureza na cidade de Caseara/TO com apoio dos vereadores e da Prefeita. Caseara é uma cidade de extrema importância, pois é a porta de entrada da Floresta Amazônica e um dos lugares no país onde o desmatamento cresce mais rapidamente em função da criação de boi de corte e plantação de soja.

Ao identificar a Mãe Terra dentro da legislação do país como um “indivíduo” dotado de direitos e pleno de proteção avançamos muito ao entender que a terra é viva e somos parte de um todo. Podemos nos orgulhar do nosso país ser pioneiro nesse percurso. Mas não adiantaria nada se todo esse papo se ele não tocasse o maior número de pessoas, por isso Vanessa decidiu trazer o evento pro Parque, como muita arte e aprendizado.

“A Arte é a linguagem que toca o coração das pessoas, por isso escolhemos uni-la à natureza. O evento tá lindo”, anima-se Vanessa.

Para mais informações, acesse o site do evento aqui. Ou confirme sua presença no evento marcado pelo Facebook.

Nos vemos dia 03/06 no Parque Villa Lobos!

Fonte(s): Direitos da Mãe Terra, Direitos da Natureza - Facebook, Jus
Roberta Nader
Ativista pra mudar o mundo. Roteirista, cronista, editora, observadora de bichos e plantas, mergulhadora, leitora compulsiva. Viajante dos mundos: o nosso e o meu. mais em: robertanader.com

Tá na rede!

Quero mais!

Veja mais artigos!

Em caso de chefe
clique aqui