• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Vai, planeta!

As Plantas Repelentes mais poderosas contra mosquitos (e outros insetos)

17 opções para plantar na sua casa e evitar uso de produtos químicos.

Zumbidos e picadas de insetos são algo que realmente incomoda. Desde antes de Cristo, a humanidade tenta se livrar ou pelo menos se afastar desses pequenos seres vivos.

Vale lembrar que é o animal que mais mata no mundo, ganhando disparado de tubarão, cobra e até o próprio ser humano!

Ninguém menos que Bill Gates deu a letra: “Qual é o animal mais mortal do mundo? A resposta pode te surpreender”

Antigamente, era muito comum a utilização de produtos naturais, de origem vegetal, como repelente ou inseticida. Hoje em dia, as receitas naturais estão perdendo cada vez mais espaço para as fórmulas sintéticas, que parecem ser mais práticas.

E isso pode ser um problema para a sua saúde, apesar da propaganda dizer o contrário. Vamos detalhar a importância de apostar em alternativas naturais logo mais abaixo. Mas agora, segue uma lista com 17 plantas que, pelos princípios ativos, servem de repelentes naturais para mosquitos e outros insetos.

 

1. Crisântemo

Além de repelente natural, também afasta baratas, formigas, besouros japoneses, carrapatos, traças, piolhos, pulgas e percevejos. O crisântemo contém uma substância chamada piretrina, muito tóxica para insetos, mas não para mamíferos e logo, humanos. Ela inclusive é usada na fabricação dos inseticidas químicos. Basta ter vasos da planta pela casa e esfregar as flores na pele para evitar picadas.

 

2. Eucalipto

O óleo essencial de eucalipto funciona muito bem como repelente e anti-inflamatório. Não é a toa que é um dos remédios mais antigos contra picadas que existe. Experimente misturar algumas gotas do óleo com água num spray e borrifar pelo ambiente.

 

3. Manjericão

O cheiro forte do manjericão fresco afasta moscas e mosquitos, além de ficar muito saboroso em molhos, sopas, saladas e pizzas, claro! Em casos de gestação, é melhor evitar.

 

4. Casca de laranja ou limão

Ok, não é planta, mas faz parte de uma. Existe uma maneira mais rudimentar (veja aqui), mas você pode facilitar o processo utilizando um daqueles aparelhos elétricos de repelente, que costumam ter um tablete de veneno dentro e são ligados na tomada.

Corte a casca da laranja ou do limão e coloque no lugar do tablete de veneno. Depois, é só ligar na tomada. Além de afastar os mosquitos, o ambiente ainda ficará perfumado com um aroma cítrico no ar. Troque a casca do equipamento depois de, no máximo, 12 horas.

 

5. Capim-limão

Pode-se fazer uma tintura com a planta ao colocá-la num frasco escuro com álcool e deixar macerando por 15 dias em um ambiente escuro. Depois, deve-se filtrar com um pano. A partir disso, a tintura pode ser usada para produção de repelentes, ao misturar 150 ml dela com 150 ml de glicerina líquida, 150 ml de álcool e 350 ml de água destilada.

Outra opção mais simples, é extrair ou comprar o óleo essencial de capim-limão, misturá-lo com água e passar com um pano úmido pela casa.

 

6. Alecrim

Essa aqui tem efeito de inseticida natural para espantar mosquitos, pulgas, carrapatos e pasmem, ATÉ GATOS! Experimente deixar alguns vasos com a planta em janelas e espalhados pelo jardim para afastar os insetos.

Com os bichanos, basta colocar algumas folhinhas de alecrim onde não quer que eles fiquem, eles mantêm distância por não gostarem do cheiro da erva. Deve ser evitado pelas mulheres grávidas.

 

7. Jasmim (todos os tipos)

Por conta do forte odor, afastam mosquitos e podem ser cultivados em vasos grandes ou beiras de muro. Mas atenção ao alerta do site especializado em sustentabilidade, GreenMe: “esses não é bom tê-los dentro de casa já que seu óleo essencial é alergênico para muitas pessoas podendo causar dores de cabeça e alergias.”

 

8. Hortelã-Pimenta

Útil para afastar formigas e mosquitos. O ideal é plantar a hortelã em vasos, pois ela se espalha de forma agressiva no jardim e horta. Além de tudo, ainda dá um sabor refrescantes em sucos e alguns pratos.

 

9. Citronela

Já é um famoso repelente natural contra os pernilongos. Pode-se fazer chá com as folhas da citronela e usá-lo para limpar a casa ou passar no corpo. Seu óleo também é utilizado na fabricação de velas repelentes, além disso quando plantada no jardim também afasta as formigas. Deve ser evitado pelas gestantes por conter propriedades abortivas.

 

10. Lavanda

Repele moscas, mosquitos, pulgas, traças e é uma gracinha. Deixe alguns maços da planta pendurados nas paredes e janelas. Para as traças, faça sachês com as flores e deixe na gaveta. A casa e as roupas ficam aromatizadas e longe desses insetos!

 

Outras plantas poderosas contra mosquitos

  • Mamona
  • Arruda
  • Lírios (todos os tipos)
  • Alfazema
  • Tomilhos (todos os tipos)
  • Erva-cidreira
  • Malmequer

Arruda.

 

Dica Extra: Borra de Café e Água Sanitária

Ok, isso também não é planta, mas fica como um bônus. É importante lembrar que melhor que combater os malditos mosquitos, é evitar que eles nasçam ou cheguem à fase adulta. Para isso, o primeiro passo é aquele que quase todo mundo já conhece: não deixar água parada.

Em casos que não dá para tirar a água de jeito nenhum, de acordo com os pesquisadores do Laboratório de Bioprospecção de Recursos Regionais, da Universidade Federal do Ceará (UFC), pode-se fazer uma solução com 2 colheres de borra de café ou 40 gotas de água sanitária para 1 litro de água. Aplique a mistura em locais que acumulam água como plantas e vasos.

 

Por que apostar em repelentes naturais?

Em 2016, com a epidemia de dengue, zika e chikungunya no Brasil, o mercado de repelentes faturou cerca de 600 milhões de reais, conforme dados da Consultoria Nielsen.

O quê nem todo mundo sabe é que maioria destes produtos industriais comercializados em mercados e farmácias contém uma série de componentes que podem causar reações alérgicas ou até intoxicações em crianças.

Entre eles, um dos mais famosos é o artificial  DEET, que atua nos receptores sensoriais de alguns insetos inibindo a tentativa de se alimentarem do sangue humano. De acordo com um estudo desenvolvido no Centro Médico da Universidade de Duke, nos Estados Unidos, o uso do DEET, em longo prazo, faz com que células cerebrais apresente sinais de degeneração.

A substância pode causar dano neurológico ao entrar na corrente sanguínea e chegar ao sistema nervoso, as consequências podem ir de ataques epiléticos a até mesmo a morte. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) regulamenta que a concentração do DEET não pode ultrapassar 30% na fórmula dos repelentes.

No entanto, para o professor da Universidade Federal do Amapá e coordenador do Comitê de Apoio às Politicas de Plantas Medicinais e Fitoterapicos da Farmacopeia Brasileira, José Carlos Tavares, esta concentração do princípio ativo permitida ainda é muito alta e deve-se trabalhar com uma concentração mínima, para evitar a possibilidade de acontecerem efeitos colaterais.

Segundo a professora e coordenadora do Laboratório de Farmacognosia da Universidade de Brasília, Laila Espindola, é necessário sempre verificar se os produtos adquiridos no mercado são regulamentados pela Anvisa. Pois, somente assim pode-se ter certeza se o fabricante respeita pelo menos essas normas de segurança definidas.

O professor José Carlos acrescenta que repelentes na forma de spray são os mais perigosos, por poderem causar até uma crise asmática:

“Mesmo que os repelentes tenham que passar por testes de segurança, muitos deles podem desencadear reações alérgicas de leve a grave”, adverte.

Para a professora Laila Espindola, não dá para ter certeza que a eficácia dos produtos naturais serão as mesmas dos industriais, pois ainda não há comprovação científica ou regulamentações sobre os produtos caseiros. Por outro lado, José Carlos afirma que muitas das receitas populares naturais funcionam de fato, mas que de qualquer forma, deve-se ter cautela no uso dos produtos, assim como qualquer outra produção química.

Fonte(s): BBC, Jardim do mundo, Desviantes, Greenme, Greenme (2), Ecycle, Plantei, ResearchGate, Almanaque dos pais, Nielsen, Repositório Digital da UBI, Repositório Institucional Unesp, Embrapa Agrobiologia, Revista de Ciências Ambientais - Unisalle, Revista Química Nova na Escola
Giullia Venus
Redatora, aspirante a ecochata, feminista, gosta de coisa de gente doida e filme ruim.

Tá na rede!

Quero mais!

Veja mais artigos!

Em caso de chefe
clique aqui