Aparecimento de fios brancos em jovens pode indicar problemas de saúde, diz estudo
  • Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Sinta-se Bem

chevron_left
chevron_right

Aparecimento de fios brancos em jovens pode indicar problemas de saúde, diz estudo

O cabelo grisalho pode ser um sinal de possíveis doenças cardiovasculares.

Gabriela Roman Publicado: 13/04/2017 10:04 | Atualizado: 17/04/2017 11:16

Os cabelos brancos costumam surgir na meia idade, mas há quem os tenha desde muito cedo. Você olha no espelho e quando menos espera vê aquele fio brilhante e saliente.

O problema é que o grisalho pode ir além da questão estética. Um estudo da Universidade do Cairo indicou que o aparecimento dos fios pode estar ligado ao aumento do risco de doenças cardiovasculares.

A pesquisa foi apresentada na Europrevent 2017 que ocorreu na Espanha, promovida pela Associação Europeia de Cardiologia Preventiva. Foram analisados 545 homens adultos que passaram por angiotomografias para verificar uma possível doença nas artérias coronárias.

Os pacientes foram divididos em cinco subgrupos de acordo com a presença ou não de doenças e a quantidade de cabelos brancos ou grisalhos (sendo o grupo 1 homens com cabelo totalmente preto, já o grupo 5 homens com cabelo totalmente branco).

Graduação de cor dos cabelos

Além disso, foram analisados os fatores tradicionais de risco cardiovascular como hipertensão, diabetes, se o paciente é fumante, histórico familiar e níveis elevados de lipídios ou lipoproteínas no sangue.

Resultados

Foi descoberto, então, que a quantidade de cabelos brancos está associada ao aumento do risco de doenças do sistema circulatório.

A análise indicou que um índice alto de cabelos brancos – ou seja, grupos 3 (mesma quantidade de cabelos brancos e pretos), 4 (mais cabelos grisalhos do que pretos) e 5 (cabelos totalmente brancos) – estava associado ao aumento do risco da doença arterial coronariana, independente de idade e fatores cardiovasculares de risco previamente demonstrados.

Pacientes com a doença arterial coronariana tiveram, estatisticamente, um aumento significante dos fios brancos e da calcificação arterial coronária comparados àqueles sem a doença.

Ficar grisalho e a aterosclerose (o acúmulo de gordura, colesterol e outras substâncias na parede e dentro das artérias) compartilham mecanismos muito parecidos como estresse oxidativo (excesso de radicais livres), inflamação, envelhecimento das células funcionais e reparação de DNA.

Em uma análise de fatores como idade, quantidade de cabelos brancos, hipertensão e dislipidemia (presença de níveis anormais de lipídios e lipoproteínas no sangue), todos se mostraram indicativos da existência de aterosclerose. No entanto, apenas o fator idade se mostrou sozinho como um indicativo do aumento de cabelos brancos.

Segundo a Dra. Irini Samuel, líder da pesquisa, é necessário pesquisar mais esses sinais que as doenças dão na pele e cabelos, para intervir o quanto antes.

“Envelhecer é um fator inevitável de risco coronário e está associado a sinais dermatológicos que podem indicar um risco aumentado. É necessário pesquisar mais sobre sinais cutâneos de risco que podem nos permitir intervir antes no processo de doenças cardiovasculares.”

Fonte(s): Science Daily, Exame, European Society of Cardiology
Gabriela Roman
Roteirista, viajante profissional e amante da internet e das zueiras que vêm com ela.

Tá na rede!

Quero mais!

Veja mais artigos!

Em caso de chefe
clique aqui