• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Atitude Coletiva

chevron_left
chevron_right

Ciência revela que ‘Comic Sans’ é sem dúvida a melhor fonte de todas

Pesquisadores constaram que a fonte facilita o compreendimento do texto.

Existe apenas uma unanimidade nesse mundão: Comic Sans é a fonte mais cafona que alguém poderia usar. Será? Como diria Nelson Rodrigues, “toda unanimidade é burra”.

Isso porque cientistas acabaram de constatar que usar uma fonte tosca feito essa, melhora consideravelmente a compreensão do texto.

Eu acho que a Comic Sans está sempre gritando “Diversão”!!!

Segundo um artigo publicado no site científico ABC Science, pesquisadores da Universidade de Princeton constataram que usar fontes estranhas ou até escrever um belo “garrancho” à mão, pode facilitar o entendimento do texto.

Para a descoberta, os cientistas recrutaram 28 voluntários e entregaram a eles uma lista com várias informações sobre três personagens de ficção. Os voluntários, então, foram divididos em três grupos. Um deles ganhou as informações escrita em Comic Sans.

Comic Sans MS.ttf

De acordo com Connor Diemand-Yauman, um dos responsáveis pelo estudo, aqueles que receberam as informações na famigerada fonte lembraram de muito mais detalhes sobre as personagens que os outros participantes do estudo.

Animados e ainda não satisfeitos com o resultado, o grupo de pesquisadores resolveu aplicar mais um teste, agora em sala de aula. Usando 6 turmas de alunos como “cobaias”, foi distribuído o material de leitura para algumas dessas salas impressos em fonte Comic Sans.

Ao final do semestre, os alunos que tiverem que estudar com a fonte renegada por designers, tiveram melhores notas que os outros, que estudaram usando fontes clássicas, como Arial e Times New Roman.

Mas que bruxaria é essa?

Segundo o artigo, publicado pelo site DailyMail, os pesquisadores revelaram que tal resposta às letras feias se deve pelo simples fato do leitor ter de se esforçar mais para entender o que está escrito. A leitura deixa de ser “passiva” para se tornar “ativa”.

Afinal, quem nunca começou a ler e quando se deu conta não estava prestando atenção em nada? O uso das fontes estranhas evita que isso aconteça, pois temos que prestar tanto atenção para “entender” qual é a palavra, que acabamos absorvendo mais, sem distrações, o conteúdo do texto.

Conforme informou Tim Harford, economista e autor do livro “Messy: How to Be Creative and Resilient in a Tidy Minded World” (algo como “Bagunceiro: Como ser criativo e resistente em um mundo arrumadinho“) em entrevista ao site Business Insider, a tática realmente surte efeito pois quando você olha para aquela fonte – feia, bagunçada, difícil de ler – todo seu foco se concentra na tentativa de “desvendar” a frase, e só com esse grau de atenção que começamos a entender o texto de verdade.

O cérebro preguiçoso

Da mesma forma que isso nos ajuda no entendimento do texto, certas facilidades na leitura, como as oferecida pelas novas tecnologias, podem tornar nosso cérebro preguiçoso.

Jonah Lehrer, autor de livros sobre neurociência, revelou que leitores eletrônicos, como o Kindle, podem prejudicar consideravelmente nosso aprendizado.

“Eu me preocupo que se tornará tão fácil para o cérebro ler em um leitor eletrônico que podemos realmente começar a ver uma diminuição no conteúdo que lembraremos de um livro.” disse o especialista.

Então já fica a dica, no próximo resumão que for fazer para a prova, aposte na Comic Sams!

Fonte(s): Tech Insider - Facebook, Bussiness Insider, Independent, DailyMail
Redação - Almanaque SOS
Sempre tem jeito. Acompanhe o SOS também pelo Facebook, Instagram e Twitter

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui