• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Atitude Coletiva

chevron_left
chevron_right

No mesmo dia: bolsas de estudos suspensas e armas liberadas para 19 milhões de pessoas

Quais valores Bolsonaro e sua equipe querem levar adiante?

Ontem, dia 08 de maio, o governo fez outro corte considerável na educação: novas bolsas de mestrado, doutorado e pós doutorado foram bloqueadas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível Superior (Capes). Em ofício encaminhado aos reitores, o presidente da Capes informou que “a Diretoria decidiu recolher as bolsas e taxas escolares não utilizadas no último mês de abril“.

Com a notícia do bloqueio, estima-se que mais de R$800 milhões deixarão de ser investidos na produção científica, caso a medida não seja revertida. Na prática, isso não deve afetar os pesquisadores que já recebem as bolsas, mas impede que novos cientistas ocupem as vagas.

Há alguns dias, o MEC já havia informado sobre a redução de 30% da verba das instituições federais de ensino, argumentando que a prioridade seria investir na educação básica. Apesar disso, mais de R$900 milhões destinados a manutenção e apoio à infraestrutura de escolas de nível básico também foram bloqueados.

No mesmo dia (08), entrou em vigor a medida do governo que flexibiliza o porte de armas no país, liberando armamento para mais de 19 milhões de pessoas, segundo estimativa do Instituto Sou da Paz. Dentre os tantos desdobramentos negativos da medida, destaca-se o potencial de formação e atuação de milícias, bem como um “exército” pró-Bolsonaro formado por ruralistas e seguidores.

Além disso, no mesmo decreto, foi permitido que crianças utilizem armas de fogo em clubes de tiro, sem autorização judicial. Enquanto o Estatuto da Criança e do Adolescente proíbe até a ilustração de armas de fogo em material destinado ao público infanto-juvenil, o presidente da república permite, com uma canetada, que essas mesmas crianças e adolescentes possam manusear armas de fogo, apenas com consentimento de um dos responsáveis.

Sendo o Brasil um dos dez países mais violentos do mundo, como revelou Atlas da Violência 2018, e penúltimo lugar no ranking de educação da OCDE, é surpreendente (e assustador) observar que no mesmo dia que amplia o acesso às armas, o governo restringe o acesso à educação e derruba nossa ciência e tecnologia.

Fica a reflexão: quais valores Bolsonaro e sua equipe querem levar adiante?

Fonte(s): O Globo, G1
Daiane Oliveira
Jornalista, feminista e mãe. Discute religião, política, sexo e hábitos sustentáveis. Não discute futebol porque não entende. Quem sabe um dia.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui