• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Crossfit Mental

chevron_left
chevron_right

As séries que você deveria maratonar hoje, segundo o Globo de Ouro 2019

Prepara o sofá para assistir os melhores seriados da temporada.

Globo de Ouro além de ser um dos maiores catalisadores de memes com celebridades reunidas é também um grande termômetro quando se trata de encontrar bons trabalhos no meio audiovisual, principalmente as séries.

Para quem ainda está perdido, a premiação promovida pela Associação da Imprensa Estrangeira em Hollywood (HFPA) é a segunda mais importante da indústria cinematográfica e, ao contrário do Oscar, também engloba seriados!

Em 2019, várias séries incríveis ganharam destaque na premiação, e é justamente sobre elas que nós vamos falar aqui. Vale dizer que nessa lista você não encontrará as séries mais bombadas e aguardadas, como Game of Thrones, até porque ela não foi premiada nesse ano. Prepara o sofá e a pipoca!

A lista não segue nenhuma ordem de preferência.

 

1. The Americans (Os americanos)

Dois espiões russos que não se conhecem passam a conviver juntos na capital estadunidense, Washington D.C., além de realizar missões os dois precisam aprender a ser um casal perfeito à americana.

Elizabeth (Keri Russel) e Philip (Matthew Rhys) são tão profissionais como espiões que até os dois filhos não fazem a menor ideia sobre o trabalho dos pais, aliás para esconder a carreira eles abrem uma agência de viagem. Vale lembrar que o enredo é inspirado em fatos, já que em 2010 foram descobertos diversos espiões russos nos Estados Unidos.

O interessante dessa série é que você aprende história ainda que indiretamente e de uma forma legal, eles explanam bem o trabalho da KGB, organização de serviços secretos da União Soviética, e sobre conflitos da guerra fria. E além de um bom casal na ficção Keri Russel e Matthew Rhys são também um casal na vida real, o namoro começou logo após o fim da primeira temporada.

O drama que começou em 2013 mexe até hoje com o coração dos fãs e chegou ao fim em 2018, encerrou as atividades com chave de ouro já que levou o prêmio de melhor série dramática.

Está disponível na plataforma Fox Play e no canal Fox.

 

2. Killing Eve

Para os fãs de “Greys Anatomy” que sentiram falta da Cristina Yang, interpretado por Sandra Oh, dá para matar a saudade em “Killing Eve” que levou o prêmio na categoria melhor atriz em série dramática. Vale lembrar que a Sandra foi a primeira descendente asiática a apresentar o Globo de Ouro.

Seguindo a vibe espiã, Eve (Sandra Oh) não aguenta mais ser só mais uma no trabalho já que ama investigações. Ela tem uma função de assistente no MI5 (Millitary Inteligence Section 5), serviço que agrega informações para o governo britânico.

Eve desconfia que uma série de assassinatos acontecendo ao redor do mundo é realizado pela mesma assassina e é quando começa sua obsessão, você não sabe se shippa ou não as duas que vivem como gato e rato.

O seriado é cheio de poder feminino já que mostra uma mulher investigadora e uma assassina de aluguel, além disso pode esperar por uma fotografia incrível e trilha sonora envolvente. O roteiro é inspirado no romance de suspense “Codenome Villanelle” de Luke Jennings.

Fato curioso: “Killing Eve” é tão boa que até a Netflix incentivou aos internautas assistirem, mesmo sendo de uma das suas maiores concorrentes, a Hulu.

Disponível no Globo Play.

 

3. The Marvelous Mrs. Maisel

O seriado genial que demonstra padrões sexistas da sociedade dos anos 50 com uma boa pitada de comédia, conta a história de Miriam Maisel, uma dona de casa judia que mora em Nova Iorque e sempre teve um humor aguçado.

Ela decide ajudar o marido que acredita fielmente ter um dom para o stand up mas descobre que ele rouba todas as piadas, algumas até mesmo dela; quando fracassa. Devido a brigas e desentendimentos os dois se separam e acidentalmente Miriam se descobre como comediante.

Essa produção é simplesmente deliciosa de assistir e possui apenas duas temporadas. Além das piadas inteligentes é muito engraçado acompanhar os conflitos familiares, como se não bastasse ser mãe de dois filhos e ter que voltar a morar com os pais, Miriam precisa lidar com sua agente maluca, Susie Myerson que traz aquele humor denso para a série.

Rachel Brosnaham levou como melhor atriz principal em série de comédia, o que só demonstra o quão engraçada e inteligente é a senhorita Maisel.

Disponível na plataforma Amazon Prime.

 

4. The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story

O assassinato de Gianni Versace, um dos maiores estilistas de alta costura do mundo foi tão controverso que inspirou o livro Vulgar Favors e logo após uma temporada de American Crime Story. O enredo explica também como a polícia norte-americana não se esforçou na captura do assassino, por razões até mesmo homofóbicas.

Andrew Cunanan nunca foi memorável ao longo da adolescência mas queria ser ouvido, foi quando se tornou o responsável pelo assassinato do estilista Gianni Versace. A minissérie retrata de forma muito sensível Cunanan, que rendeu a Darren Criss o prêmio de melhor ator em série limitada.

A família Versace esconde mais segredos do que se imagina, Gianni se camuflava até mesmo em sua orientação sexual. Penelope Cruz interpreta Donatella e ajuda na construção de um núcleo familiar unido, apesar de conflituoso.

A história começa com o assassinato e ao longo dos episódios retorna aos motivos, por ser limitada pode ser vista rapidinho já que possui apenas nove episódios.

Disponível na Fox Play.

 

5. The Kominsky Method (O método Kominsky)

Essa comédia dramática retrata de forma inteligente Sandy Kominsky, que teve seus 15 minutos de fama como ator em Hollywood, mas por seu temperamento se torna professor de teatro. Ele tem como agente seu melhor amigo.

A história reflete muito bem os valores sobre amizade e família e possui um equilíbrio entre o drama e a comédia, uma sensação entre não sabe se ri ou se chora.

Criada por Chuch Lorre, responsável por “Two and a Half Man” (Um homem e meio) e “The Big Bang Theory” (Big Bang: A teoria), ganhou como melhor série de comédia. Michael Douglas que interpreta Sandy foi premiado como melhor ator em série cômica. Você pode devorar rapidinho, a primeira temporada tem oito episódios entre 30 minutos cada.

Disponível na Netflix.

 

6. Sharp Objects (Objetos Cortantes)

Camille Preaker (Amy Adams) é jornalista e abandona sua cidade natal, mas se vê obrigada a voltar quando precisa cobrir assassinatos que podem ter ligação.

Além disso, a personagem principal sofre com distúrbios emocionais, auto mutilação e alcoolismo e ainda precisa lidar com a mãe hipocondríaca, interpretada por Patricia Clarkson, que levou o prêmio de melhor atriz coadjuvante em série limitada.

Objetos cortantes é inspirada no livro de mesmo título da autora Gillian Flynn, responsável também por “Garota Exemplar”. Os principais objetivos da escritora é retratar a mente feminina de forma humanizada, sem os moldes que a sociedade impõe.

Alguns telespectadores a consideram lenta, mas não tira o fato de ser rica em detalhes o que reforça a intenção de chegar até o fim. A evolução de Camille Preaker como personagem é interessante e torna a história ainda mais profunda. A minissérie, que tem oito episódios de 55 minuto, tem um final diferente da sua versão original – e foi aprovada por vários leitores.

Disponível no HBO Go.

 

7. Bodyguard

Apenas seis episódios que dá para ver rapidinho, o enredo de sucesso conta com Richard Madden no elenco, o Robb Stark de “Game of Thrones”.

Ao tentar evitar um ataque terrorista, o militar David Budd (Richard Madden) é transferido para ser segurança da secretária de estado, Julia Montague (Keeley Hawes). Ele chama a atenção para si depois de tentar impedir a ação de um grupo terrorista, o que o torna um alvo.

Além disso, David precisa lidar com os jogos de poder dos bastidores, estresse pós-traumático causado pela guerra e suas desavenças com Julia, que tem um posicionamento politico diferente do dele. Mas as brigas não eliminam a possibilidade de um romance.

A interpretação do ator principal foi excepcional já que foi premiado como melhor ator em série dramática. O thriller também possui uma ótima trilha sonora, além de ser envolvente.

Disponível na Netflix.

 

8. Escape at Dannemora

Richard Matt (Benicio Del Toro) e David Sweat (Paul Dano) foram condenados por homicídio e possuem a chance de escapar. Tilly Mitchel (Patricia Arquette) trabalha na penitenciaria e se apaixona pelos dois detentos e logo depois os ajuda a escapar da prisão.

O drama produzido por Ben Stiller, o astro das comédias, é bem elaborado. Uma história de fuga não convencional mas emocionante. O enredo foi inspirado em um caso real que aconteceu em 2015 em Nova Iorque. Aclamada pela crítica, Patricia Arquette levou como melhor atriz em série limitada.

A produção ainda não chegou as plataformas brasileiras (mas é possível encontrar pela web).

 

9. A Very English Scandal

Um romance homossexual entre Norman e Jeremy é escondido em razão do conservadorismo dos anos 1960. Jeremy (Hugh Grant) é líder do Partido Liberal Britânico e se esconde atrás de uma mentira, porém seu ex perde a paciência e ameaça revelar o relacionamento.

É baseada no livro “A  Very English Scandal: Sex, Lies and a Murder Plot at the Heart of the Establishment”, de John Preston que se inspirou em um fato real da década de 70. É uma minissérie que retrata muito bem a sociedade conservadora britânica que aos poucos aboliu a discriminação sexual de suas leis.

O enredo se constrói no suspense da possibilidade de o escândalo vir a tona mas é principalmente uma grande crítica aos valores da época. Bem Wishaw que interpreta Norman ganhou o prêmio de melhor ator coadjuvante em série limitada.

A trama ainda não está disponível no Brasil (mas dando uma pesquisada, você acha).

Fonte(s): Adoro Cinema
Rafaela Luiza Garcez
Estudante de jornalismo pronta para desbravar o mundo. Ama cinema e bons seriados, principalmente quando se trata de maratonar. Adora os clássicos, mas não elimina os lançamentos. Também fotografa e toca (ou tenta).

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui