• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Setor Bugiganga

Aplicativo brasileiro ganha prêmio ao aproximar catadores de quem recicla o lixo

O ‘Tinder da reciclagem’ ajuda a natureza, você e os catadores.

De acordo com dados do “Panorama de Resíduos Sólidos no Brasil“, desenvolvido pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), 200 mil toneladas de resíduos sólidos são produzidos diariamente em nosso país.

Por falta do descarte correto, que daria fim sustentável a boa parte desse lixo, mais da metade desses resíduos acabam parando em aterros, poluindo o solo, os lençóis freáticos e até o ar.

E isso poderia ainda ser muito pior, se não fosse o trabalho dos catadores. Segundo dados levantados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), esses trabalhadores informais são responsáveis por quase 90% do lixo reciclado no país.

Um projeto idealizado pelo grafiteiro Mundano, responsável por dar uma repaginada em algumas carroças usadas pelos catadores (Pimp My Carroça), propõe melhorar essa situação, tanto para esses trabalhadores, para natureza, como para você, que não sabe/consegue descartar alguns resíduos da maneira correta.

Carroça que passou pela transformação do projeto ‘Pimp My Carroça’, também idealizado pelo grafiteiro Mundano.

Lançado em 2017, mas ainda em fase de aperfeiçoamento, o aplicativo Cataki vem como uma proposta de ser o “Tinder” do descarte de resíduos sólidos.

A ideia é que o aplicativo seja uma forma de facilitar o contato entre pessoas ou empresas, que tenham algum material para ser descartado, com os catadores da região.

O funcionamento é bem simples

Basta baixar o app, que logo no início identificará qual a sua localização. Feito isso, através do mapa você visualizará através de ícones roxos de carroça, se existe algum catador próximo de você.

Ao clicar no ícone, informações sofre o profissional serão reveladas, como que tipo de material ele coleta (vidros, papeis, móveis velhos, etc) e seu número de telefone, para que o contato seja feito e mais detalhes sobre o serviço sejam passados como tamanho, quantidade, endereço de retirada, etc.

É praticamente como um cartão de visitas virtual.

No app é possível encontrar algumas dicas e informações sobre qual o descarte correto de alguns produtos.

Por exemplo, você fica sabendo que em apenas 60 dias uma lata de alumínio é feita, comprada, descartada, coletada, reciclada e volta à prateleira. Aprende também que o vidro é 100% reciclável e é o maior causador de acidentes entre os catadores.

Já para o catador, é necessário fazer um breve cadastro (disponível apenas no site) para que seus contatos sejam divulgados pelo aplicativo.

É importante informar que este funcionamento faz parte dessa versão ainda não aprimorada do app. A ideia inicial é que ele seja realmente como um Tinder, com a possibilidade do solicitante do serviço disponibilizar fotos do que será retirado e o catador dar match quando aceitar o serviço.

Atualmente existem apenas 300 catadores cadastrados (um dos motivos da versão ainda não ter sido aprimorada), espalhados por mais de 30 cidades brasileiras, apesar da maior concentração dos profissionais cadastrados serem em São Paulo e Recife.

Por este motivo, é incentivado que pessoas comecem a cadastrar os catadores que trabalham pela sua região, pois devido a barreira tecnológica, muitas dessas pessoas não conseguem ou nem sabem da existência desse cadastro.

O Cataki, que acabou de ganhar um prêmio em Paris de Grand Prix de Inovação 2018 do fórum Netexplo, concedido a projetos de tecnologia com maior impacto social e nos negócios, está disponível gratuitamente, para iOS ou Android.

Fonte(s): UOL
Redação - Almanaque SOS
Desvendando o dia a dia. Acompanhe o SOS também pelo Facebook, Instagram e Twitter

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui