• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato

Comes & Bebes

chevron_left
chevron_right

Técnica do “café sem coador” viraliza nas redes sociais (e nós testamos)

Testamos o café de preguiçoso, uma técnica muito comum na Turquia.

Bruno Oliveira Publicado: 24/08/2022 09:38 | Atualizado: 24/08/2022 09:45

Café de soldado, café tropeiro, café campeiro, café cambona, café nordestino, café de chaleira e até café turco são alguns dos nomes dados ao café feito sem coador.

O fato é que esse tipo de preparação de café fez um baita sucesso no Brasil, como prova o vídeo do canal Bruxinha das Receitas que viralizou no Youtube ao explorar a técnica. O vídeo teve mais de 2,5 milhões de visualizações, se tornando um verdadeiro sucesso na plataforma.

O método é simples e consiste em ferver a água e depositar o pó de café em seguida, sem coar mesmo. Ao assistir o vídeo, apenas uma pergunta veio à nossa mente: Será que funciona?

 

Teste: como fazer café sem precisar coar

Confira o que usamos durante a reprodução do teste:

  • Água

  • Café em pó

  • Garrafa Térmica

Note que a quantidade dos ingredientes deve variar de acordo com o volume de café que você deseja fazer. Na dúvida, siga as instruções de dosagem da embalagem.

A princípio, colocamos a água para ferver em uma panela e assim que começou a borbulhar desligamos o fogo. Feito isso, adicionamos o café em pó.

 

Em seguida, misturamos o café na água por alguns segundos e depositamos na garrafa térmica. Nessa etapa, percebemos que sobrou um pózinho de café no fundo da panela.

 

Conforme indicado no vídeo original, deixamos o café em repouso na garrafa durante um período de 10 minutos. Logo depois, servimos a nossa primeira caneca e já notamos que um pouco de pó podia ser visto no fundo.

 

Finalmente, saboreamos a bebida até o fim. Aquele pó que notamos, permaneceu no fundo da caneca.

 

Resultado: fazer café sem usar coador funciona?

Resposta rápida: sim!

Embora pareça estranho, o fato do pó do café não ter sido coado não afeta tanto o gosto da bebida, apenas traz um tom mais presente, forte, ao sabor do café. Dito isso, você pode colocar mais água ou menos café durante o preparo, o segredo é fazer ao seu gosto.

Ademais, não recomendamos agitar a garrafa ou a xícara enquanto serve ou consome. Caso contrário, o pó vai para superfície e então é possível que sinta um pouco na boca.

 

O que precisamos entender sobre o método

1. A água fervente não prejudica o café

Alguns seguidores do Almanaque SOS protestaram nos comentários das nossas redes sociais:

“Geralmente nas embalagens de pó de café que eu consumo diz que a água nem deve ferver e faz toda diferença no sabor. Testem.”, diz Paula Alves em nosso canal no Youtube.

“Não se ferve água para fazer café!”, fala Miguel Barros em nossa página no Facebook.

Antes de mais nada, precisamos lembrar que a água precisa atingir a temperatura de 100º C para começar a ferver (evaporar), certo? Errado! Isso porque não estamos considerando o fato de que a pressão do ar (atmosférica) influencia nessa equação e o resultado é que quanto mais alta for a sua localização em relação ao nível do mar, menor é a temperatura necessária para fazer a água ferver.

Por exemplo, em uma cidade mais alta como São Paulo, o ponto de ebulição da água é de 97º, já em um pico ainda mais alto como o Monte Everest esse valor cai para impressionantes 72ºC!

Tendo isso em mente, é interessante acrescentar que a temperatura da água para criar a pressão de produzir um café expresso é de 90ºC, não muito distante dos convencionais 100 graus. Ainda assim, essa temperatura não elimina os sabores nem as propriedades da bebida.

Além disso, a temperatura da água tende a cair muito rapidamente, alcançando os 90º de um expresso em questão de segundos. Inclusive, isso é fácil de notar, pois assim que o fogo é desligado a água para de borbulhar quase que imediatamente.

Resumindo, adicionar o café na água que ferveu há poucos segundos não influencia na perda de sabor e nutrientes da bebida. Isso é mito!

2. As diferenças entre café cozido e infundido

Nesse caso, o que é fervida é apenas a água, mas um de nossos seguidores levantou uma afirmação interessante:

“Café cozido desse jeito é um veneno para a saúde, mesmo se coar. Não se cozinha café.”, comenta Diogo Bressan em nosso Instagram.

Em parte, o comentário está correto, contudo, como já apontado, o processo infunde o café, o que é diferente de cozinhá-lo.

A infusão é o processo de remover os sabores, propriedades e aromas de uma substância através de um líquido, enquanto a cocção (ato de cozinhar) acontece se você manter essa substância exposta a uma fonte de calor constante.

Ou seja, para cozinhar o café, seria necessário manter a água com o café presente e constante no fogo, algo que não acontece aqui.

Entretanto, apesar de estar liberado ferver a água, especialistas não recomendam ferver o café. Dessa forma, você evita problemas como tonturas, enjoo, azia, dores de cabeça e estômago que são causados por reaquecer, ferver ou, de fato, cozinhar o café.

3. A receita tem mais cafeína que um expresso

Primeiramente, a principal diferença entre um café expresso e um café infundido é o tempo de preparo, visto que enquanto um expresso demora em torno de 20 a 30 segundos, nessa técnica, o nosso café leva ficou pronto em torno de 10 minutos.

Dessa maneira, o contato prolongado com a água quente permite que a cafeína seja extraída em maior quantidade. Além disso, pela dose do café expresso normalmente ser bem menor do que a do infundido, a cafeína é consumida em maior quantidade na segunda opção.

A Amanda matou a charada de cara e logo comentou no nosso Tiktok:

“E fazendo assim você consegue extrair mais cafeína. 😁”

 

De onde veio a ideia de fazer um café que não é coado

Não se sabe ao certo qual é a técnica de preparação de café mais antiga da história, porém com certeza o café turco é uma delas. Por tradição, ele é preparado em um recipiente feito de cobre ou latão conhecido por ibrik ou cezve, é fervido por três vezes durante o seu preparo e também não é coado.

Apesar das semelhanças, o café turco é feito a partir de um pó mais fino e próprio para o seu preparo, diferente do café comum que usamos neste teste.

 

O que aprendemos sobre esta dica

  • Fazer café sem usar coador é uma opção válida;
  • O sabor e aroma ficam mais acentuados com essa técnica;
  • O método não prejudica os benefícios do café;
  • Pode ferver a água, mas não se deve ferver o café.

Confira o nosso vídeo do teste na íntegra.

Fonte(s): Tudo sobre café, UFABC, Tudo sobre café 2, Café que marca, Tudo sobre café 3, Tudo sobre café 4
Bruno Oliveira
Atleta virtual, jornalista, podcaster e gamer de esquerda nas horas vagas. Acredita piamente na capacidade do ser humano de ser melhor, sempre. Dog person e pernambucano, observa o mundo em camadas.
tags: bebida , café , coador

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui